Home Lançamentos Muita irresponsabilidade é pouco!
Muita irresponsabilidade é pouco!
CINÉFILOS
16 mar 2012 | Por Jornalismo Júnior

Um verdadeiro terror psicológico para quem tem o mínimo de juízo. Projeto X – Uma Festa Fora de Controle é uma comédia (ou humor negro) do mesmo diretor de Se Beber Não Case – o estadunidense Todd Phillips. Filmada a la Atividade Paranormal, Projeto X foi rodado em found footage. Esse estilo é caracterizado por uma filmagem feita com apenas uma câmera, em primeira pessoa, como se fosse um documentário.

Para ficarem populares na escola, três jovens resolvem preparar uma super-festa de aniversário para Thomas (Thomas Mann). Seus pais viajaram e a casa ficaria livre por um final de semana. O numero de convidados permitido – segundo os pais de Thomas, apenas quatro para comemorarem com uma pizza – passou dos limites.

A escola inteira, as redes sociais e até uma rádio local anunciaram o evento. O resultado? Óbvio. Uma festa fora de controle! Sexo, drogas, música alta, meninas nuas, pulos do telhado, objetos quebrados e um vizinho revoltado. Vontade de ficar com as garotas, de enlouquecer com substâncias ilícitas, de fazer amigos, de entrar para história.

Assim é o filme – proibido para menores de 18 anos. Uma comédia que diverte em alguns momentos, mas inquieta o espectador na maioria das cenas. No início, ficamos próximos dos três personagens principais e vivenciamos a emoção da preparação da festa. Quando tudo sai do controle, a angústia toma conta da diversão e temos a vontade de pular dentro da tela. Mas, infelizmente, no fim, os acontecimentos se assemelham a uma ficção científica.

Ou seja, o filme convence no começo, desespera no meio e frustra no final exagerado.

Se você quiser saber o que significa “muita irresponsabilidade é pouco”, vá ao cinema e assista Projeto X – Uma Festa Fora do Controle.

Por Caroline Monteiro
cahcma26@gmail.com

Cinéfilos
O Cinéfilos é o núcleo da Jornalismo Júnior voltado à sétima arte. Desde 2008, produzimos críticas, coberturas e reportagens que vão do cinema mainstream ao circuito alternativo.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*