Home Além das Telas 8 filmes inspirados em obras de William Shakespeare
8 filmes inspirados em obras de William Shakespeare
CINÉFILOS
03 ago 2019 | Por Maria Luísa Bassa (malugomesdesa@hotmail.com)

William Shakespeare é considerado até hoje um dos maiores gênios da literatura ocidental. Nascido em 23 de abril de 1564 em Stratford-upon-Avon, na Inglaterra, o filho de Mary Arden e John Shakespeare já demonstrava apreço pela literatura e gramática ainda em seus tempos de estudante. Casou aos 18 anos com Anne Hathaway, mulher com quem teve três filhos e tempos depois mudou-se para Londres, onde passou a trabalhar como guardador de cavalos na porta de um teatro. A partir desse momento, Shakespeare passou a construir seu nome não só como ator e figura dos bastidores, mas principalmente como dramaturgo, tornando-se uma pessoa rica, famosa e, acima de tudo, admirada. Sua obra, composta por aproximadamente 37 peças teatrais e mais de 150 sonetos, ecoa até hoje, com referências no teatro, na televisão e, claro, no cinema.

Mesmo escritos há mais de 400 anos, os textos de Shakespeare são atemporais, pois abordam a natureza humana, com a construção de personagens com os quais o público podia se identificar, independente de sua origem ou classe social. Além disso, as temáticas nas quais eles estavam inseridos atraíam a atenção e reflexão dos espectadores. Shakespeare inovou ao mesclar tragédia e comédia, trazendo aos palcos o amor proibido, o conflito de interesses e a divagação sobre o poder em histórias que hoje baseiam adaptações e inspirações, inclusive nas telonas.

As adaptações são a forma mais comum de levar um livro ou peça de teatro ao cinema. Possuem caráter de fidelidade ao trabalho original, mantendo elementos que relacionam claramente as duas obras. Shakespeare já foi adaptado em filmes como Romeu + Julieta (1996) e Macbeth (2015). Já as inspirações são construídas sem a preocupação de ser fiel ao produto original, mas preservam traços no enredo que permitem estabelecer a ligação entre as produções. Nessa lista, estão oito filmes inspirados em peças de Shakespeare, que trazem as histórias do dramaturgo inglês para ambientes e públicos diversos.

 

Amor, Sublime Amor (West Side Story, 1961)

O casal Tony e Maria, inspirados em Romeu e Julieta [Imagem: Reprodução]

Em Nova York, duas gangues rivais disputam o lado oeste da cidade: os Jets, formada por garotos de origem anglo-saxã, e os Sharks, composta por imigrantes porto-riquenhos. Os atritos entre os grupos se intensificam quando Tony (Richard Beymer), antigo líder dos Jets, se apaixona por Maria (Nathalie Wood), irmã do líder dos Sharks. Ao ver o amor ser correspondido, o casal percebe que as circunstâncias não permitem o desenvolvimento da relação, e passam a enfrentar o dilema entre ouvir os princípios de seus grupos ou dar voz ao sentimento.

A temática do amor proibido é talvez a mais famosa de Shakespeare, que a imortalizou em Romeu e Julieta. Na peça, o casal se apaixona perdidamente, mas não pode viver o amor, pois suas famílias são rivais: Julieta, uma Capuleto, é proibida de se relacionar com Romeu, da família Montecchio. No final, ambos escolhem a morte por não suportarem viver separados.

 

Homens de Respeito (Men of Respect, 1990)

O filme traz John Tuturro protagonizando uma versão de Macbeth no ambiente de máfia [Imagem: Reprodução]

Mike Battaglia (John Turturro) é um pistoleiro da família D’Amico, envolvida com a máfia. Ao realizar um ataque contra os inimigos da família, Mike ganha o respeito de seu chefe, Don Charlie D’Amico (Carl Capotorto). Porém, vendo que Don ainda possui considerações quanto a torná-lo seu sucessor, ele é instigado por Ruthie (Katherine Borowitz), sua esposa, que o convence a matar o chefe. A partir de então, Battaglia trabalha para conquistar seu poder na máfia, prometendo acabar com a vida de qualquer um que questionasse sua posição.

O jogo de poder presente no filme estabelece uma ligação direta com Macbeth, uma das peças mais famosas de Shakespeare. A história gira em torno de Macbeth, general que, ao voltar vitorioso de um embate, encontra pelo caminho três bruxas que lhe revelam uma profecia: ele logo seria o novo rei da Escócia. Lady Macbeth, ao saber da revelação através de uma carta, é tomada pela ambição e convence o marido a matar o rei Duncan, que estaria no castelo em breve, de modo a tornar-se então o novo rei. Persuadido, Macbeth comete o assassinato, mas a culpa o domina e o transforma em um rei tirânico, que é destruído pelo poder na mesma velocidade que o conquistou.

