Queen: O show deve continuar

17 de setembro de 2015  |  por Sala 33
Queen: O show deve continuar

Com os ingressos esgotados, a banda britânica Queen se apresentou em São Paulo na última quarta feira (16). Grande atração para o Rock in Rio 2015, que começará nesta sexta (18), a atuação da banda não deixou a desejar entre os fãs.  A turnê pelo Brasil conta com o guitarrista Brian May e com o baterista Roger Taylor, ambos da formação inicial da banda, além da participação de Adam Lambert nos vocais.

O público que lotou o Ginásio do Ibirapuera nessa quarta feira era do mais variado: adultos, idosos, jovens e até mesmo crianças. Todos em um clima de ansiedade para ver os veteranos do rock May e Taylor, mas também com um ar de dúvida em relação à atuação de Adam nos vocais. A responsabilidade de cantar as músicas tão conhecidas por uma das vozes mais importantes do rock ‘n’ roll não é pequena, mas durante o show Lambert conquistou desde os fãs mais jovens até os mais velhos.

Os portões abriram as sete horas, para que o público tivesse tempo de entrar e se acomodar com folga, enquanto as caixas de som tocavam clássicos do rock, como AC/DC, Beatles e Led Zeppelin. O show, assim como previsto, começou às dez horas e assim que subiram a cortina, o público se deparou com um palco cheio de luzes e cores. A banda tocou clássicos da carreira, como “The show must go on”, “I want to break free” e “Radio Ga Ga”.

Quem duvidava da performance de Lambert mudou de opinião logo no início. O cantor esbanjou simpatia e, com muita presença de palco, interpretou músicas como “Killer queen”, na qual ele cantou em um sofá roxo, se abanando com um leque dourado. Surgiram comparações entre o cantor de 33 anos, ex-American Idol, e o antigo vocalista da banda, Freddie Mercury (1946-1991), porém a banda deixa claro que a intenção não é substituir em nenhum aspecto o ídolo do Queen, mas sim proporcionar um belo show para os saudosos e para os novos fãs. Nesse sentido, quase no meio do show, o emocionado Brian May assume sozinho o palco e, conversando com a plateia em um português que outros artistas invejariam, propõe uma homenagem à Freddie. Segue-se então uma linda versão acústica da famosa “Love of my life”, cantada e tocada por May, seguida de imagens de Mercury no telão principal. O momento belo e nostálgico arrancou lágrimas de muitos fãs, mesmo daqueles que não chegaram a conhecer o Queen com a presença de Freddie Mercury.

Apesar de momentos de saudades, como em “These are the days of our lifes”, em que gravações antigas da banda completa rodaram no telão principal, a apresentação foi majoritariamente enérgica e animada. Com direito à um duelo de bateria entre Roger Taylor e seu filho, Rufus, e um solo de guitarra de Brian May, os fãs puderam apreciar seus ídolos de todas as maneiras. Além disso, o show contou com uma música solo de Adam Lambert (“Ghost town”), reforçando a ideia de que ele não está ali para substituir Freddie Mercury e de que os membros originais do Queen apoiam e incentivam o tão jovem cantor.

Outro momento em que os fãs contaram com imagens e com a voz de Mercury no telão principal foi bem no final do show, em “Bohemian Rhapsody”, quando intercalaram-se o vídeo de Mercury e a performance de Lambert. Além disso, também foi exibido um trecho do clipe original no meio da performance.

Para a última música (“We are the champions”), a banda deixou o palco para trocar de roupa e Brian May apareceu, com muita simpatia, com uma camisa do Brasil. Além disso, Adam Lambert (que exibiu cinco figurinos diferentes durante o show) veste-se com uma coroa e uma bandeira do Brasil enrolada no corpo em referência ao modelo usado pelo próprio Freddie Mercury em passagem pelo Brasil.

A banda – mas principalmente May e Taylor – foi ovacionada ao agradecer ao público no fim do show e diversas vezes entre as músicas. A passagem do Queen por São Paulo contou com uma produção impecável: um palco eletrizante, show de luzes, telões gigantes, canhões de papel picado e fumaça. Mas o grande espetáculo foi a performance de seus membros, que provaram que a idade não mudou em nada seu talento, seu amor ao palco e aos fãs, além de mostrarem imenso respeito ao ícone do Queen, Freddie Mercury.

Para aqueles que não conseguiram garantir um ingresso para a apresentação da banda em São Paulo, no Rio de Janeiro ou em Porto Alegre, vale a pena fazer uma pausa na rotina para assistir o show que eles farão no Rock in Rio (que promete ser outro grande espetáculo) nesta sexta feira (18) à meia noite com transmissão ao vivo pelo Multishow.

Por Marina Caporrino
marinacaputtino@hotmail.com

Comentários