Home Guardarroupa 12 fotógrafos fabulosos e sua visão da moda
12 fotógrafos fabulosos e sua visão da moda
Guardarroupa
18 jan 2018 | Por Jornalismo Júnior

Imagem: Mario Testino

Moda e fotografia caminham juntas, lado a lado, nessa união – quase inseparável – que existe há muitos anos. Assim, através dos inúmeros flashes, closes e muito “carão”, a fotografia de moda e de celebridades são curiosos tesouros que merecem ser explorados. Vindo diretamente dos profundos mares dos veículos de moda, cotidiano e de entretenimento, esse tipo de fotografia acaba sempre sendo expressa de forma muito autoral, refletindo ideias de seus image makers e fotógrafos, o que garante uma enorme variedade de estilos para agradar todos os gostos e também, para todas as marcas que se valem desses recursos em suas campanhas.

Apesar de que muitas vezes possam passar despercebidos em meio ao cotidiano, essas fotografias têm o propósito de ser quase que integralmente comerciais, ou seja, utilizadas por grandes grifes para vender seus produtos. Entretanto, este setor da fotografia também produz ensaios fotográficos de personalidades para revistas e veículos do ramo, em entrevistas e perfis sobre as celebridades, neles representados.

Com auxílio do professor doutor de jornalismo da Universidade de São Paulo, Atílio Avancini, selecionamos 10 fotógrafos de moda que tem um trabalho diferenciado e são amplamente reconhecidos no mercado por conta de suas produções artísticas, no mínimo, deslumbrantes.

 

Richard Avedon

Um dos clássicos personagens da fotografia de moda é Richard Avedon. Tradicionalmente em preto e branco, muitas de suas fotografias sempre acabam representando movimento, o que é tido como uma característica que denota espontaneidade. Quando se trata de ensaios direcionados à moda em si, Avedon evidencia esse movimento através dos tecidos esvoaçantes, por exemplo. Ao longo de sua carreira, o fotógrafo teve nomes extremamente importantes sob seu portfólio, como Audrey Hepburn, Marilyn Monroe, Bob Dylan, entre muitos outros. Em 2004, Richard morreu, deixando um incrível repertório, passando por revistas como Harper’s Bazaar e TIME.

 

Helmut Newton

Um outro exemplo de um dos clássicos fotógrafos de moda é Helmut Newton. Visando exaltar sensualidade, o fotógrafo utiliza da nudez – com certa frequência – em suas capturas, o que levou a ser rotulado de “pornochic”. As várias poses ousadas, sem qualquer peça de roupa são presença garantida em boa parte de seu acervo. Trabalhando com conceitos inovadores e ângulos antes inexplorados, ele marcou seu nome na história da moda, indo muito além do considerado padrão. Um de seus retratos mais famosos é do cantor David Bowie, tirado em 1982. Mas além desse, há muitos outros ensaios fenomenais, como o de Elsa Peretti, designer da Tiffany, realizado em 1975, no alto de um prédio com um conceito ao estilo “Coelhinha Playboy”, remetendo às dançarinas do clube noturno (da Playboy), que se vestiam de tal forma.

 

Patrick Demarchelier

“Demarchelier confirmou?” “De-mar-che..?” “Estou com Patrick”. Quem assistiu ao clássico do cinema O Diabo veste Prada, com certeza pode reconhecer os diálogos da cena, quando Andrea, inicialmente, não entende o pedido da editora-chefe, Miranda Priestly, até que ela finalmente pega o jeito. No entanto, possivelmente, o espectador não tem conhecimento sobre o que isso se trata realmente. E na verdade, o filme menciona o francês, Patrick Demarchelier, que é especialista na fotografia de moda. A maior parte de seus trabalhos é feito com utilização de efeitos preto e branco. Uma outra marca registrada de suas fotos é o movimento, assim como Avedon. Suas capturas normalmente evidenciam movimento, abusando do caimento de diversas peças de vestuário, que balançam com o vento, dando um efeito todo especial. Outra característica do estilo do fotógrafo é a produção clássica e simples, dando um toque muito delicado ao seu trabalho. Patrick Demarchelier já trabalhou com inúmeras modelos internacionais, além de ter feito muitos shootings com artistas como Madonna – em um ensaio estilo “Marylin Monroe” –  e também com a atriz Jennifer Lawrence.

