Home Guardarroupa Oscar Freire: Flagship Stores
Oscar Freire: Flagship Stores
Guardarroupa
14 dez 2016 | Por Jornalismo Júnior

Com um dos metros quadrados mais caros da América Latina, a Rua Oscar Freire já foi considerada, em 2008, a oitava mais luxuosa do mundo. Suas calçadas niveladas e claras, sua fiação toda subterrânea e seu ambiente arborizado fazem com que, não por acaso, seja um dos pontos de comércio mais elegantes de São Paulo. Ela é nossa Quinta Avenida ou nossa Champs-Élysées, e segue a tradição europeia das avenidas de lojas de luxo. Teve seu esplendor de 2004 a 2006, porém, com a inauguração dos shoppings Cidade Jardim e JK Iguatemi, grifes internacionais – como Dior, Louis Vuitton, Cartier, entre outras – saíram da via. Desde 2009, a presença de marcas brasileiras está muito mais forte. Mas a rua não perdeu seu quê chic: as flagship stores vieram e mostraram sua importância.

Fachada comemorativa dos 10 anos da Galeria Melissa, em 2015. Imagem: Reprodução

Entendidas como uma forma de criar identificação com o público e refletir a marca, as lojas conceito utilizam-se de diversas estratégias para alcançar esse feito. A Galeria Melissa, por exemplo,de cinco em cinco meses, convida artistas para realizarem intervenções em sua fachada, que sempre é repaginada de acordo com a coleção. É uma loja única, e seu diferencial são suas instalações artísticas.

Imagem: Iolanda Paz

Em agosto, um poodle amarelo de cinco metros de altura foi instalado na entrada da galeria. Erika Palomino, responsável pela curadoria, foi quem desenvolveu a ideia. O cenário ao seu redor é povoado por sobreposição de imagens e cores. Tudo reflete os sapatos da nova coleção – Mash up –, que tem como tema o mix de referências antigas a novas criações. A gerente da loja explica que, na Galeria Melissa, o cliente sente como se estivesse no universo da marca: tudo é muito colorido e o cheirinho de Melissa pode ser sentido até mesmo da rua.

Imagem: Reprodução

Imagem: Reprodução

As lojas conceito também têm grande facilidade em brincar com a arquitetura do local, o que não é possível em shopping centers. Com isso, espelham a personalidade da marca. A Havaianas, por exemplo, foi construída em um formato retangular e moderno que rapidamente pode ser associado ao das caixas de seus produtos. Além disso, todo o seu interior é decorado para remeter ao ambiente original de praia. A loja reúne a linha completa de sandálias da marca e elas podem ser customizadas em inúmeras combinações de solas, tiras e pins.

Imagem: Iolanda Paz

Em sua maior loja mundial, a Chilli Beans aposta em exclusividade para o endereço da Oscar Freire. São mais de 2 mil produtos, sendo que 20% deles são exclusivos. Os clientes ainda podem criar modelos em um computador e retirá-los na mesma hora. É possível levar óculos antigos para reciclá-los – comprando novos com desconto. A loja também conta com modelos assinados por Alexandre Herchcovitch, Isabela Capeto, entre outros estilistas em parceria com a marca.

Imagem: Reprodução

Já a flagship da Cavalera reflete bastante a identidade da marca paulistana: street wear e rock’n’roll. Alberto Hiar, um dos sócios, inspirou-se na casa de um rockeiro para criá-la. No meio do salão, está disposta a bateria de Igor Cavalera, ex-membro da banda brasileira de metal Sepultura. O teto é decorado com uma obra do grafiteiro Onesto. Há, ainda, uma charmosa barbearia no endereço, com decoração inspirada no lifestyle da cidade californiana de Los Angeles.

Imagem: Reprodução

Imagem: Iolanda Paz

Ao proporcionarem uma experiência única, as flagships stores são o cartão de visita das grifes, ou seja, uma forma de demonstrarem toda a sua potência. E não é mera coincidência que os endereços procurados em São Paulo estejam na Rua Oscar Freire, uma via de referência no mundo da moda. Quando as marcas brasileiras inauguraram suas lojas nela, investiram alto em busca de posicionamento de mercado. A Riachuelo, por exemplo, alinhou-se ao patamar da rua em sua loja conceito de 3 andares – que visivelmente difere das clássicas lojas de departamento da marca. Nela, coleções especiais são dispostas, além das tradicionais. Em seu topo, ainda foi construído um terraço, onde eventos exclusivos de lançamento são promovidos.

Por Iolanda Paz
iolanda.rpaz@gmail.com

Sala 33
O Sala33 é o site de cultura da Jornalismo Júnior, que trata de diversos aspectos da percepção cultural e engloba música, séries, arte, mídia e tecnologia. Incentivamos abordagens plurais e diferentes maneiras de sentir e compartilhar cultura.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*