Home Craque da Vez Pikachu: do Pará para o mundo — a eletrizante jornada de Yago nos gramados globais
Pikachu: do Pará para o mundo — a eletrizante jornada de Yago nos gramados globais

Conheça a história do menino que começou jogando em um campinho de rua em Belém do Pará, conquistou o mundo do futebol e se tornou inspiração para muitos paraenses

ARQUIBANCADA
30 out 2023 | Por Luíse Silva (luisehomobono2516@usp.br)

A trajetória de Yago Pikachu no futebol é marcada por sua habilidade técnica, versatilidade e constância. Ele conquistou o reconhecimento tanto em clubes paraenses, quanto em times de destaque no cenário nacional, e demonstrou sua relevância no futebol brasileiro.

Trajetória de vida: dos campinhos do Benguí aos gramados nacionais

Glaybson Yago Souza Lisboa nasceu em 5 de junho de 1992, em Belém do Pará. O jogador cresceu no bairro periférico do Benguí e descobriu as suas habilidades ainda menino nos campinhos de rua com seus amigos. O apelido “Pikachu” surgiu devido à semelhança de seu estilo de jogo com a velocidade, a agilidade e a ofensividade do famoso personagem Pikachu, do desenho animado Pokémon. O apelido se tornou bastante popular entre os fãs de futebol.

O jogador Yago (agachado, ao centro) no time de base da Tuna Luso [Imagem: Reprodução/ Blog / Tuna Luso]

Desde jovem, Pikachu demonstrou talento e paixão pelo futebol. Ele iniciou sua trajetória nas categorias de base da Tuna Luso e do Clube do Remo, um dos principais times da sua cidade natal, e logo ganhou destaque.

No entanto, foi no Paysandu Sport Club, outro clube paraense, que Yago Pikachu começou a ganhar destaque. Ele fez sua estreia como profissional em 2012 e rapidamente se tornou uma peça importante da equipe. Ao atuar principalmente como lateral-direito, Pikachu mostrou habilidade, velocidade e capacidade ofensiva, tornando-se um dos jogadores mais promissores do futebol paraense.

O início de carreira de Yago Pikachu no Paysandu foi em 14 de janeiro de 2012 [Imagem: Reprodução/ Instagram/ @Paysandu]

Payxão pelo Pikachu: o jogador que conquistou o coração dos torcedores e fez história

Yago Pikachu teve uma trajetória marcante no Paysandu Sport Club, rival direto do Remo no estado do Pará. Além de jogar na lateral, ele se diferenciou por sua versatilidade, e teve oportunidades como meio-campista e até mesmo como atacante.

Pikachu dando entrevista após jogo pelo Paysandu, em 2015 [Foto: Fernando Torres / Ascom Paysandu]

Nesse período, Yago Pikachu foi parte fundamental das equipes do Paysandu que conquistaram quatro títulos consecutivos do Campeonato Paraense (2013, 2014 e 2016) e a Copa Verde de 2016. Essas conquistas demonstraram a capacidade do jogador em ajudar o time a ter sucesso no cenário regional.

Yago conquistou o coração da torcida do Paysandu e se tornou ídolo da torcida biolor graças a sua dedicação, a sua entrega em campo e ao seu amor pelo clube, o que gerou uma conexão especial entre o jogador e os fãs bicolores. “O Pikachu foi um dos sonhos que o Pará teve de ser um dia uma estrela do futebol e que conseguiu”, diz Rafael Gomes, torcedor do Paysandu que acompanha o time desde 2011. 

Vasco da Gama: despedida de casa e novo recomeço

A qualidade e a regularidade do jogador em campo chamaram a atenção de outros clubes, o que culminou em sua transferência para o Vasco da Gama, do Rio de Janeiro, em 2016. A partir desse momento, Yago Pikachu deu sequência a sua carreira em clubes de maior expressão e projeção no cenário nacional — o que se deveu muito a sua passagem pelo Paysandu.

A ida de Pikachu para o Vasco da Gama ocorreu em 2016. Naquele ano, ele já havia se destacado no Paysandu e despertado o interesse de clubes de maior expressão no cenário nacional. O Vasco, um clube tradicional do Rio de Janeiro e com grande torcida, identificou o potencial de Yago Pikachu e fez uma proposta para sua contratação. A negociação foi concluída, e ele se transferiu para o clube carioca.

