Home Especiais Tóquio 2020 | Rebeca Andrade termina a final do solo na quinta colocação
Tóquio 2020 | Rebeca Andrade termina a final do solo na quinta colocação

Ginasta brasileira sofre penalizações durante apresentação e não consegue subir ao pódio

ARQUIBANCADA
02 ago 2021 | Por Maria Carolina Milaré Albuquerque (mariamilare@usp.br)

Na manhã de segunda-feira (2), Rebeca Andrade disputou a final do solo de Ginástica Artística e obteve a nota de 14.033, com uma penalização por ter pisado fora do tablado na finalização de um dos movimentos acrobáticos. A brasileira realizou sua série com uma versão adaptada do funk brasileiro “Baile de Favela”

As adversárias apresentaram desempenhos melhores que os da etapa de classificação, e a nota da brasileira não foi suficiente para subir ao pódio. A ginasta americana, Jade Carey, ficou com o ouro, com uma nota de 14.366; a prata ficou para a italiana Vanessa Ferrari com 14.200; e o bronze, para a ginasta Mai Murakami, do Japão, e para a russa Angelina Melnikova, ambas com a nota 14.166.

A nota da final do solo de Rebeca foi inferior à nota conquistada no mesmo aparelho na disputa do Individual Geral, com uma pontuação de 13.666. Na etapa classificatória, a brasileira alcançou uma nota maior ainda, fazendo 14.066 pontos, a quarta melhor nota. Nas finais, é tendência da arbitragem ser mais rigorosa com os julgamentos e descontar mais pontos por pequenos erros.

Desde Pequim 2008, com a classificação de Daiane dos Santos, nenhuma ginasta brasileira chegava à final do solo. Os Jogos Olímpicos de Tóquio foi a segunda participação da brasileira em Olimpíadas. Na Rio 2016, Rebeca disputou apenas a final do individual geral, que terminou em 11º lugar, e da final por equipes.

Durante o ciclo olímpico de Tóquio — os cinco anos de preparação que antecedem os Jogos —, Rebeca precisou realizar duas cirurgias no mesmo joelho: a primeira em 2017, após romper o ligamento cruzado no Mundial de Montreal, e a última em 2019, quando torceu o joelho operado na disputa do Campeonato Brasileiro. Apesar das complicações, a atleta demonstrou rápida recuperação e impressionou o Brasil com seu desempenho na Olimpíada.

Rebeca terminou sua participação nos Jogos Olímpicos com duas medalhas inéditas: Ouro na final do salto, seu principal aparelho; e prata na final do Individual Geral. Até os Jogos de Tóquio, a Ginástica Artística feminina não tinha conquistado ainda nenhuma medalha olímpica. Rebeca, ainda, foi a primeira mulher brasileira a conquistar mais de uma medalha em uma mesma edição das Olimpíadas.

Após o fim da competição, Rebeca disse à Globo estar muito feliz com todas suas apresentações, desde o primeiro dia. Ela também comentou que sente orgulho de suas conquistas, pois acredita que pode servir de inspiração para outros atletas, e também, agora as pessoas puderam conhecer melhor sua história e a história do esporte.

*Imagem de capa: [Ricardo Bufolin/CBG]

Arquibancada
O Arquibancada é a editoria de esportes da Jornalismo Júnior desde 2015, quando foi criado. Desde então, muito esporte e curiosidades rolam soltos pelo site, sempre duas vezes na semana. Aqui, o melhor de todas as modalidades, de todos os pontos de vista.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*