Home Fazer Cinema Como funciona a votação do Oscar?
Como funciona a votação do Oscar?
CINÉFILOS
23 fev 2013 | Por Jornalismo Júnior

Todo o ano ocorre a premiação do Oscar. Filmes que se destacaram ao longo no ano anterior disputam, em uma noite de gala, um dos prêmios mais importantes do mundo do cinema. No entanto, para a estatueta dourada chegar às mãos de nossos indicados favoritos, ocorre todo um processo de inscrições, seleções e votações, que mobilizam os profissionais ligados à Sétima Arte e a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas (Academy of Motion Picture Arts and Science), responsável pela premiação.

Inscrições

Só para entrar na primeira disputa e poder se inscrever na corrida do Oscar, os filmes já devem atender a alguns requisitos da Academia. Por exemplo, o filme deve ser um longa-metragem com mais de 40 minutos de duração e deve ter ficado, no mínimo, sete dias consecutivo em cartaz de um cinema pago. É especificado, também, que o filme deve ter o formato (ou largura da película) de 35 mm ou 70 mm – que possuem qualidade superior se comparada a outras – ou formatos digitais.

Depois de analisados esses detalhes, se o produtor ou o distribuidor de um filme quiser inscrevê-lo à indicação de um Oscar, ele deve preencher, até o primeiro dia de dezembro, o Official Screen Credits, que se trata de um formulário que elenca os créditos da equipe de produção, atores e para todas as categorias que serão disputadas.

Seleções

Finalizadas as inscrições, a Academia faz uma lista com todos os filmes. A Reminder List of Eligible Releases é enviada em janeiro para todos os membros junto com uma cédula de votação. Diretores, produtores, atores e todos aqueles associados à Academia tem até duas semanas para devolverem as cédulas. Cada um escolhe apenas cinco indicados por categoria, de acordo com sua preferência, e na maioria delas, apenas pessoas vinculadas à área votam, por exemplo, diretores votam em diretores, produtores em produtores, e assim por diante. A exceção é a categoria de Melhor Filme, onde todos votam, e a categoria referente ao filme estrangeiro, que possuem regras diferenciadas.

E um ator ou atriz não podem ser indicados à categoria de Melhor Ator/Atriz e Melhor Ator/Atriz Coadjuvante simultaneamente, por um único papel. A escolha para qual categoria a pessoa será indicada é feita pelos votantes, e segundo a Academia, será atribuído ao ator/atriz a indicação que lhe for atribuída primeiro.

Todas as cédulas são encaminhadas, em sigilo, para a empresa PricewaterhouseCoopers, que faz a contagem dos votos e a lista das mais votadas, sendo cerca de cinco indicados para cada categoria. Em meados de janeiro, a Academia anuncia os indicados em uma coletiva de imprensa, e as cédulas da votação definitiva são enviadas aos membros.

Enfim, a votação

Os aproximadamente 5.810 associados – entre eles, nomes como Will Smith, Keira Knightley, Sofia Coppola, Quentin Tarantino e Elton John, por exemplo – têm cerca de duas semanas para fazerem suas escolhas. Aqui, todos os membros votam em todas as categorias. Depois disso, novamente a PricewaterhouseCoopers faz a contagem, que será divulgada apenas no dia da premiação. O Oscar é a segunda maior audiência televisiva dos Estados Unidos, perdendo apenas para o Super Bowl, final de liga de futebol americano. O envelope com o nome do ganhador de cada categoria viaja ao Teatro da cerimônia escoltado por policiais e passando por rotas alternativas. E para não ter erro, dois dos auditores que participaram da contagem de votos final decoram o nome de todos os ganhadores.

E com estrangeiros, como funciona?

Nas categorias documentário e filme estrangeiro, o país participante tem direito a inscrever um único título nacional para concorrer com os outros países. Depois desse processo, todos os filmes cadastrados são assistidos por um comitê especial, sendo obrigatória a inclusão de legendas em inglês. Esse comitê escolhe seis indicados, de nove possíveis. Os restantes são selecionados por outra comissão. A Academia explica isso como uma tentativa de evitar que filmes aclamados pela crítica internacional fiquem de fora das indicações.

Mas…

Mesmo com essa tentativa, no que diz respeito aos filmes estrangeiros, o Prêmio de Mérito da Academia recebe, todos os anos, críticas em torno da seleção e votação dos filmes indicados. Entre as principais queixas, está a ausência de filmes aclamados pelos fãs e as injustiças com filmes considerados superiores aos ganhadores.

Já que os indicados e vencedores são escolhidos de acordo com o gosto dos membros da Academia, o gosto da população em geral não é levado em conta. Então, filmes que possuem a finalidade-única de entretenimento, ou então que não possuam um enredo muito denso, mas lotam as salas de cinema, são logo descartados e ficam de fora da premiação.

Para esse tipo de crítica, compreende-se que para a escolha de fãs, existem outros tipos de premiações, como o People’s Choice. Mas a injustiça para com aquele ator preferido que arrasou em determinada atuação, ou aquele diretor consagrado que ficou de fora das indicações ou entre os vencedores do Oscar, não se tem o que fazer. Como é o caso de Alfred Hitchcock, Stanley Kubrick, Charles Chaplin e Johnny Depp, que jamais ganharam uma estatueta dourada.

Apesar de indicado pelo filme O Grande Ditador, Charles Chaplin nunca levou uma estatueta do Oscar para casa.

Por Jeanine Carpani

jeanine.carpani@gmail.com

TAGS
Cinéfilos
O Cinéfilos é o núcleo da Jornalismo Júnior voltado à sétima arte. Desde 2008, produzimos críticas, coberturas e reportagens que vão do cinema mainstream ao circuito alternativo.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*