Home Lançamentos Vingança a Sangue Frio: machista, homofóbico e racista
Vingança a Sangue Frio: machista, homofóbico e racista
CINÉFILOS
11 mar 2019 | Por Cinéfilos

Vingança a Sangue Frio (Cold Pursuit, 2019) começa quando Kyle (Micheál Richardson) é assassinado. Seu pai, Nels Coxman (Liam Neeson), sai em busca de seus assassinos e começa a matar toda uma rede de criminosos. Apesar de parecer interessante quando colocado dessa forma, te garanto que não é.

Coxman passou de Cidadão Honorário para assassino valentão da noite para o dia, literalmente. Uma perda brusca pode mudar uma pessoa rapidamente, mas a forma como foi feita no filme quebra radicalmente a narrativa que vinha sendo criada e não cativa, já que mal se conhecia os personagens antes dos acontecimentos.

O longa tenta colocar personagem principal na posição de mocinho que tem dificuldades em tirar a vida de alguém. Quando, na verdade, ele começa uma onda de assassinatos sem fim e acaba por perder mais um membro de sua família pela imprudência.

Outro grande problema no filme são as mortes. Se espera um pouco de ação, brigas e duas partes machucadas. Mas a realidade é um homem de idade mais avançada que mata os maiores criminosos da região como se estivesse esmagando uma formiga. É como se ele nem precisasse se esforçar e o filme perde toda a emoção que poderia ter ao trazer cenas de ação.

Pai procura assassinos de seu filho [Copyright Studiocanal GmbH / Doane Gregory]

A narrativa em si também não possui uma boa construção, é rápida, joga várias de informações e mortes desnecessárias sobre os espectadores, não prende a atenção, tampouco comove (mesmo usando a questão apelativa de perda de um membro da família).Quando tenta trazer a polícia e, talvez, uma reviravolta o filme decepciona novamente. O policial corrupto tem um ótimo coração e a policial durona não consegue se impor e seguir seus instintos, estando a sombra de um homem.

Aliás, o roteiro até tenta quebrar o padrão e colocar uma mulher em destaque nesses momentos, mas a forma como é colocado passa a sensação contrária: de que ela está ali apenas para obedecer às ordens dadas por homens que a cercam.

Personagens negros? Bem o filme possui um que faz uma participação inferior a 10 minutos em um longa com duas hora de duração e vem na versão mal caráter que não honra sua palavra. E por mais que o longa tente trazer diversas etnias, como a indígena e a asiática, faz isso de maneira artificial e estereotipada que no fundo só reforça preconceitos, trazendo risos forçados a partir de piadas idiotas. Além de tudo, apesar de trazer a homoxualidade não traz de maneira natural, ao contrário, caso o casal gay fosse descoberto poderia ser morto.

A estreia foi adiada no Brasil devido a repercussões de uma entrevista dada por Liam Neeson ao The Independent, na qual declara querer uma vingança contra um “preto bastardo”. O ator tem sido acusado de racismo nas redes, o que não é muito diferente da proposta do filme.

Vingança a Sangue Frio chega aos cinemas brasileiros no dia 14 de março, mostrando o que não deve ser feito em um filme. Assista o trailer aqui:

por Thaislane Xavier
thaislanexavier@usp.br

TAGS
Cinéfilos
O Cinéfilos é o núcleo da Jornalismo Júnior voltado à sétima arte. Desde 2008, produzimos críticas, coberturas e reportagens que vão do cinema mainstream ao circuito alternativo.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*