Home Guardarroupa Moda sustentável: mais do que se vestir bem
Moda sustentável: mais do que se vestir bem
Guardarroupa
26 jul 2013 | Por Jornalismo Júnior

“A moda não é algo presente apenas nas roupas, a moda tem a ver com ideias, a forma como vivemos, o que está acontecendo.” É com esse pensamento que Coco Chanel se tornou uma das maiores estilistas de todos os tempos. E se a moda tem a ver com o que está acontecendo, nada mais justo que esta se adapte às necessidades do mundo, que atualmente se solidificam em torno da preservação do meio ambiente.

O consumo responsável é um dos pilares em que se baseiam a moda sustentável. Apesar da fama de que quem gosta de moda desperdiça muita roupa nova, trocando de guarda roupa a cada estação, essa prática tem se tornado cada vez menos comum, porque além da preocupação com a sustentabilidade ter aumentado muito nos últimos tempos, isso já era mal visto até mesmo nos anos 1920, quando a moda foi revolucionada por Chanel.

coco

“Sou contra a moda que não dure. É o meu lado masculino. Não consigo imaginar que se jogue uma roupa fora, só porque é primavera”, afirmava Coco Chanel. Divulgação

 

Fibras orgânicas, reaproveitamento, reciclagem e comércio justo são alguns dos outros pilares que sustentam a chamada ecofashion. O reaproveitamento tem como principal aliado os brechós, que superaram preconceitos de só possuírem roupas velhas ou estragadas. Hoje, muitos vêem esses locais como sinônimo de estilo e elegância. Além de poder comprar roupas exclusivas, e que tenham tudo a ver com seu estilo por um preço justo, as pessoas reutilizam peças que provavelmente iriam para o lixo quase sem serem usadas.

 

Os brechós são a saída para quem procura renovar o guarda-roupa sem desperdiçar peças novas.

Os brechós são a saída para quem procura renovar o guarda-roupa sem desperdiçar peças novas. Foto: divulgação

 

Roupas produzidas a partir de matérias reutilizadas e fibras orgânicas também estão com tudo. Na São Paulo Fashion Week de 2011, Oscar Metsavaht e Alexandre Herchovitch lançaram suas primeiras peças com materiais sustentáveis. A Osklen, de Metsavaht, apresentou uma coleção inteira tingida artesanalmente com pigmentos naturais e algumas peças feitas com algodão orgânico, que não utiliza químicos em seu cultivo. Herchovitch trouxe para a passarela do seu desfile mais uma inovação para a época: uma calça, um paletó de manga curta e uma casaca sem mangas, feitos a partir de um tecido 100% reciclado. A reutilização de materiais na confecção eleva em 30% o preço final do produto, mas mesmo assim a ecofashion consegue encontrar mercado, um público disposto a pagar um pouco mais para ajudar a preservar a natureza.

 

São Paulo Fashion Week 2011, onde Osklen e Alexandre Herchovitch levaram a moda sustentável para as passarelas do Brasil. Foto: divulgação

São Paulo Fashion Week 2011, onde Osklen e Alexandre Herchovitch levaram a moda sustentável para as passarelas do Brasil. Foto: divulgação

 

A partir da necessidade de valorização e fortalecimento de uma moda eco-friendly, surgiram eventos que promovem desfiles com as principais marcar engajadas nessa causa, como o Rio Eco Moda, idealizado pela atriz Isabel Fillardis no Rio de Janeiro, e o ECOERA, em São Paulo, realizado por Chiara Gadaleta, consultora de moda e criadora do movimento “Ser sustentável com estilo”. Algumas das marcas que desfilaram na 2ª edição, em São Paulo foram Será o Benedito, que reaproveita lona de caminhão em suas peças, Vuelo, marca de acessórios reinventados a partir de câmara de pneu e Zerezes, que produz óculos em madeira reaproveitada.

 

 Desfile da Vuelo na 2ª edição da ECOERA, em abril de 2013. Foto: divulgação

Desfile da Vuelo na 2ª edição da ECOERA, em abril de 2013. Foto: divulgação

Se baseada em todos esses pilares, a moda pode ser hoje encarada como uma aliada da preservação do meio ambiente, afinal, estar na moda também significa estar em paz, com a consciência limpa, e fazendo a sua parte para a construção de um mundo melhor. E se a ditadura de trocar o guarda roupa a cada estação falar mais alto, lembre-se: A moda sai de moda, o estilo, jamais.

Por Amanda Manara
amandapmanara@gmail.com

 

 

 

 

Sala 33
O Sala33 é o site de cultura da Jornalismo Júnior, que trata de diversos aspectos da percepção cultural e engloba música, séries, arte, mídia e tecnologia. Incentivamos abordagens plurais e diferentes maneiras de sentir e compartilhar cultura.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*