Jornalismo Júnior

logo da Jornalismo Júnior
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Gosta de esporte de praia? Conheça o Handebol de Areia!

Por Crisley Santana O Handebol de Areia, também chamado de Beach Handeball, é uma modalidade que deriva da quadra, mas que ao longo do tempo ganhou suas próprias regras. Atualmente, possui campeonatos mundial, nacional, sul-americano, entre outros, nas quais o Brasil tem sido representado. Em 2018, o Handebol de areia foi incluído no programa desportivo …

Gosta de esporte de praia? Conheça o Handebol de Areia! Leia mais »

Por Crisley Santana

O Handebol de Areia, também chamado de Beach Handeball, é uma modalidade que deriva da quadra, mas que ao longo do tempo ganhou suas próprias regras. Atualmente, possui campeonatos mundial, nacional, sul-americano, entre outros, nas quais o Brasil tem sido representado.

Em 2018, o Handebol de areia foi incluído no programa desportivo dos Jogos Olímpicos da Juventude, realizados em Buenos Aires, Argentina. A modalidade substituiu a versão indoor de quadra e não contou com a participação brasileira.

Origem e história

A trajetória iniciou no ano de 1992 quando dois italianos, Gianni Buttarelli e Franco Schiano, resolveram fazer com que seus times praticassem o handebol na praia, já que o número de quadras disponíveis para treino era baixo. Ainda no mesmo ano, aconteceu o primeiro torneio na ilha italiana Isola di Ponza, composto por poucas equipes locais que competiram de forma amadora.

Percebendo que a nova versão conquistou vários adeptos depressa, os fundadores da modalidade fundaram também a primeira associação de representação do esporte, o Comitê Organizador de Handebol de Areia (COBH – na sigla em inglês).

Então, em 1993, houve o primeiro campeonato internacional. A competição aconteceu em Roma e contou com a participação de times vindos de Taiwan, Rússia, Itália, Alemanha e Argélia. Mas foi só em 1994 que a modalidade passou a ser reconhecida oficialmente, quando a International Handeball Federation (IHF) a incluiu em seu quadro. Essa entidade é responsável por coordenar as federações de handebol ao redor do mundo, por isso a importância de ter sido reconhecido por ela como esporte oficial.

No Brasil, chegou em meados da década de 90 e rapidamente se espalhou. No início, era jogado de maneira recreativa com as mesmas regras praticadas em quadra mas, quando foi incluída no Festival Olímpico de Verão, em 1995, passou a ter regras próprias.

Posteriormente, com as diversas competições realizadas pelo mundo, tendo sempre a presença brasileira entre as melhores equipes, o esporte foi ficando cada vez mais forte e, atualmente, o Brasil possui as seleções com maior número de medalhas. Entre as modalidades feminina e masculina são oito de ouro, três de prata e três de bronze.

Seleção feminina do Brasil ganhou bronze no Mundial da Rússia de 2018 (Foto: Reprodução/ Dois Minutos)

Regras

Quadra: As quadras que recebem o handebol de areia possuem algumas especificações a serem seguidas, conforme ditam as regras oficiais da Confederação Brasileira de Handebol (CBHb).

Elas possuem 27 metros de comprimento e 12 de largura. Neste espaço estão: uma Área de Jogo e duas Áreas de Gol, que são medidas pelas bordas externas. Estas, por sua vez, são compostas pelas linhas de delimitação, que possuem entre 5 e 8 centímetros de largura e são feitas com fitas de cor sólida, sempre diferentes da cor da areia.

O espaço total da quadra conta, também, com um entorno de 3 metros, a chamada Área de Segurança. Além disso, o perímetro possui a chamada Área do Gol, na qual somente ao goleiro é permitida a permanência, implicando em penalidade aos jogadores que violarem essa regra. Não será penalizada a entrada de um jogador nessa área se, e somente se, ele entrar após ter arremessado a bola e durante ou após uma intervenção defensiva – desde que em nenhum dos casos cause desvantagem para o adversário.

Bola e Uniforme: A bola utilizada nesse esporte é composta por borracha antiderrapante, com pesos e tamanhos diferentes para homens e mulheres. Para eles, o peso da bola deverá ser de 350 a 370 gramas, com circunferência de 54 a 56 centímetros. Já para elas, o peso vai de 280 a 300 gramas, medindo de 50 a 52 centímetros.

O uniforme utilizado para os jogadores também possui distinções. Segundo o Regulamento do Uniforme dos Atletas, também produzido pela CBHb, a vestimenta masculina deve ser composta de regata justa e sem mangas, com shorts que possuam 10 centímetros de distância acima da patela. Já a vestimenta feminina tem em sua composição top – também justo – com partes cavas na parte dos ombros nas costas; a parte inferior do uniforme é composta por biquíni.

Partida: Para que haja uma partida é preciso que as equipes possuam no máximo dez jogadores e no mínimo seis. Elas podem ser masculinas, femininas ou mistas. No jogo em si, quatro jogadores são utilizados: três de campo e um goleiro. É importante salientar que se uma das equipes possuir menos de quatro jogadores, o time adversário já é considerado vencedor.

Em seguida, os sets: dois de dez minutos cada compõem as partidas de handebol de areia. Os gols não são somados nesse esporte, pois cada período é pontuado separadamente, com um ponto para o vencedor. Assim, se o time amarelo venceu dois sets sobre o time vermelho, por exemplo, a pontuação é 2 a 0.

Para cada gol é atribuído um ponto, mas ele pode valer dois nas seguintes ocasiões: se marcado por um tiro de seis metros; se o autor do lance for o goleiro e se considerados criativos ou espetaculares – quando resultado de grande habilidade ou ação extraordinária e dramática, segundo a CBHb.

