Home Lançamentos Relações tóxicas são destaque em Dogman
Relações tóxicas são destaque em Dogman
CINÉFILOS
19 fev 2019 | Por Cinéfilos

Dogman (2018) não é para qualquer pessoa. Com grande foco nas relações entre os personagens, o longa tem um sabor amargo, é triste e desesperançoso. O filme acompanha a história de Marcello (Marcello Fonte), homem querido por toda vizinhança, mas que tem uma “amizade” com Simoncino (Edoardo Pesce), pessoa completamente problemática e que inferniza a vida de todos.

O protagonista apresenta dualidades e muitos impasses, sendo o principal deles sua relação com Simoncino. Marcello trabalha em uma espécie de petshop cuidando de cachorros e apesar de ser separado, mantém um bom relacionamento com a ex esposa e é muito próximo de sua filha pequena. Inclusive, os momentos entre pai e filha são muito bonitos. A garota sempre vai na loja do pai para ajudá-lo a cuidar dos cachorros e o acompanha em competições de penteados caninos, por exemplo. É nítido o amor entre ambos.

Então o espectador é levado a conhecer o outro lado da vida de Marcello, aquele que envolve Simoncino. Baseado completamente em um relacionamento tóxico, o protagonista nutre por ele um tipo de medo misturado à submissão. Não existe respeito. O dono do petshop fornecia cocaína para Simoncino, por exemplo, e mesmo pedindo para que ele não consumisse na loja porque sua filha estava lá, não adiantava. O personagem principal ficava de mãos atadas, pois não conseguia fazer nada para mudar isso.

A base da relação de Marcello e Simoncino é a violência [Copyright AlamodeFilm/Greta De Lazzaris]

A maneira como Marcello lida com essas situações pode causar raiva em quem assiste. Simoncino exerce uma espécie de poder sobre ele, que topa fazer absolutamente tudo pelo “amigo”. Muitas das vezes, o personagem principal toma atitudes que vão contra tudo aquilo em que acredita. Em certo momento, Simoncino o obriga a ajudar no assalto de uma casa. Durante o roubo, ele coloca um cachorro no congelador por estar latindo demais e, consequentemente, chamando atenção para o crime. Cenas depois, Marcello volta à casa para tentar salvar o animal.

A fotografia combina perfeitamente com o clima do filme. Todas as cenas possuem um tom acinzentado, como se a tela estivesse coberta com uma camada de sujeira. O uso de cores vivas é inexistente.

Existe um ponto de virada que faz com que as atitudes de Marcello mudem um pouco. Entretanto, mesmo com essa pequena alteração, fica nítido que ele ainda busca ser respeitado por Simoncino, sendo que a atitude mais coerente seria se afastar do homem que só lhe trouxe problemas.

Dogman é um filme desesperançoso e que serve apenas para mostrar o quão tóxica e prejudicial é a relação entre os personagens, repleta de violência e raiva. Muitas sinopses do longa o caracterizam como uma história de vingança. A única vingança que acontece se concentra no fato do protagonista buscar certa aceitação do homem que infernizou sua vida.

O longa estreia nos cinemas brasileiros dia 21 de fevereiro. Confira o trailer 

por Marcelo Canquerino
marcelocanquerino@gmail.com

TAGS
Cinéfilos
O Cinéfilos é o núcleo da Jornalismo Júnior voltado à sétima arte. Desde 2008, produzimos críticas, coberturas e reportagens que vão do cinema mainstream ao circuito alternativo.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*