Home Escuta Aí O retorno de Tiago Iorc ao cenário musical brasileiro
O retorno de Tiago Iorc ao cenário musical brasileiro
Escuta Aí
08 jul 2019 | Por Natália Milena (nataliamilena.0810@gmail.com)

Na madrugada do dia 5 de maio, é publicado o novo álbum do cantor brasileiro Tiago Iorc. Sem divulgação prévia, Reconstrução é o quinto álbum de estúdio do artista e está disponível em plataformas digitais, como Spotify e Deezer. São 13 canções inéditas, acompanhadas por videoclipes particulares que ilustram a representação gradual de fases da vida, em especial dos momentos que compõem um relacionamento amoroso. 

A sequência das músicas e dos clipes estruturam um filme no qual se caminha por acontecimentos e emoções de maneira progressiva. Protagonizado pelo próprio Tiago Iorc e pela modelo Michele Alves, é retratada a construção de laços e intimidade. O álbum trata desde o momento de atração impulsiva e o carinho e calmaria que marcam a estabilidade, até o momento em que tudo muda, levando ao término e à busca por autoconhecimento. A essência da obra se concentra em sintetizar, dentro das 13 faixas, o ciclo entre se perder no amor e se reencontrar depois que este acaba. Mas isso não impede que outros temas, como a depressão e o mundo virtual, sejam abordados nas canções. Inclusive, esses são assuntos presentes já nos primeiros versos de “Reconstrução”.

“Quando se viu pela primeira vez

Na tela escura de seu celular

Saiu de cena pra poder entrar

E aliviar a sua timidez”

– Desconstrução / “Reconstrução”(2019)

[Imagem: Tiago Iorc Online]

Desconstrução

Música de abertura, seu videoclipe ficou em primeiro lugar entre os vídeos em alta no YouTube no dia do lançamento. É o de maior número de visualizações do álbum. Não é a primeira vez que Tiago aborda a temática das redes sociais em suas músicas, evidente até mesmo em títulos como Troco Likes (álbum) e Sigo de Volta (EP).

Nesta música, o cantor levanta a reflexão de até que ponto o virtual dificulta a vivência do que é  real. Fala sobre como a realidade é sufocada, ocultando dores e sofrimentos para simular a felicidade incessante. Tudo isso a fim de gerar posts e curtidas: símbolos de aprovação e pertencimento.

“Ela era só uma menina

Ninguém notou a sua depressão

Seguiu o bando a deslizar a mão

Para assegurar uma curtida”

A letra da canção conversa com temas centrais da sociedade contemporânea, marcada pelas interações nas redes sociais e aumento do número de doenças como a depressão. Diante da necessidade de discutir essas questões, Desconstrução é uma abordagem muito interessante do tema, já que chega ao público não como um discurso fechado e monótono, mas através da arte que compõe o cotidiano de fãs e pessoas em geral: a música. Além disso, é interessante ressaltar os versos ninguém notou a sua depressão/seguiu o bando a deslizar a mão. Neles, Tiago traduz com excelência o fato de que são altas as chances de se conviver com pessoas que enfrentam doenças psicológicas sem que tenhamos consciência disso, ou ainda pior, fechando os olhos para essa realidade.

Através do recurso visual, também coloca em questão a perda de identidade. O clipe segue em harmonia com a composição, traduzindo, com detalhes sutis, esse processo. É retratado como se a tela de um celular fosse um espelho que não apenas reflete, mas incentiva a construção de uma personalidade diferente da pessoa que se enxerga. Com isso, os indivíduos se perdem, pouco a pouco, na tentativa de construir algo idealizado sobre si. Enquanto o que resta do lado de fora, são pessoas que não conhecem a si mesmas longe das telas.

“Se estilhaçou em cacos virtuais

Nas aparências todos tão iguais

Singularidades em ruína”

 

Hoje Lembrei Do Teu Amor / Deitada Nessa Cama 

Essa parte da produção introduz o amor romântico em seu significado mais simples e direto: a saudade, as sensações de se estar sob efeito da paixão, a intimidade e o toque físico. Junto com outras faixas românticas do álbum, é a trilha sonora ideal para os casais de longa data ou para os recém-apaixonados, já que a essência das faixas está na sensação de que estar com o outro basta e encobre todo o restante.