Yago Pikachu com torcedores vascaínos em Belém do Pará [Imagem: Reprodução/ Instagram @vascodagama]

No Vasco, Yago Pikachu manteve seu bom desempenho, consolidando-se como um dos destaques da equipe. Ele se tornou um jogador fundamental na campanha de acesso à Série A do Campeonato Brasileiro em 2016, quando o Gigante da Colina foi o terceiro colocado da Série B. Mais tarde,  o jogador teve participação importante em outras competições disputadas pelo clube.

Em 2018, o Vasco da Gama disputou a Copa Libertadores da América, uma das competições mais prestigiadas do continente. Apesar da eliminação da equipe na fase de grupos do torneio, Pikachu teve participação relevante ao marcar dois dos três gols que o time fez nas seis partidas disputadas.Durante sua passagem pelo Vasco, Yago Pikachu conquistou títulos do Campeonato Carioca. O clube foi campeão em 2016 e 2018.

A camisa cruz-maltina foi aquela que Yago Pikachu mais vezes vestiu: 184 [Imagem: Reprodução/ Instagram @yagopikachu]

Do Pará para o mundo

Em 2021, Yago Pikachu deixou o Vasco, foi contratado pelo Fortaleza, mas após um ano e meio foi transferido para o Shimizu S-Pulse, um clube japonês que ficou de junho a dezembro de 2022. Ele teve uma breve experiência no futebol asiático antes de retornar ao Brasil.

Anúncio da contratação do jogador Yago Pikachu para o time japonês, que foi motivo de piada por parte dos torcedores devido à semelhança com os “santinhos” eleitorais [Imagem: Reprodução/ Instagram / @spulse_official]

Em 2022, Yago Pikachu foi contratado pelo Fortaleza Sport Club, time do estado do Ceará. Ele chegou ao clube com grande expectativa e contribuiu para a equipe em sua campanha no Campeonato Brasileiro e outras competições.

Camisa 22 do Leão comemora gol da vitória contra o Corinthians pelo Brasileirão, em setembro [Imagem: Reprodução/ Instagram @yagopikachu]

No dia 1º de fevereiro de 2023, o jogador completou 100 jogos pelo Fortaleza. Foram 30 gols marcados e 17 assistências realizadas em cinco competições disputadas. Hoje, já são 158 jogos, 39 gols e 25 assistências pelo Leão do Pici.

Inspiração para os paraenses

A história de vida de Yago Pikachu é importante para muitos paraenses por diversos motivos. Sua trajetória demonstra que dedicação e talentos é possível superar desafios e alcançar grandes feitos, e inspira jovens atletas e pessoas que, assim como ele, vêm de origem humilde. “O Yago Pikachu me inspira porque muitas vezes não acreditam em nós por sermos paraenses”, diz Enzo Nascimento, jogador do time de base do Paysandu, na categoria sub-13.

Yago Pikachu (à direita), ainda criança, com o manto bicolor [Imagem: Reprodução/ Twitter/ @yagopikachu02]

Além disso, Yago Pikachu representa uma conexão especial entre os paraenses e o futebol, pois é um dos poucos jogadores nascidos no estado que conseguiram se destacar em clubes de maior expressão nacional. Sua história é um orgulho regional e uma mostra de que talentos locais podem contribuir para o cenário do futebol brasileiro. “Como paraense, sinto-me bastante representado, porque ele [Yago Pikachu] era só mais um entre muitos e, do nada, se tornou um jogador de sucesso sul-americano”, acrescenta o torcedor bicolor Rafael Gomes. 

O jogador também é um símbolo de identificação e amor à camisa para muitos torcedores do Paysandu. Sua dedicação, entrega em campo e identificação com o clube geraram uma conexão profunda com a torcida e fizeram dele um ídolo e uma referência para os fãs do time.

Yago Pikachu é extremamente identificado com a torcida do Paysandu [Imagem: Reprodução/ Twitter/ @yagopikachu02]

A história de vida de Yago Pikachu é fonte de  inspiração para aqueles que sonham em seguir carreira no futebol. O jogador transcendeu o futebol e se tornou um ícone esportivo e uma figura admirada não apenas pelo seu talento, mas também pelos valores que representa e pelo lugar de onde vem.

Arquibancada
O Arquibancada é a editoria de esportes da Jornalismo Júnior desde 2015, quando foi criado. Desde então, muito esporte e curiosidades rolam soltos pelo site, sempre duas vezes na semana. Aqui, o melhor de todas as modalidades, de todos os pontos de vista.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*