 

Terry Richardson

Você já ouviu falar em Terry Richardson? Se a resposta for negativa, isso ainda não significa muito, pois, provavelmente, você já deve ter visto alguma de suas obras. Pelas lentes desse queridinho da fama, já passaram diversas celebridades em retratos para grandes grifes como Valentino, Marc Jacobs, e para revistas como Vogue, GQ, Vanity Fair e Vice. Sob seu portfólio aparecem importantes nomes, como: Gisele Bündchen, Jared Leto, Beyoncé, Lady Gaga, Angelina Jolie e até mesmo o ex-presidente Barack Obama, que protagonizou um ensaio do fotógrafo. Na realidade, uma simples pesquisa na internet “Terry Richardson + [qualquer famoso internacional]” provavelmente terá como resultado diversas fotos de algum de seus ensaios. Seu estilo busca exprimir sensualidade, sexualidade e beleza através de alguns quadros que favorecem e exploram a beleza real das pessoas, sem pesadas edições e efeitos, mostrando perfeição nas imperfeições. No entanto, parte da fama de Terry se deve ao fato de muitos reportarem suas atitudes inadequadas. Há muitas denúncias cercando o fotógrafo. Diversas vezes, ele incitou a ideia de que para uma modelo se tornar famosa ela precisa vender seu corpo, ou seja, relacionar-se com os “poderosos”. Além de rumores, há também evidências que comprovam seu comportamento deturpado e abusivo com suas modelos. Porém, ainda que continue influente no mundo glam, as coisas têm mudado para o fotógrafo. Diversas marcas e revistas, como a Vogue, disseram que não tem mais planos de trabalhar com ele. E sinceramente, não fizeram mais que a obrigação. É o mínimo que se espera após as inúmeras acusações e evidências que incriminam esse ótimo fotógrafo de péssimo caráter.

 

Annie Leibovitz

Com um estilo fotográfico que, muitas vezes, chega a se assemelhar com uma obra de arte, uma pintura, Annie Leibovitz é um nome consolidado dentre os supremos desse ramo da fotografia. Muitas de suas obras e ensaios se valem de um conceito similar à fantasia. O fantástico é sempre expresso com um toque de delicadeza em seus motivos, paletas de cores sempre repletas de diversas nuances e com cenários em meio à natureza, por exemplo, em que a fotógrafo se interessa por mostrar representações fantasiosas de seus retratados. No entanto, a fotógrafa costuma fazer também ensaios que fogem a esse estilo, porém, sem abrir mão do rotineiro cuidado minimalista. Um bom exemplo desse caso é o ensaio “Call me Caitlyn” à Vanity Fair, em que Caitlyn Jenner mostrou ao mundo pela primeira vez seu corpo após sua readequação de gênero. Além de trabalhos com a Vanity Fair, Leibovitz também já trabalhou para Vogue e Elle. Exemplos de suas inspiradoras fotografias é a foto utilizada na arte da adaptação do filme “Les Miserables” e outra icônica capa da Vogue com a presença da deslumbrante Meryl Streep, esticando sua pele facial.

 

Mario Testino

É impossível falar de fotografia de moda e retratos de famosos sem mencionar Mario Testino. O peruano é mais um dos que apostam na sensualidade para incrementar sua arte. Com maestria, Testino já trabalhou com inúmeros famosos do mundo todo em seus shootings. Ele é, atualmente, um dos fotógrafos que mais utiliza da nudez e sensualidade nos trabalhos. Foram muitos os nomes de pessoas que já se despiram em nome da arte perante esse grande nome da fotografia. Um exemplo recente desse seu tipo de trabalho é a série de fotografias “Towel series”, em que muitas celebridades e nomes da cultura pop – incluindo brasileiros –  utilizavam apenas uma toalha branca, com filtro preto e branco. Só nesta série de fotos, participaram Justin Bieber, Ansel Elgort, o ator Cauã Reymond, Gisele Bundchen, a modelo Gigi Hadid, a super renomada editora de moda americana Anna Wintour, entre muitos outros. Seu nome passou a ter mais evidência quando Lady Di, em 1997, pediu que ele a fotografasse para a revista Vanity Fair e, obviamente, desde então é só sucesso. O fotógrafo também já fez muitos trabalhos para outras revistas de moda, seus próprios livros e para grifes como Versace e Gucci.

 

David LaChapelle

Quando analisamos todas as produções do fotógrafo David LaChapelle os olhos chegam a brilhar. Tudo porque, na realidade, ao ver suas fotografias, vemos uma surpreendente explosão de cores. O estilo icônico do fotógrafo remonta vários aspectos da cultura pop, com muita cor, muita informação exposta ao mesmo tempo. Seu estilo já foi nomeado como surreal pop, kitsch pop, por lembrar diversos elementos pops na composição, além da utilização de muitas cores. Seus trabalhos já estamparam diversas revistas, como: Rolling Stone, Flaunt, Cosmopolitan e Interview.

 

Lindsay Adler

Ao contrário da explosão de cores mencionada anteriormente, Lindsay Adler é uma fotógrafa de moda que utiliza um conceito – também muito artístico – trabalhando com cores, mas, rotineiramente, mantendo-se presente apenas um tom por fotografia/ensaio. De qualquer forma, o preto é mais frequente nas suas produções. Suas escolhas ao manter, na maior parte das vezes, os figurinos e os cenários num mesmo tom, acabam resultando numa constante harmonia. Outro detalhe interessante sobre o trabalho de Adler é a presença supervalorizada dos cabelos de suas modelos, que ocupam muito do espaço disponível em tela. No entanto, apesar de tudo que já fora mencionado, Adler insiste em dizer que não tem um estilo e pensa apenas em inovar sempre, ela diz até que “Se fosse para eu definir um estilo para mim, eu não teria ideia de qual seria”. Dentre seus trabalhos e seus ensaios, Lindsay já colaborou com a Elle e a Zink Magazine.

