Home Sem categoria Em Nome da Lei: Os Intocáveis do Brasil
Em Nome da Lei: Os Intocáveis do Brasil
CINÉFILOS
19 abr 2016 | Por Jornalismo Júnior

Por Luís H. Franco
luligot17@gmail.com

Sob a direção de Sérgio Rezende, Em Nome da Lei (2016) explora um gênero pouco produzido no Brasil: O thriller de investigação. No entanto, a produção está longe de alcançar os grandes filmes americanos, e muitos dos elementos do brasileiro parecem ter sido diretamente retirados de filmes passados.

O longa conta a história de Vítor (Mateus Solano), jovem juiz idealista que acaba de ser transferido para o fórum de Fronteiras. A pequena cidade na divisa entre o Mato Grosso do Sul e o Paraguai é comandada magnata Hildo Gomez (Chico Diaz), chefe contrabandista local que, aliado ao paraguaio Ramirez (Roberto Birindelli), arma um esquema para transportar cocaína através da fronteira e em direção a São Paulo. Poderoso e influente na região, Gomez comanda o crime na região por pelo menos trinta anos, sem nunca ter sido julgado ou condenado por seus feitos. Agora, com seu prestígio crescendo, ele planeja uma jogada maior e mais ambiciosa.

Acreditando ser capaz de derrubar todo o crime da cidade, Vítor não mede esforços para desmantelar a máfia de Fronteiras e ataca seus inimigos com toda a força que sua posição de juiz permite. Na luta contra o tráfico de drogas, o jovem juiz contará com a ajuda da promotora Alice (Paolla Oliveira) e do policial federal Elton (Eduardo Galvão), ambos experientes na maneira como a lei é conduzida na cidade e capazes de guia-lo em sua tarefa. Mas a arrogância do juiz, determinado a pôr um fim no esquema o mais rápido possível, o impede de ouvi-los e o levam a um perigoso conflito.

Em pouco tempo, Fronteiras se torna uma zona de guerra entre o ingênuo Vítor e o poderoso Gomez, intocável pelos métodos convencionais da lei. Em uma sequência de perseguições, atentados e muita ação, um esquema maior se desenrola, envolvendo não apenas os chefões do Paraguai e da cidade, mas também desembargadores, policiais e inclusive políticos. Sem ter em quem realmente confiar, Vítor tem que lutar pela própria vida, enquanto tenta fazer justiça em uma terra que a lei não alcança.

Personagens da esquerda para a direita: Elton (Eduardo Galvão), Vítor (Mateus Solano) e Alice (Paolla Oliveira)

 

Como thriller policial, Em Nome da Lei apresenta uma boa história e, até certo ponto, consegue nos ater à ação das personagens e à condução da investigação. As atuações de Mateus Solano e Paolla Oliveira deixam claras as preocupações de seus respectivos personagens e os sentimentos que sentem um pelo outro, seja no trabalho ou na vida pessoal. Mas a obra apresenta muitos clichês previsíveis e segue muito a onda de filmes americanos como Os Intocáveis (The Untouchables, 1987) de Brian de Palma. Alguns aspectos na caracterização das personagens, como o paladino da justiça recém-chegado que não conhece a maneira como a lei é feita na cidade ou o grande mafioso inatingível pela lei, são constantemente vistos nesse tipo de obra cinematografica, e não sofrem muitas alterações na produção de Sergio Rezende de forma a deixar as personagens mais interessantes. Além disso, muitas cenas pareceram ter sido simplesmente jogadas no roteiro. O romance entre Vitor e Alice é fracamente desenvolvido e ocorre de uma maneira muito rápida.

2

Apesar de seus pontos fracos, o filme é interessante e, em um momento onde o cinema nacional tem privilegiado muito comédias exageradas, é uma clara demonstração de uma tentativa de evolução para algo mais sério. Em Nome da Lei é uma obra já vista antes, mas são raras as produções brasileiras que se assemelham a este.

O longa estreia no dia 21 de abril de 2016. Confira o trailer:

https://www.youtube.com/watch?v=7i9zhlC-0wk

Cinéfilos
O Cinéfilos é o núcleo da Jornalismo Júnior voltado à sétima arte. Desde 2008, produzimos críticas, coberturas e reportagens que vão do cinema mainstream ao circuito alternativo.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*