Home Os reis do iê-iê-iê no cinema
Os reis do iê-iê-iê no cinema
CINÉFILOS
11 mar 2014 | Por Jornalismo Júnior

por Bruna Eduarda Brito
brunaeduarda.brito@gmail.com

Os Beatles foram descobertos a mais de 50 anos. Eles venderam cerca de 1 bilhão de álbuns no mundo todo e se tornaram uma das bandas mais famosas da história, além de um grande sucesso da indústria do entretenimento. Depois de tanto tempo, seus fãs continuam apaixonados e a beatlemania ainda é um fênomeno forte.

    Os filmes protagonizados por eles ou com referência ao grupo são elementos importantes para ajudar a contar a história da banda. Alguns deles foram produzidos para divulgar os discos, outros para mostrar melhor como era o fênomeno da beatlemania, entre outros temas. A trilha sonora é o ponto forte da maioria dos filmes. Composta pelas músicas do quarteto, torna a produção atrativa não só para os fãs, mas para quem gosta de boa música.

   Conheça alguns dos filmes mais famosos inspirados na banda:

Os Beatles antes dos Beatles

    O longa Backbeat – Os Cinco Rapazes de Liverpool (Backbeat, 1994), do diretor Ian Softley, mostra o período em que a banda ficou alguns meses em Hambugo, Alemanha. O filme se passa no começo dos anos 60 e conta como foi o início do grupo, que tinha cinco integrantes e só tocava covers em um bar desconhecido da cidade.

protectedimagephp

Cena de Backbeat – Os Cinco Rapazes de Liverpool

   O quinto integrante, Stu Sutcliffe, era considerado um péssimo baixista e parecia ter mais inclinação para as artes plásticas do que para a música. Sua forte amizade com John lennon, no entanto, o ajudou a continuar na banda. O desinteresse de Stu pelo grupo aumenta quando ele se apaixona pela fotógrafa Astrid Kirchherr, que fez as primeiras fotos de divulgação da banda, e começa a focar na sua carreira como artista plástico. A relação conflituosa entre o baixista e o resto da banda, inclusive John, o obriga a deixar o grupo. Logo depois, os Beatles gravam seu primeiro disco e começam a fazer sucesso.

   O drama conta com ótimas interpretações e uma trilha sonora não só com músicas do Beatles, mas também com sucessos dos anos 50 como Love Me Tender, do cantor Elvis Presley. O filme conta com um excelente enredo e possui um final trágico e ao mesmo tempo animador, motivos que o tornam uma boa indicação não só para os fãs dos Beatles.

Retratos da Beatlemania

    Alguns filmes foram importantes para dar uma dimensão do que era esse fênomeno na época. Seja mostrando do que os fãs eram capazes, como em Febre de Juventude (I Wanna Hold Your Hand, 1978) ou incentivando a admiração dos fãs, como nos filmes produzidos para divulgar as músicas.

    A produção Os Reis do iê iê iê (A Hard Day’s Night, 1964), dirigida por Richard Lester foi a primeira estrelada pelos Beatles e é um registro sobre o auge do sucesso da banda. A comédia retrata um dia fictício na vida dos garotos, no qual eles viajam de trem até Londres para se apresentar em um programa de televisão. Para conseguirem se apresentar, no entanto, precisarão se livrar das fãs histéricas que os perseguem por todos os lugares, da imprensa, dos produtores nervosos e do avô encrenqueiro de Paul McCartney.

a-hard-days-night

Os reis do iê-iê-iê

    A ideia do filme era divulgar a banda e aproveitar seu sucesso para vender discos e ganhar um bom dinheiro com bilhetereia, e os produtores conseguiram. O filme custou 175 mil libras, cerca de 350 mil dólares, e só na primeira semana de distribuição rendeu US$ 8 milhões. Não havia um roteiro bem definido, cada um deles decorava uma frase e improvisava o resto na hora. Mesmo assim, o filme se tornou um dos mais lucrativos produtos cinematográficos de todos os tempos.