As cenas dos clipes traduzem com delicadeza as memórias do casal protagonista e são atenciosos aos detalhes. Em ambos, o vídeo é encerrado com a protagonista a sós, em contraste às cenas românticas da produção, pressupondo que o filme explora lembranças da personagem.

“Não há

Chance de apagar

Deixa demorar

Lembrar você é bom demais

Vivemos tanta coisa

Lembra?”

“E se nada mais faz sentido

Vamos fugir

Eu em você

Você em mim

Simples assim”

 Fuzuê / Faz / Tangerina

Músicas mais agitadas, não romantizadas, com foco na atração física do casal.

Os clipes são recortes específicos da intimidade. Em Fuzuê, entre o contato do casal, há uma espécie de cortina de tecido bem fino. Uma possível interpretação, levando em conta o enredo desenvolvido no álbum, é que essa cortina representa uma barreira entre duas individualidades que se conhecem, mas nunca em sua totalidade.

“E quando penso

Que eu não quero nunca mais te ver

Vem você me aparece

Cheia de querer

Chega e beija minha boca

Faz um fuzuê 

Vem e tira minha roupa

Toda pra me ter”

Faz é o clipe mais ousado e explícito da produção e, do início ao fim, enfatiza o toque em um arranjo de cenas lentas.


“Faz

O que tu faz comigo

Ninguém mais faz

Ninguém mais”

“Chega bem devagar

Calma, só me beija

Cala minha boca

Me leva desse lugar”

Fuzuê, Faz e Tangerina podem cansar quem assiste ao álbum. Isso porque se prolongam demais em uma temática, o que é agravado por estarem em sequência. Apesar de explorar nuances da vida e do amor, esta parte da produção se fecha em um bloco sobre o corpo, a atração e o sexo. Distribuir as canções possibilitaria melhor compreensão das particularidades de cada uma, além de evitar a impressão de que, após ouvir as três canções, têm-se apenas “mais do mesmo”.

Laços

Contrapondo a canção de abertura do álbum, esta faixa é a que introduz o processo de reconstrução. Após a fase em que a personagem se perde na busca por uma identidade superficial e fluida, enfim, tem início a fase em que redescobre a graça de viver. 

A protagonista não é mais um manequim sem face. Longe do quarto escuro, das telas, da melancolia. Agora em campo grande, aberto e iluminado, no qual poderia correr em todas as direções, simbolizando a alegria encontrada. 

“Todo caminho trilha um sol

Dentro do olhar de cada um

Se conhecer pra se gostar

Ser mais forte

Por acreditar

Na alegria 

De viver”

Nessa Paz Eu Vou

Uma das mais românticas, esta música procede a alegria reconstruída e a materializa no amor por meio da simplicidade. A idealização perde espaço para o momento de viver o cotidiano não maquiado, sem ensaios e edições. 

No clipe inteiro, prevalece a descoberta daquilo  que só se encontra na existência tangível, representado pela dança. O cenário aberto, materialização da alegria e liberdade recém-descobertas pela personagem, agora recebe a companhia que permite a folia a dois.

“Pra sentar 

E conversar

Falar besteira

Ter alguém

Pra confiar

A vida inteira

Nessa paz eu vou 

Munido de amor”

Tua Caramassa

A letra da faixa lembra um dos maiores sucessos de Tiago, Amei Te Ver, com a simplicidade poética em dizer o sentimento. 

É provável que seja o clipe que gere maior dificuldade em interpretar a proposta, visto que é inteiro enquadrado no rosto da protagonista, enquanto Tiago, literalmente, amassa-o. Há a alternativa de que essa dificuldade seja causada pelo hábito de se usar lentes complexas para enxergar o simples. Já o clipe seria somente a representação pura de “caramassa”, não demandando uma interpretação além da mais óbvia.

“Como é gostoso te amar

E como tu me faz sentir

Teu rosto colado

E o beijo calado

Pronto para me despir a alma”

Me Tira Pra Dançar

A letra desta canção nos transporta para um diálogo entre Tiago e a Vida. Aqui, a dança é usada como uma  metáfora, sendo que a coreografia simboliza o ato de se envolver com a existência em seu significado mais amplo.

