Home Lançamentos A Vingança Está na Moda (e é surpreendente)
A Vingança Está na Moda (e é surpreendente)
CINÉFILOS
17 maio 2016 | Por Jornalismo Júnior

por Bruna Nobrega
brunadanobrega@gmail.com

1951. Dungatar. Aquela típica cidade do interior com os mesmos moradores fechados, que não aceitam bem pessoas de fora e que conhecem tudo da vida uns dos outros ao mesmo tempo em que são traumatizados por um acontecimento do passado. No caso de A Vingança Está na Moda (The Dressmaker, 2015), a morte do menino de dez anos, Stewart Pettyman. Apesar do cenário usual, o filme não cai no clichê.

A vingança está na moda 1

Vinte cinco anos após a morte do menino, motivo pelo qual teve que ir embora, Tilly Dunnage (Kate Winslet) volta à cidade onde nasceu para buscar respostas em relação àquele dia, do qual não se lembra. Entretanto, é recebida por uma mãe aparentemente doente, com problemas mentais e uma população ainda ressentida por acreditarem ser ela a culpada pelo acontecido. Tilly, assim, precisa cuidar da mãe e fazer a população esquecer o passado para ser aceita.

A partir de então, inicia-se uma divertida história: Tilly utiliza o talento aprendido nos anos em que passou fora para criar e costurar roupas incríveis para as mulheres da cidade. Conforme sua clientela aumenta, a protagonista tenta melhorar sua relação com a mãe, fato que proporciona ao filme suas cenas mais engraçadas, principalmente graças à ótima química entre Judy Davis e Kate Winslet, que interpretam mãe e filha.

Essa boa química, no entanto, não é vista na relação entre Tilly e Teddy McSwiney (Liam Hemsworth). Ainda que a atuação de ambos seja boa, a diferença de idade entre eles (14 anos) atrapalha na construção do casal – colocado como tendo a mesma idade – , apesar do grande e aparente esforço da produção em fazer Hemsworth parecer mais velho e Winslet, mais nova.

A vingança está na moda 2

Produção de A Vingança Está na Moda tenta deixar Kate Winslet mais jovem e Liam Hemsworth mais velho. Foto: Reprodução

Mesmo com essa falha, ainda pode-se destacar a direção artística de Lucinda Thomson. Os figurinos, maquiagem e locação do filme são muito bem criados e usados em harmonia com o ambiente do filme. Bem como a trilha sonora, perfeitamente trabalhada para conduzir o espectador à reação adequada em cada cena.

Além do foco em Winslet, outros papéis também se sobressaem, principalmente o de Hugo Weaving, o Sargento Farrat, um dos únicos que acredita em Tilly desde o começo e que oferece leveza ao filme, em contraposição a toda dramaticidade trazida pelos outros personagens.

O longa, que estreia dia 19 de maio, se desenvolve misturando comédia e drama em níveis proporcionais e leva a um final inesperado e surpreendente.

Confira o trailer:
https://www.youtube.com/watch?v=qQZZ4MqWoa0

Cinéfilos
O Cinéfilos é o núcleo da Jornalismo Júnior voltado à sétima arte. Desde 2008, produzimos críticas, coberturas e reportagens que vão do cinema mainstream ao circuito alternativo.
VOLTAR PARA HOME
COMENTÁRIOS
Rosangela Fernandes
Acho que, depois desta análise, fiquei interessada em assistir este filme. Parabéns Bruna pelo trabalho.
19 maio 2016
 
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*