 

Peter Lindbergh

Filtradas em um preto e branco muito delicado, as fotografias de Peter Lindbergh também o estabelecem no hall dos maiores fotógrafos de moda da atualidade. Seus retratos muitas vezes valorizam o profundo olhar de suas “personagens”. Apesar de um  grande investimento na delicadeza e beleza real, Lindbergh acaba expressando pessoas sérias e fortes, através de um tom dramático. Seus closes são sempre marcados por uma sensação mais pesada que, porém, pode também ser considerado um sinônimo de finesse. Em um ensaio, Peter mostra uma característica particular, que é trazer a moda para as ruas, com ensaios em meio ao cotidiano. Com trabalhos para as revistas W Magazine, Interview, Vanity Fair e diversas outras revistas de moda, o fotógrafo já retratou artistas como Jake Gyllenhaal, Rooney Mara, Kate Moss e o casal Brad Pitt e Angelina Jolie.

 

Claramente, não poderíamos excluir o Brasil dessa grande lista de incríveis talentos, afinal, nosso país também conta com grandes nomes desse ramo da fotografia, artistas que tem um trabalho excepcional.

 

Gal Oppido

Referindo-se a Gal Oppido, o professor doutor Atílio Avancini enfatizou que ele não poderia deixar de ser mencionado: “Mais que demais, pela ousadia”. É exatamente isso o que podemos dizer de Gal: a ousadia é algo que se sobressai em seus incríveis trabalhos. O fotógrafo é, originalmente, arquiteto, formado na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, mas já trabalha há anos na fotografia. Trabalho que já lhe rendeu diversos prêmios. O artista também já fotografou para a Vogue, além de ter realizado diversas exposições. Oppido também é um dos que apostam na nudez, porém, de uma forma desmistificada, muitas vezes também ocultando os rostos retratados. Suas icônicas e simbólicas fotografias são cheias de significado e merecem, certamente, um minuto (ou mais) da nossa atenção.

 

Klaus Mitteldorf

Outro arquiteto de formação, Klaus Mitteldorf é um dos fotógrafos mais icônicos e irreverentes do Brasil. Sua incrível fotografia é expressa em uma divina forma artística que chega a recordar o estilo de LaChapelle. Eles, no entanto, são bem distantes entre si. A vibração de suas fotografias é perceptível logo no primeiro contato. Seu trabalho explora brilhantemente as cores, que dão um fabuloso toque às capturas. Mitteldorf produz sua arte com muito enfoque em corpos e em vários símbolos, sempre presentes. O belo resultado final pode ser visto nas suas fotos cheias de contrastes, e em algumas de suas parcerias como nas revistas Vogue e Playboy –  na qual o fotógrafo fez um ensaio muito popular, com a cantora Tati Zaqui.

 

Bob Wolfenson

Bob Wolfenson é, dos brasileiros citados, o nome que mais trabalha com fotografia de moda realmente. Em seus mais de 40 anos de carreira, Wolfenson já fez diversos trabalhos muito relevantes e, claro, muito belos. Suas fotos sutilmente exprimem a sensação de verdades quase inquestionáveis. Apesar de brincar muito com o preto e branco, também costuma fotografar em cores. Em seus retratos, já capturou inúmeras celebridades brasileiras. Personalidades como Fernanda Montenegro, Marieta Severo, Pelé, Xuxa, entre outros já estamparam seus trabalhos. Dentre suas grandes realizações, encontram-se: um ensaio para o calendário dos 10 anos da São Paulo Fashion Week; um fenomenal ensaio comemorativo pelos 40 anos da Vogue Brasil com Gisele Bundchen; diversos ensaios para Rolling Stones, Harper’s Bazaar, Elle e Vogue, e muitos outros trabalhos para a Playboy, como um dos polêmicos, com a atriz Nanda Costa, em Cuba.

 

Seja em ações publicitárias, em editoriais de moda, ou apenas em ensaios quaisquer, a fotografia de moda e seus retratos ainda encantam nossos olhos e nos chama atenção para o incrível trabalho de diversos estilistas que vem revolucionando o mundo fashion, e nos dá ângulos inexplorados de várias celebridades. E essa relação que transcende as passarelas permanece fazendo muito sucesso, passando para as revistas e chegando ao coração dos fãs dessa cultura que não para de se renovar, causando forte impacto por onde quer que passam.

Por Gabriel Bastos
gabriel.bastos@usp.br

Sala 33
O Sala33 é o site de cultura da Jornalismo Júnior, que trata de diversos aspectos da percepção cultural e engloba música, séries, arte, mídia e tecnologia. Incentivamos abordagens plurais e diferentes maneiras de sentir e compartilhar cultura.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*