Há, inclusive, uma maneira de nomear o desempate quando ocorre ao final do set, o chamado Gol de Ouro. Ele se assemelha a prorrogação do futebol, com a diferença de que o time vencedor do set será aquele que marcar primeiro. Mas, se as duas equipes vencerem cada uma um período, o método utilizado para desempatar é o Shoot Out, em que há apenas um jogador contra o goleiro. Ganha a equipe que marcar mais pontos em cinco arremessos. Se ainda assim igualarem na pontuação, o Shoot Out continua com cobranças alternadas.

Algumas regras também determinam como a bola deve ser jogada. Entre elas: segurar por no máximo três segundos, só dar três passos com a bola em mãos e, caso fique mais de três segundos na areia, ela não poderá ser pega pelo último jogador que a tocou. Ainda, além das mãos abertas ou fechadas — é permitido lançar, agarrar e parar a bola usando a cabeça, tronco, braços, coxas e joelhos.

Equipes masculinas, femininas e mistas compõem o esporte. (Imagem: Maria Eduarda Nogueira/Comunicação Visual – Jornalismo Júnior)

Lances: O Tiro de Lateral ocorre quando a bola cruza completamente a linha lateral ou quando um dos jogadores de campo da equipe defensora foi o último a tocar na bola antes de ela cruzar a linha lateral de fundo da sua equipe. O tiro deve ser cobrado no ponto em que a bola cruzou a delimitação, com o jogador estando com ao menos um pé no ponto da cruzada. Já o jogador que for receber a bola (jogador defensor) deve estar a um metro de distância do atleta que executar o arremesso.

Há também o Tiro de Meta, já conhecido e praticado em vários esportes. No handebol de areia é usado para reiniciar o jogo nas seguintes situações: se um jogador entrar na área do gol; se uma das equipes marcar um gol; quando o goleiro controla a bola em sua área e quando a bola ultrapassa a linha de fundo e foi tocada por último pelo goleiro ou jogador do time adversário.

Compondo os lances também está o Tiro Livre, que ocorre se há perda da posse de bola de uma das equipes de maneira que viola as regras (estão citadas abaixo em Faltas e Condutas Antidesportivas). É executado do ponto em que houve a infração. Nesse lance, os jogadores de defesa devem ficar a um metro de distância da equipe atacante.

Por último, mas não menos importante, está o Tiro de Seis Metros, presente inclusive no handebol de quadra. Ele acontece sempre que um jogador sofre uma falta grave, sendo assim uma penalidade máxima – uma espécie de pênalti no futebol. É dado, também, quando uma chance clara de marcar é obstruída por algum motivo externo ou por interferência de um dos jogadores adversários.

O tiro é executado a seis metros da área de gol e tanto o goleiro quanto os outros jogadores devem permanecer a um metro de distância do atleta que está arremessando a bola, até que ela saia completamente de sua mão. Ao jogador executante também não é permitido que ultrapasse a linha de seis metros até que a bola tenha sido lançada.

Faltas e Condutas Antidesportivas: Casos como usar mãos e braços para tirar a bola ou ganhar sua posse e usar o corpo para obstruir a passagem do adversário e fazer contato corporal com ele quando estiver em sua frente — deixando os braços flexionados — estão entre as permissões do handebol de areia e não são consideradas faltas. Já bater ou arrancar a bola da mão de um adversário; bloqueá-lo ou empurrá-lo usando mãos, pernas ou braços; impedi-lo, obstruí-lo ou colocá-lo em perigo estão entre as faltas do jogo, que podem ser penalizadas progressivamente. Isso indica que a penalidade vai além da partida.

Além de algumas faltas, as condutas antidesportivas são também penalizadas com punição pessoal, como a desqualificação do jogador. Esta punição em especial ocorre se a integridade física do adversário for colocada em perigo. Mas não só o físico é considerado nessa questão, expressões verbais também estão incluídas nas condutas antidesportivas, pois são incompatíveis com o bom espírito esportivo, dentro e fora de campo.

Handebol de Areia no Brasil

Atualmente, apesar de estar as melhores seleções de beach handeball, o Brasil enfrenta diversas dificuldades para permanecer na modalidade.

O último mundial, que aconteceu na Rússia em agosto de 2018, por pouco não teve a equipe brasileira entre as competidoras, já que a CBHb enfrenta uma das suas piores crises, e por isso não conseguiu bancar a ida da seleção à Kazan. A entidade ajudou no que pôde, mas a maioria das passagens compradas pelos atletas tiveram que ser desembolsadas por eles mesmos e por meio de “vaquinhas” de familiares e amigos. Até o Comitê Olímpico do Brasil (COB) e a IHF ajudaram as seleções com os custos da participação no campeonato.

A crise na CBHb se agravou após a saída do patrocínio do Banco do Brasil e com a diminuição dos repasses que os Correios faziam ao esporte, que contribuiu com somente 1,6 milhão de reais no ano em questão.

Mas todos os obstáculos foram recompensados: a equipe masculina conseguiu o primeiro lugar após vencer a Croácia por 2 a 0, se tornando pentacampeão, enquanto a seleção feminina ficou com o bronze ao bater a Espanha, num jogo que terminou 2 a 1. O primeiro lugar na modalidade feminina ficou com a seleção da Grécia. Dessa maneira, o Brasil permanece no posto como um dos melhores no handebol de areia.

Seleção masculina de handebol de areia foi penta em Kazan (Foto: Reprodução/Globo Esporte)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima