Home Lançamentos Apesar de clichês, Intimidade Entre Estranhos consegue cativar
Apesar de clichês, Intimidade Entre Estranhos consegue cativar
CINÉFILOS
12 dez 2018 | Por Cinéfilos

Intimidade Entre Estranhos (2018), longa dirigido por José Alvarenga Jr., orbita em torno de duas personagens: Maria (Rafaela Mandeli) e Horácio (Gabriel Contente). Estranhos que devido à uma condição momentânea acabam adquirindo intimidade. A mudança de Maria para o Rio, com o objetivo de acompanhar seu marido Pedro (Milhem Cortaz),  que está atuando como protagonista numa série para TV.

O enredo começa ganhar corpo nas instabilidades psicológicas das personagens, às vezes, trabalhadas de forma leviana e irresponsável, como o uso indiscriminado de medicamentos que poderia ser trabalhado em tom de crítica, mas acaba limitando-se em elemento figurativo. O espectador é apresentado à relação conturbada que Maria possui com a cidade do Rio de Janeiro, devido ao suicídio de seu pai, que teve como plano de fundo a praia de Copacabana. Maria sofre repetidas crises ao longo do filme, encontrando amparo em seu remédio e, posteriormente, em Horácio, seu vizinho.

Nos primeiros minutos do filme, fica perceptível que o casal terá problemas e que Pedro será um marido ausente. Tal suposição concretiza-se, mesmo que com ressalvas. A relação do casal envolve diferentes camadas, que ora são apresentadas de maneira explícita e ora implícita ‒ como o passado alcoólatra de Pedro, ou o ápice da depressão de Maria.

De início, Horácio aparenta ser uma personagem fraca e sem personalidade própria, baseado inteiramente no clichê do adolescente melancólico. Após o espectador ser apresentado à sua história e passado, seus atos começam a fazer mais sentido. Ao desenrolar da trama, Maria e Horácio iniciam uma relação baseada na solidão: ela está só em uma nova cidade e ele vive sozinho após a morte de sua avó.

Horácio acaba apaixonado por Maria; o garoto tem 18 anos, ela é uma mulher casada com mais de 35. A narrativa começa ficar cada vez mais conturbada e não encontra uma resolução para todos os problemas que são apresentados. Há quem possa dizer que o longa acaba mal resolvido, mas nunca houve tal pretensão. Intimidade Entre Estranhos possui um roteiro cíclico. Ele finaliza no lugar onde começa, mas com perspectivas de mudanças para o novo ciclo.

O filme estreia no dia 13 de dezembro. Confira o trailer:

Por Carlos Ferreira
jcarlosferreira@usp.br

Cinéfilos
O Cinéfilos é o núcleo da Jornalismo Júnior voltado à sétima arte. Desde 2008, produzimos críticas, coberturas e reportagens que vão do cinema mainstream ao circuito alternativo.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*