Home Especiais Tóquio 2020 | Uma manhã de muita natação em Tóquio
Tóquio 2020 | Uma manhã de muita natação em Tóquio

Confira a cobertura de tudo que rolou nas finais e semifinais da natação do oitavo dia olímpico

ARQUIBANCADA
31 jul 2021 | Por Laura Guedes (lauraguedes@usp.br)

Na noite do dia 30 no Brasil e na manhã do dia 31 de julho no Japão, importantes finais e semifinais da natação aconteceram. O favoritismo de premiados atletas foi confirmado e os Estados Unidos brilharam com a conquista de dois ouros. O brasileiro Bruno Fratus também fez bonito e garantiu uma vaga na final dos 50m livre masculino.

Final dos 100m borboleta masculino

A expectativa em cima do recordista olímpico e mundial desta prova, o estadunidense Caeleb Dressel, foi cumprida: ele ganhou ouro e definiu um novo recorde mundial, com tempo de 49.45 segundos.

O húngaro Kristof Milak ficou com a prata. Andrei Miakov, do Comitê Olímpico Russo, estava na briga pelo terceiro lugar, mas acabou em quarto. O bronze foi para o suíço Noe Ponti.

Natação Austrália

McKeown e Seebohm são grandes nomes da natação australiana [Imagem: Instagram/Kaylle McKeown]

Final dos 200m costas feminino

Apenas três países se classificaram para essa final inédita na Natação, sem nenhuma atleta das Olimpíadas de 2016: China, Austrália e Canadá.

A canadense Kylie Masse liderou a prova até os 150m, quando foi ultrapassada pela australiana Kaylle McKeown, que levou o ouro. A prata ficou com Masse.

O pódio ainda contou com mais uma nadadora da Austrália: Emily Seebohm, no bronze. Seebohm virou em sétimo nos 100m e se recuperou, alcançando a terceira colocação.

A imparável Ledecky [Imagem: Instagram/Kathleen Ledecky]

Final dos 800m livre feminino

A grande favorita, Kathleen Ledecky, conquistou seu tricampeonato nesta prova. A estadunidense já havia ganhado três medalhas em Tóquio — duas pratas e um ouro — e agora soma mais uma dourada à sua coleção.

A australiana Ariarne Titmus conseguiu manter-se na segunda colocação e levou a prata. O bronze foi para a Itália, com Simona Quadarella, que assumiu a terceira posição no meio da prova.

Final dos 4x100m revezamento misto

A primeira equipe a ser ouro na estreia desta prova nos Jogos Olímpicos foi a Grã-Bretanha. Os britânicos ainda estabeleceram um recorde mundial, com o tempo de 3:38:58.

China, Comitê Olímpico Russo e Itália lutaram pelo pódio se alternando, também, nas primeiras posições. Os chineses ganharam a prata. Os australianos ultrapassaram os russos e os italianos, conquistando o bronze.

Bruno Fratus é favorito para trazer medalha para o Brasil [Imagem: Instagram/Bruno Fratus]

Semifinal dos 50m livre masculino

Na primeira semifinal desta prova, o francês Florent Manaudou ficou em primeiro lugar, o brasileiro Bruno Fratus em segundo e o holandês Thom de Boer em terceiro.

Na segunda semifinal, a ordem de posições foi: o estadunidense Caeleb Dressel, o grego Kristian Gkolomeev e o britânico Benjamin Proud.

Na classificação para a final, os oito melhores tempos foram: Caeleb Dressel (EUA), Florent Manaudou (FRA), Bruno Fratus (BRA), Kristian Gkolomeev (GRE), Benjamin Proud (GBR), Michael Andrew (EUA), Lorenzo Zazzeri (ITA) e Thom de Boer (HOL).

Natação austrália

McKeon fez o melhor tempo da semifinal dos 50m livres feminino [Imagem: Instagram/Emma McKeon]

Semifinal dos 50m livre feminino

Na primeira semifinal desta prova, a dinamarquesa Pernille Blume ficou em primeiro lugar, a sueca Sarah Sjoestroem em segundo e a holandesa Ranomi Kromowidjojo em terceiro.

Na segunda semifinal, a ordem de chegada foi: a australiana Emma McKeon, a estadunidense Abbey Weitzeil e a polonesa Katarzyna Wasick. McKeon bateu o recorde olímpico, com tempo de 24 segundos.

Na classificação para a final, em ordem: Emma McKeon (AUS), Pernille Blume (DIN), Sarah Sjoestroem (SUE), Abbey Weitzeil (EUA), Katarzyna Wasick (POL), Cate Campbell (AUS) e Ranomi Kromowidjojo (HOL). Na oitava posição, um empate das chinesas Wu Qingfeng e Zhang Yufei. Wu ficou com a vaga após o desempate.

A final dos 50m livre masculino e feminino acontecem hoje (31), às 22h30 pelo horário de Brasília.

Arquibancada
O Arquibancada é a editoria de esportes da Jornalismo Júnior desde 2015, quando foi criado. Desde então, muito esporte e curiosidades rolam soltos pelo site, sempre duas vezes na semana. Aqui, o melhor de todas as modalidades, de todos os pontos de vista.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*