 

Garotos de Programa (My Own Private Idaho, 1991)

Scott e Mike, respectivamente, constroem uma ligação muito poderosa no filme inspirado em Henrique IV [Imagem: Reprodução]

Em Porland, o jovem Mike Waters (River Phoenix) vive nas ruas, sofrendo com o vício em drogas e a narcolepsia, sem conhecer o paradeiro de sua mãe. Ele constrói uma amizade com Scott Favor (Keanu Reeves), rapaz de boa vida que, desejando confrontar o pai, resolve morar na rua em protesto, e ambos se prostituem para conseguir viver. Mike, mesmo sendo tão diferente de Scott, acaba se apaixonando por ele. Juntos, os dois partem para uma jornada em Idaho com o objetivo de encontrar a mãe de Mike, deparando-se com uma série de questionamentos e vivências ao longo do caminho.

O enredo moderno de Gus Vun Sant traz referências, ainda que sutis, aos textos Henrique IV e Henrique V de Shakespeare. As maiores semelhanças estão nos personagens — Scott é inspirado no príncipe Hal, enquanto Mike é parecido com Poins, seu fiel companheiro —, e nos diálogos, que se relacionam com os escritos originalmente pelo dramaturgo.

 

O Rei Leão (The Lion King, 1994)

Simba e seus amigos Pumba e Timão, respectivamente [Imagem: Reprodução]

O clássico da Disney conta a história de Simba, leão que tem como destino ser o rei, sucedendo seu pai Mufasa. Seu nascimento é recebido com maus olhos por Scar, irmão de Mufasa, que vê no sobrinho um impasse para assumir o trono, uma vez que ele estaria à sua frente na linha de sucessão. Após uma debandada orquestrada por Scar, Simba testemunha a morte de seu pai e, sentindo-se culpado, se afasta daquele que seria seu reino, adentrando então em uma jornada pessoal que o levará à reflexão e ao cumprimento de seu destino.

A história de O Rei Leão tem relação direta com Hamlet, peça de Shakespeare que acompanha a trajetória do príncipe Hamlet, da Dinamarca, em busca de vingança pela morte de seu pai, planejada pelo próprio irmão, com o intuito de tomar o trono. O príncipe se depara, ao longo da história, com uma série de questões filosóficas, o que, de certa forma, também faz parte do caminho traçado por Simba.

 

Terras Perdidas (A Thousand Acres, 1997)

As irmãs Virginia e Rose fazem parte da trama inspirada em Rei Lear [Imagem: Reprodução]

A história se passa em Iowa, local em que Larry Cook (Jason Robards) possui grande fazenda como negócio de família. Ele é pai de três filhas: Rose (Michelle Pfeiffer), Virginia (Jessica Lange) e Caroline (Jennifer Jason Leigh). As duas primeiras moram e trabalham na propriedade, enquanto a última, mais nova, mudou-se depois de se formar na faculdade. De maneira abrupta, Larry decide dividir a terra entre as filhas como herança. No entanto, Caroline, por não concordar, acaba sendo deserdada pelo pai, decisão aceita entre as irmãs. A partir desse momento, a família passa a ter que lidar com uma série de dramas por muito tempo ignorados.

Terras Perdidas se assemelha muito ao enredo da famosa obra Rei Lear. A tragédia traz o rei da Grã-Bretanha, Lear, já muito velho, diante da decisão de dividir o reino entre suas três filhas: Goneril, Regana e Cordélia. Como forma de provar que elas merecem receber uma parte do reino, Lear exige que as filhas exponham o seu amor por ele. As mais velhas, Goneril e Regana, agradam o pai prontamente, enquanto Cordélia, que era vista como favorita, acaba por decepcioná-lo ao não atender sua exigência. Lear renega a filha, que foge e casa com o rei da França. Ao longo da história, o rei passa por situações que o fazem ver que sua decisão não foi a mais acertada. 

 

10 Coisas que Eu Odeio em Você (10 Things I Hate About You, 1999)

Heath Ledger e Julia Stiles formam um casal improvável no filme inspirado em A Megera Domada

A comédia romântica conta a história de Kat Stratford (Julia Stiles), uma garota de personalidade forte, questionadora e politizada, que não vê graça em relacionamentos e nas pessoas à sua volta. Sua irmã mais nova, Bianca (Larisa Oleynik), é popular na escola e não vê a hora de começar a namorar — vontade  altamente questionada por seu pai Walter (Larry Miller). Para acalmar os ânimos da caçula, ele resolve fazer um acordo: Bianca só poderia namorar se Kat namorasse também. Ao saber disso, Cameron (Joseph Gordon-Levitt), que é apaixonado por Bianca, resolve procurar por alguém que pudesse ter interesse em Kat, de modo a conseguir, assim, uma chance com a irmã. O escolhido por ele é ninguém menos que o garoto problema Patrick Verona (Heath Ledger), que inicialmente concorda com a proposta em troca de dinheiro, mas acaba se apaixonando por Kat.

