Home Escuta Aí The Day I Tried To Live: Chris Cornell e seu legado
The Day I Tried To Live: Chris Cornell e seu legado
Escuta Aí
18 jun 2017 | Por Jornalismo Júnior

No último 18 de maio, Chris Cornell, vocalista de bandas como Soundgarden, Audioslave e Temple of the Dog, foi encontrado morto em um quarto de hotel em Detroit, Michigan, nos Estados Unidos, deixando uma legião de fãs órfãos de mais um grande ícone do grunge. segundo autópsia, o cantor, de 52 anos se enforcou na noite da última quarta-feira após realizar um show.

Pioneiro da cena grunge de Seattle dos anos 1990, ao lado de bandas como Pearl Jam, Nirvana e Alice in Chains, Cornell era conhecido por sua voz rasgada, suas performances intensas e seu som pesado com o Soundgarden. A banda, fundada em 1984 por ele ao lado de Kim Thayil e Hiro Yamamoto, foi a primeira da lista de bandas notórias que passaram pelo currículo do músico. Com uma estimativa de mais de 30 milhões de discos vendidos ao redor do mundo, ganharam notoriedade na década de 90 com músicas como Black Hole Sun, Spoonman e Feel on Black Days. Diluíram-se em 1997 devido a brigas internas, porém voltaram a se reunir em 2010 e permaneceram realizando apresentações desde então, lançando até mesmo um álbum de estúdio em 2012, intitulado King Animal.

Também durante as atividades do Soundgarden, Cornell criou o supergrupo chamado Temple of the Dog, que continha nomes como Eddie Vedder, Mike McCready, Matt Cameron, Stone Gossard e Jeff Ament. O grupo surgiu em 1990 como forma de homenagear Andrew Wood, vítima de uma overdose no mesmo ano e vocalista da Mother Love Bone, outra banda presente na cena grunge de Seattle. Tendo apenas um álbum lançado, que recebeu o mesmo nome da banda, destacam-se músicas como Hunger Strike e Say Hello 2 Heaven, ambas escritas por Chris Cornell. O grupo encerrou suas atividades em 1992, mas chegou a se reunir posteriormente em algumas ocasiões.

Soundgarden, 1990. Crédito: Soundgarden World

Em 2001, após o fim do Soundgarden, Cornell fundou o Audioslave, junto com Tom Morello, Brad Wilk e Tim Commerford, ex-membros do Rage Against the Machine. Com três álbuns de estúdio, algumas indicações ao Grammy e um show inesquecível em Cuba, a banda lançou músicas memoráveis como Like A Stone, Show Me How To Live, Be Yourself e I Am The Highway. Em 2007, Cornell deixou a banda alegando diferenças artísticas, fazendo com que os outros membros encerrassem suas atividades.

Entretanto, Chris não fez sua carreira apenas em cima de bandas. Além de ser um cantor nato, com uma voz diferenciada e única, Cornell também se destacava como um grande compositor. Foram cinco álbuns solos lançados de 1999 até os dias atuais, além da música tema para a trilha sonora do filme Casino Royale, chamada You Know My Name.

Chris Cornell toca com Soundgarden em Portland, 2014. Créditos: Paul Lorkowski

Segundo Marisa Cassiano, administradora da página Soundgarden Brasil no Facebook há três anos e fã assídua do cantor desde 1994, Cornell “sempre teve o total domínio do palco, independente de estar à frente de uma banda, ou sentado num banquinho com seu violão. Ele era um artista completo e tinha um magnetismo que conquistava a todos.”.

Cornell deixa esposa, três filhos e um legado enorme não só para o movimento grunge, mas para grande parte dos amantes do rock.

“And in your final hours I will stand ready to begin”

Por Maria Paula Andrade
maria.andrade456@gmail.com

Sala 33
O Sala33 é o site de cultura da Jornalismo Júnior, que trata de diversos aspectos da percepção cultural e engloba música, séries, arte, mídia e tecnologia. Incentivamos abordagens plurais e diferentes maneiras de sentir e compartilhar cultura.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*