Home Na Estante O universo da mitologia para todos os públicos
O universo da mitologia para todos os públicos
Na Estante
13 jan 2020 | Por Laura Toyama (laura.toyama@usp.br)

[Imagem de capa: Fios de Nylon/Carla Correia]

Os mitos gregos sobre o surgimento do universo e as relações entre homens, deuses e seus destinos são o fio condutor da coletânea de histórias que compõe o livro de Jean-Pierre Vernant

O autor, antropólogo e historiador francês, Jean-Pierre Vernant, aborda em O Universo, os Deuses e os Homens (Cia das Letras, 2000) as peripécias de seres divinos e suas interferências na vida da humanidade antiga de forma cômica e simples. Trazendo mitos clássicos que vão desde a criação do Universo até a Guerra de Tróia, mescla realidade e ficção numa incrível narrativa. Como resultado, diverte e nos leva a conhecer mais sobre o nascimento da historiografia do Ocidente. 

Logo no início, nos revela que sua principal motivação para unir as narrativas no sucinto livro é pessoal: transmitir para o neto seus estudos de forma simplificada e lúdica. Também tinha a intenção de despertar o interesse de curiosos de todas as idades para que conhecessem o rico passado deixado pelos gregos.

A forma de narrar é o que os difere: os mitos, transmitidos originalmente pela fala, se adaptam às formas prosaicas e estendidas, compreendidas mais facilmente por dezenas de gerações acostumadas com a escrita e com o registro físico de seu passado. 

A pintura O concílio dos Deuses (1483/1520), de Rafael Sanzio, representa os deuses da mitologia grega no Olimpo, onde acreditava-se ser sua morada [Imagem: Reprodução]

Ainda sobre o formato da narrativa, é voltada para um público infantojuvenil moldado pelas novas tecnologias a receber o conhecimento de forma imediata. Como uma forma de condensar milhares de anos de mitologia num único texto, Jean-Pierre cria uma obra  ideal para disseminar os alicerces de nosso passado. 

É também interessante apontar o salto que é capaz de fazer entre os poemas épicos e as tragédias gregas, datadas em muitos séculos depois das primeiras narrativas mitológicas na Grécia Antiga. Tanto o formato da história como seus objetivos para o povo que os desenvolveu se distinguem muito, e é necessária muita articulação para colocá-los no mesmo livro.

O livro é uma coletânea das primeiras histórias da humanidade, e a mitologia, a base de inúmeras civilizações que nasceram depois dela. A valorização do passado e da compreensão do mundo antigo sobre sua própria origem e existência é o que norteia essa obra repleta de aventuras e seres imaginários. 

Ao fundir registros reais do passado dos homens e sua forma atemporal de narrá-lo, Vernant deixa claro a importância da História como instrumento de desenvolvimento das sociedades modernas e sua auto reflexão. A História, na verdade, é a verdadeira protagonista em meio a dezenas de personagens e suas jornadas. 

Ulisses (Odisseu), personagem do poema homérico, se amarra ao mastro do próprio barco para resistir às sereias de uma das ilhas que visita em sua jornada [Herbert James Draper, Ulisses e as sereias (1909) / imagem: reprodução]

Munido de explicações e um completo glossário no final, o livro é a prova de que as ciências humanas e a literatura por mais complexas e desafiadoras que sejam  podem ser explicadas para qualquer um que tenha interesse em aprendê-las. A História Antiga, ainda em descoberta e pesquisa, pode ser contada e conhecida, séculos depois,por crianças e adultos que queiram se aventurar em seus mistérios.

Sala 33
O Sala33 é o site de cultura da Jornalismo Júnior, que trata de diversos aspectos da percepção cultural e engloba música, séries, arte, mídia e tecnologia. Incentivamos abordagens plurais e diferentes maneiras de sentir e compartilhar cultura.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*