Home Água na Boca Resenha gastronômica: Eataly SP
Resenha gastronômica: Eataly SP
Água na Boca
08 maio 2018 | Por Jornalismo Júnior

Todas as imagens por Maria Eduarda Nogueira

Aberto em 2015 no Brasil, o Eataly pode ser considerado um complexo italiano. Isto porque não se resume a ser apenas um restaurante ou apenas um empório com produtos diferentes: na verdade, esse point gastronômico é sede de 13 locais de alimentação e de um mercado recheado de comes e bebes italianos, que se espalham no amplo espaço de 4500 metros quadrados, na Avenida Juscelino Kubitschek.

O nome Eataly surgiu de um trocadilho muito bem pensado: eat (comer, em inglês) + Italy. Ao adentrar o gigantesco complexo, já nos sentimos um contato com a própria Itália, que é a inspiração e motivação do espaço, além de ser um destino muito procurado por pessoas do mundo inteiro. Enquanto a viagem dos sonhos no verão italiano não chega, temos uma amostra desse país maravilhoso no coração do Itaim Bibi.

Ao adentrar o gigantesco espaço do Eataly, já vemos placas informativas escritas tanto em português quanto em italiano. Ou seja, para quem está aprendendo ou tem interesse, é um ótimo modo de entrar em contato com a língua.

     

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Outro símbolo marcante é um banner gigante que carrega a frase síntese do local: “É difícil ser simples”. Percebemos isso logo na primeira impressão, uma vez que a arquitetura aberta do espaço e a variedade de opções são um deleite aos olhos. É quase impossível sair do complexo em menos de três horas, pois cada detalhe encanta e parece merecer uma foto para o Instagram. A estética atraente e um tanto quanto minimalista, a vibe italiana, o barulho de conversas animadas, a dinamicidade do mercado e a enorme quantidade de marcas italianas são diferenciais que tornam o Eataly não apenas um lugar agradável, mas também aconchegante, fazendo com que aquelas três horas pareçam minutos.

No segundo pavimento, tem-se a maior parte dos restaurantes, que servem desde frutos do mar, carnes com cortes nobres e, é claro, massas e pizzas. Nessa experiência, o restaurante escolhido foi a Rossopomodoro Cucina e Pizzeria. Dentre as várias opções do cardápio, as pizzas são definitivamente a especialidade da casa.

Apesar de serem classificadas como individuais, as pizzas da Rossopomodoro servem tranquilamente de 2 pessoas. O sabor é esplêndido e realmente diferenciado da maioria das pizzarias que temos aqui no Brasil, uma vez que seguem uma tradição de pizza napolitana, que consiste em massa elástica, crosta alta e longa fermentação. Para aqueles acostumados com bordas recheadas e massas extremamente finas, talvez haja um estranhamento, mas que não impedirá uma deliciosa experiência gastronômica.

Próximo à Rossopomodoro, há uma imensa de seleção de bebidas, com vinhos e cervejas especiais. Para os apreciadores de bebidas finas e colecionadores, é um prato cheio; para os simplesmente curiosos, é também um ótimo lugar para experimentar novos sabores.

O primeiro andar do complexo é composto, em sua maioria, pelo amplo empório. Lá, há diversas opções de molhos, massas, doces, cosméticos, utensílios, azeites e sucos diferenciados geralmente de origem italiana. Para aqueles que desejam explorar a gastronomia da Itália em sua verdadeira essência, o empório do Eataly é uma parada obrigatória.

Quem prefere uma alimentação mais saudável não é excluído: há uma grande seleção de verduras, legumes e frutas orgânicas.

As opções gastronômicas não param por aí…

O Eataly também conta com vários livros de culinária, disponíveis para compra. Apesar da presença massiva de livros de chefes italianos, há também um toque brasileiro, como, por exemplo, os livros da consagrada Bela Gil.

A proposta é legal e inovadora, uma vez que oferece oportunidade para pessoas explorarem a gastronomia italiana, através das múltiplas receitas disponibilizadas nos livros. Assim, é possível comprar os ingredientes no próprio empório e já começar seu prato no momento em que chegar em casa. Para aqueles que não sabem nem como acender um fogão, há salvação!

A vibe italiana se confirma a cada cantinho do complexo. Próximo da seção dos livros, podemos ver as famosas cafeteiras italianas, também chamadas de cafeteiras moka. Os preços são salgados e podem parecer absurdos para aqueles que não admiram tanto “a arte do café”, uma vez que uma cafeteira custa, em média, R$250. Esteticamente, são muitos bonitas e fotogênicas, ótimas para fotos conceituais no Instagram.

Um dos points que mais marca no primeiro andar do Eataly é definitivamente o quiosque da Nutella. Para aqueles que adoram o creme de avelã, é melhor se prepararem. A vontade é de experimentar cada item do cardápio!

Em frente ao quiosque, podemos comprar diversos doces italianos, além da célebre Nutella. A estratégia de marketing é forte e é difícil não levar um potinho para casa.

Outro serviço bem legal oferecido pelo Eataly são os cursos de culinária. No segundo andar, podemos ver “La Scuola di Eataly”, onde ocorrem tais eventos. Em geral, eles duram um dia e são focados em massas italianas. Você pode conferir quais vão ser oferecidos através do site.

E aí? Incluiu o Eataly na sua lista de lugares para visitar? O que mais atraiu seu interesse nesse gigantesco complexo italiano?

Endereço: Av. Pres. Juscelino Kubitschek, nº 1489 – Itaim Bibi, São Paulo – SP

Horários de funcionamento:

Loja

Quarta, quinta, sexta-feira e sábado das 8h às 24h.
Domingo das 8h às 23h

Restaurantes

Quarta, quinta, sexta-feira e sábado das 11h30 às 24h
Domingo das 11h30 às 23h

Por Maria Eduarda Nogueira
mariaeduardanogueira@usp.br

 

 

Sala 33
O Sala33 é o site de cultura da Jornalismo Júnior, que trata de diversos aspectos da percepção cultural e engloba música, séries, arte, mídia e tecnologia. Incentivamos abordagens plurais e diferentes maneiras de sentir e compartilhar cultura.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*