Home Controle Remoto Silicon Valley: em tempos de “New Internet”
Silicon Valley: em tempos de “New Internet”
Controle Remoto
23 abr 2017 | Por Jornalismo Júnior

Àqueles que se cansaram da fórmula cada vez mais repetitiva que The Big Bang Theory (2007 –) tem seguido, Silicon Valley (2014 –), que lança neste domingo sua quarta temporada pela HBO, pode ser um ótimo substituto. A série que a cada ano cresce em público e indicações – a última temporada foi lembrada pelo Emmy e Globo de Ouro como melhor série cômica –, conta a história de seis colegas que tentam fundar sua própria startup de tecnologia no Vale do Silício. Seguindo os acontecimentos da terceira temporada, quando a empresa quase acaba devido a uma fraude para melhorar as estatísticas de acesso, esse primeiro episódio prossegue com o desenvolvimento do aplicativo de videoconferência que os salvou da falência.

No entanto, Richard (Thomas Middleditch) começa a dar sinais de que não seja isso que ele realmente queira fazer, quando prefere, por exemplo, refinar a qualidade de vídeo (que se mostra imperceptível aos olhos dos amigos) ao invés de otimizar o sistema de dados dos usuários. Pouco a pouco, o episódio parece convergir para o destino certo: Richard deixa a empresa para criar a própria startup que promete revolucionar o Vale, a “New Internet”. Frente a isso, é de se notar o tom mais dramático, que de fato sempre acompanhou a série, em meio à sua abordagem cômica. E Middleditch é perfeito em equilibrar os dois tons, escondendo por trás de seu semblante bobo e passivo, um conflito interno que muito se refletirá nas linhas de código durante a série. Mas nada disso o afastará de seus amigos, uma vez que como os trailers mesmo deixam claro, muito provavelmente Richard os aliciará para levar o projeto adiante.

Quanto a comédia, o estilo continua seguindo a linha do absurdo, ao ponto de uma das gags ser a de Gavin (Matt Ross) pedindo que seu assessor faça dois trajetos de avião diferentes, para provar a seu colega que o seu destino era de fato mais próximo do que o que havia sido feito. Mas por si só a dinâmica de Richard, Erlich (T. J. Miller), Big Head (Josh Brener), Bertram (Martir Starr), Dinesh (Kumail Nanjiani) e Jared (Zach Woods), e suas personalidades excêntricas já entregam um ambiente propício para as maiores loucuras (e tiradas) do universo nerd. Se a popularidade se mantiver, com o grupo ainda longe de atingir seu primeiro milhão de usuários, ainda estamos longe de um data limit; só esperamos que a série não acabe entrando num root infinito, e se perca em seu source code tão original.

https://www.youtube.com/watch?v=mydFes629og

Por Natan Novelli Tu
natunovelli@gmail.com

Sala 33
O Sala33 é o site de cultura da Jornalismo Júnior, que trata de diversos aspectos da percepção cultural e engloba música, séries, arte, mídia e tecnologia. Incentivamos abordagens plurais e diferentes maneiras de sentir e compartilhar cultura.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*