10 Coisas que Eu Odeio em Você tem muitas relações com a comédia A Megera Domada. A peça traz a história da família Minola: a filha mais nova, Bianca, é um exemplo de graciosidade e delicadeza, atraindo muitos pretendentes, enquanto Catarina, a mais velha, é complicada e temperamental. O pai deseja casar as duas seguindo a ordem de idade, o que deixa os pretendentes de Bianca desesperados, pois sabem que encontrar alguém disposto a casar com Catarina seria muito difícil. Em certo momento, um rapaz chamado Petrucchio chega à cidade e, com o intuito de aumentar sua fortuna, decide aceitar a proposta de conhecer Catarina, para então pedi-la em casamento. Na peça, assim como no filme, Catarina e Petrucchio não se dão bem no começo, mas acabam se apaixonando e ficando juntos.

 

Jogo de Intrigas (O, 2001)

O jogador de basquete Odin é inspirado em Otelo, personagem da peça homônima [Imagem: Reprodução]

Na Palmetto Grove Academy, o estudante Odin (Mekhi Phifer) faz sucesso como jogador de basquete promissor, mas sofre com o racismo por ser o único negro do colégio. Ele namora Desi (Julia Stiles), a filha do reitor, e é amigo de Hugo (Josh Hartnett), novato no time e filho do treinador, Duke (Martin Sheen). Hugo inveja muito a atenção que Odin recebe principalmente do pai, o qual vê o time como prioridade e muitas vezes ignora o próprio filho. Como meio de conquistar o status do amigo, Hugo manipula Michael (Andrew Keegan), amigo de Desi, de modo a atingir Odin e fazer com que sua vida seja desestabilizada.

No filme, a inveja, o preconceito e o ciúme são pontos essenciais no desenvolvimento da trama — temas que Shakespeare trata muito bem em sua peça Otelo, que conta a história de Otelo, general mouro, casado com a bela Desdêmona, filha de um importante senador de Veneza. Iago, seu sub-oficial, não aceita a nomeação de Cássio, amigo do general, ao posto de tenente. Então, corrompido pela inveja, faz Otelo acreditar que Desdêmona e Cássio estão tendo um caso. Dominado pelo ciúme, Otelo toma uma série de decisões que destroem seu relacionamento, suas amizades e sua vida.

 

Ela É o Cara (She’s The Man, 2006)

Os conflitos amorosos são elemento principal da trama do filme inspirado em Noite de Reis [Imagem: Reprodução]

Viola (Amanda Bynes), garota que ama futebol, fica frustrada quando seu colégio decide suspender as atividades do time feminino. Como alternativa para continuar a jogar, ela resolve se disfarçar de seu irmão gêmeo Sebastian (James Kirk) e jogar no time do colégio dele, enquanto ele viaja. A ideia parecia ser boa, até que Viola se apaixona por Duke (Channing Tatum), colega de quarto do seu irmão, que acha que ela é um homem.

O jogo de papéis entre homem e mulher é um tema que Shakespeare explorou na peça Noite De Reis. A comédia mostra duque Orsino, que é apaixonado por Lady Olívia, mas não é correspondido. Em dado momento, uma mulher chamada Viola chega ao reino após um naufrágio e se disfarça de homem, mudando o nome para Cesário e conseguindo trabalho como mensageiro de Orsino. Ela acredita que seu irmão gêmeo Sebastian morreu afogado no acidente. Em seu trabalho, Cesário envia mensagens de amor de Orsino para Lady Olívia, que se apaixona pelo mensageiro sem saber que ele é uma mulher. Tanto na peça quanto no filme, a confusão entre os personagens e os amores não correspondidos é parte principal da construção do humor.

É possível perceber que Shakespeare tem uma obra vasta e muito rica, que se mantém relevante e pungente inclusive nos dias de hoje. Vê-la como inspiração para filmes de diversos gêneros mostra que, quando capazes de tocar e promover reflexão, as histórias têm o poder de permanecerem vivas, atravessando as barreiras do tempo.

Cinéfilos
O Cinéfilos é o núcleo da Jornalismo Júnior voltado à sétima arte. Desde 2008, produzimos críticas, coberturas e reportagens que vão do cinema mainstream ao circuito alternativo.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*