    Outros filmes estrelados pelo quarteto vieram logo depois e não foram tão bem aceitos como o primeiro. Help! (idem, 1965), também do diretor Richard Lester, não teve uma boa aceitação do público. O filme foi gravado em Londres, Bahamas e Alpes Suíços e nele os Beatles são perseguidos por membros de um culto indiano que querem o anel que Ringo está usando.

    Já Magical Mystery Tour (idem, 1967), foi um filme que além de estrelado foi produzido pelos Beatles. Logo na sua estréia, no canal de televisão BBC, sofreu duras críticas. Uma segunda exibição no canal foi cancelada.

    A animação Yellow Submarine (idem, 1968) tinha a intenção de disseminar a beatlemania entre novas gerações e foi idealizada pelo produtor do grupo, Brian Epstein. O filme conta a história de um lugar feliz chamado Pepperland, onde a Banda do Sargento Pepper está sempre tocando a sua música. Os malvados Blue Mennies, no entanto, querem acabar com a alegria de Pepperland e os Beatles são chamados para combatê-los.

    A beatlemania é retratada fielmente no filme Febre de Juventude , lançado em 1978. Nele, vemos as loucuras dos fãs para chegar perto da banda, e o desespero, na maioria das vezes das garotas, ao vê-los em uma apresentação. O fanatismo é tanto que em uma passagem do filme, um fã tenta arrancar um pedaço do carpete em que os Beatles pisaram. Essa e outras cenas engraçadas dão ao filme um ar divertido de uma aventura da sessão da tarde.

0b8f449vlcsnap272

Febre de Juventude (I Wanna Hold Your Hand)

    A trama se passa em torno da primeira ida dos Beatles aos EUA, em 1964, para se apresentar no programa de televisão de Ed Sullivan, famoso apresentador americano. O acontecimento é real, tanto que no começo do filme vemos uma gravação da banda desembarcando na América. Essa primeira aparição dos Beatles na televisão americana alcançou 74 milhões de telespectadores, e esse fenômeno de “conquista da América” é bem retratado no filme.

Os Beatles e uma história de amor

    Across the Universe (idem, 2007) é uma das mais recentes produções que envolvem Os Beatles. O ousado musical, dirigido por Julie Taymor, desenvolve sua história por meio das letras de músicas da banda.

    Através da história de amor entre o inglês Jude, que foi para os EUA procurar seu pai e a americana Lucy, que se torna uma pacifista após seu irmão ser mandando para a guerra, vemos um retrato do turbulento fim da décade de 60. O movimento hippie, a resistência negra e os protestos contra a Guerra do Vietnã são elementos bem retratados no filme através das músicas.

    A trilha sonora conta com 33 músicas dos Beatles que, dependendo do momento em que aparecem na trama, podem dar novos entendimentos aos clássicos da banda. Todas foram interpretadas pelos próprios atores e não tiveram a letra modificada, apenas a melodia. Elas são executadas por completo, tornando o filme um pouco longo. As cenas fantásticas e por vezes psicodélicas, no entanto, tornam a produção muito envolvente.

Across_the_Universe_6lg

Personagens do musical Across The Universe

    Na época de seu lançamento, o filme não foi bem avaliado pelos críticos, que viram alguns personagens da trama como dispensáveis e também acharam que muitas cenas não “se encaixavam”. Para quem gosta da banda, porém, o filme é encantador. Além de ter ótimas versões das músicas, ele faz diversas referências aos Beatles e às suas músicas. Surgem no filme personagens com nomes vindos das músicas do grupo, como Lucy, Jude, Sadie, Mr. Kite e Prudence.

    O modo como as canções da banda encaixam bem em diversos fatos históricos e dilemas daquele tempo, talvez mostrem como os Beatles souberam interpretar a época em que viveram. É um filme que, mesmo com alguns problemas, vale a pena ser visto. Principalmente pelos fãs da banda.

 

TAGS
Cinéfilos
O Cinéfilos é o núcleo da Jornalismo Júnior voltado à sétima arte. Desde 2008, produzimos críticas, coberturas e reportagens que vão do cinema mainstream ao circuito alternativo.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*