Home Lançamentos Com enredo intimista e emocionante, Border surpreende
Com enredo intimista e emocionante, Border surpreende
CINÉFILOS
10 abr 2019 | Por Cinéfilos

Por Crisley Santana
crisley.ss@usp.br

Uma vida entediante e sem surpresas. Da casa para o trabalho e do trabalho para casa. Um relacionamento que mais parece uma amizade. Suas maiores alegrias: pegar insetos com a mão, passear pela floresta e entrar no lago. É assim que Tina (Eva Melander) vive. Até o dia em que ela descobre não ser tão normal como imaginava, e tudo muda. Border (Grans, 2018) é sobre descobrir-se.

Tina leva uma vida comum. Trabalha em um aeroporto como segurança. Sua função é caso perceba que alguém esteja portando bebidas ou drogas, parar o indivíduo e recolher tais itens. Mas há uma peculiaridade na maneira com que ela faz isso: farejando. Enquanto seus colegas não percebem nada de estanho, Tina rapidamente evidencia haver algo de errado e barra o portador.

Em uma dessas ocasiões, parou um homem que carregava em seu cartão de memória um vídeo, cujo conteúdo fará a polícia, com a ajuda de Tina, desvendar um caso de pedofilia e pornografia infantil. Nesse meio tempo, ela conhece Vore (Eero Milonoff), homem misterioso que desperta sua atenção. Ela fareja algo estranho nele, mas não encontra nada.

A segurança fareja algo estranho no misterioso Vore. [Imagem: Reprodução]

Tina então, pede que seu colega de trabalho reviste o homem. Acaba por descobrir que ele possui uma cicatriz no mesmo lugar que ela possui. Intrigada, começa a investigar mais a fundo. Vai até seu pai e pergunta do que se trata, mas a resposta não parece ser verdadeira.

Pouco a pouco Tina e Vore vão se aproximando. Ela o convida para morar em sua casa de hóspede, e isso mudará tudo. Conforme a relação dos dois avança, a protagonista descobre coisas a seu respeito que jamais poderia imaginar. Seus aspectos únicos, que sempre a fizeram sentir-se tão diferente das outras pessoas, de repente passam a fazer sentido. “Quem eu sou?”, pergunta ela para Vore em uma das cenas.

O longa sueco, baseado no conto de John Ajvide Lindqvist, foi indicado ao Oscar de melhor maquiagem e penteados em 2019. Além de ter ganhado o prêmio da mostra Un Certain Regard, do Festival de Cannes em 2018. Não à toa.

A maquiagem do filme, certamente encanta os espectadores por sua naturalidade. Não parece tratar-se de uma máscara, mas de um rosto perfeitamente natural. O longa também é intimista. Traz quem assiste para o enredo de forma surpreendente. É quase impossível adivinhar o que vai acontecer na sequência. A música, e o foco da câmera em alguns detalhes, dá mais sensação de imersão ainda.

Com o lançamento previsto para o dia 11 de abril, dirigido por Ali Abbasi, Border (Grans, 2018) certamente irá surpreender e intrigar aquele que ousar adentrar seu universo.

Confira o trailer oficial do filme:

Cinéfilos
O Cinéfilos é o núcleo da Jornalismo Júnior voltado à sétima arte. Desde 2008, produzimos críticas, coberturas e reportagens que vão do cinema mainstream ao circuito alternativo.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*