Home Controle Remoto Looking e a temática gay nos seriados
Looking e a temática gay nos seriados
Controle Remoto
18 abr 2014 | Por Jornalismo Júnior

Looking é mais uma nova produção original da HBO que aborda os gays como temática central na história. A série se passa em São Francisco (EUA) e gira em torno de três amigos homossexuais – Patrick, Agustín e Dom -, e os dilemas de suas vidas.

Patrick é o cara confuso que busca um relacionamento sério a qualquer custo. Dom é o cara que chega aos seus 40 anos de idade e entra em crise por preferir se relacionar com pessoas mais novas. E Agustín já é compromissado com Frank, mas o casal vive o problema do desgaste ao decidir ir morar junto.

looking (1)

Dom (esquerda), Patrick (centro) e Agustín (direita). Foto: Divulgação/HBO

A avaliação do público e da mídia para Looking não foi ruim. No Metacritic, site americano que reúne uma média de críticas recebidas, o seriado tem nota 73/100 pela mídia e 7.9/10 como opinião do telespectador. Os maiores elogios dizem respeito à visão diferente de “mundo gay” que Looking traz na figura dos três amigos. Com um enredo mais voltado para as questões e conflitos amorosos, a série traz uma visão menos sexualizada dos personagens (o que não quer dizer que o sexo não está presente em suas vidas). Com isso, Looking conseguiu abarcar um público gay que se identificava com uma atmosfera mais amena, em contrapartida a algumas abordagens mais intensas da vida de um homossexual.

Mas por que seriados gays são importantes?

Apesar de hoje em dia haver mais seriados que dizem respeito aos LGBTTs, ainda há muito debate a ser feito na mídia e muitos preconceitos a serem quebrados. A falta de diversidade de abordagens nas séries é um desses assuntos. “A temática [do homem] gay é muito mais abordada, em seguida a temática lésbica e, muito raramente, a questão trans é citada. Esse quadro mostra o quanto precisamos caminhar em direção à igualdade em todos os setores”, diz Diego Santos, militante das causas LGBTT.

lookingUma das séries promissoras desse rompimento com o conservadorismo foi Queer As Folk, exibida de 2000 a 2005, uma época bem próxima em que a temática gay ainda era bastante desvalorizada. O público-alvo esperado pela produção era de homens homossexuais, porém atingiu a audiência inclusive de mulheres heterossexuais. A série mostra um estilo de vida gay mais agitado do que aquele ambiente representado por Looking, então a recorrência de festas e cenas sexualmente mais fortes é muito maior. Porém, não se reduz a isso e mostra a vida sexual das/dos personagens também como um canal de conflito. Além dessa temática, infinitos outros assuntos são abordados, como se assumir, casamento entre pessoas do mesmo sexo, adoção para um casal gay e discriminação no trabalho devido à orientação sexual.

Para Diego, esta série “trouxe para o público um pouco dos dramas do mundo gay mostrando que sofremos e amamos exatamente como todo mundo”, e que os assuntos foram tratados com muita profundidade na história. O único lado ruim, aponta ele, é que a série “não conseguiu transpor o mundo gay para as outras questões LGBTs”. Esta barreira se aplica a um contexto geral, além das séries, pois é necessário que se espalhe outras discussões desse público – como as questões de gênero – tanto entre os militantes quanto na sociedade como um todo.

William Nunes
willnunes94@gmail.com

 

Sala 33
O Sala33 é o site de cultura da Jornalismo Júnior, que trata de diversos aspectos da percepção cultural e engloba música, séries, arte, mídia e tecnologia. Incentivamos abordagens plurais e diferentes maneiras de sentir e compartilhar cultura.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*