Entretanto, mesmo com todos os sentimentos e boas memórias, a vida pode sempre “dançar” novos passos não ensaiados e, então, ocasionar a constante mudança.

É o clipe mais descontraído do álbum. Ao final, os protagonistas estão de costas, da mesma forma que inicia o clipe seguinte. Porém, tudo mudou.

“Vida!

Eu e você 

Num baile de gala

Me tira pra dançar

Vem aqui

Cola na minha alma

Dois pra lá e dois pra cá

Caio no teu samba

Passo a passo

Porque num piscar

Tudo pode mudar”

A Vida Nunca Cansa

Em contraste com Me Tira Pra Dançar, a melodia é lenta e a voz de Tiago parece mais falar do que cantar. A música transparece uma emoção contida e reflexiva, discorrendo sobre  o momento delicado no qual o casal se dá conta das mudanças e de como afetam o relacionamento. É hora de tomar consciência da realidade.

Tiago e sua companheira ainda se encontram virados de costas um para o outro, sentados no chão e com semblantes melancólicos. Novamente, no quarto em que o filme se inicia.

“O duro é deixar de durar

No teu olhar”

“Nesse jogo de tanto faz

Foi que gente se desfez

E agora?

A gente dança”

Bilhetes

O momento do término. É a música que mais simboliza o título do álbum, por tratar do fim com a perspectiva do recomeço, da esperança.

Neste clipe, após as lágrimas do término, surge a cena de abertura do filme: uma foto da personagem sozinha observando o horizonte. Há uma mala de viagem aberta sobre a cama, que está repleta de fotografias das situações retratadas até o momento. Esta cena leva a entender que, desde o começo, a personagem já está relembrando todas as fases do relacionamento, completando o ciclo.

Esta abordagem é fiel ao título do álbum e consegue transmitir a ideia central de que a vida se constitui a partir de uma série de acontecimentos e contextos.

“E se caso for

Eu posso esperar

A chuva passar

Pra recomeçar

E se caso for

De ter que esperar

A chuva se vai

Pra tudo recomeçar”

Sei

Para fechar o álbum, uma canção sobre autoconhecimento. Encontrar-se em seu próprio caminho depois de tudo o que passou. 

No clipe, a atriz caminha em direção ao mar carregando a bagagem de recordações do clipe anterior. Ao chegar em seu destino, sua expressão demonstra paz diante da possibilidade de recomeço. 

“Fui além do céu e o mar

Até achar

Meu caminho

Bem aqui

Sempre esteve

Na minha frente”

Com o desfecho do filme, a mensagem deixada se refere ao próprio conceito de reconstrução. A obra consegue comunicar ao público a percepção de que o indivíduo está sempre em constante mudança e passa por numerosos ciclos no decorrer da vida. Há o momento de euforia, dúvidas e até do choro, mas, entre a sequência interminável de experiências, é possível arrumar as malas e sair em busca de novos caminhos.

Tiago Iorc iniciou sua carreira compondo e gravando músicas em inglês. Passou a infância na Inglaterra e, além de ter o inglês como sua primeira língua, Tiago afirma possuir mais facilidade para compor músicas neste idioma. Após participar de uma coletânea em homenagem ao Los Hermanos, iniciou suas composições em português, realizando parcerias com outros artistas. “Esse processo de abertura foi uma das coisas que me deixou à vontade fazendo as músicas em português, não tanto como um fardo”, revela o artista em entrevista ao portal Notícias do Dia (Florianópolis).

Já com composições em português, alcançou grande destaque no Brasil com o lançamento do álbum Troco Likes no ano de 2015, sendo os singles de maior sucesso Amei Te Ver e Coisa Linda.

Após o lançamento de Reconstrução, não há notícias se fará shows e turnê. Nas redes sociais, internautas desenvolveram teorias sobre o sumiço do cantor. Entre elas, destaca-se o fato de que Tiago fez a pausa na carreira pouco antes do lançamento do penúltimo filme da franquia Vingadores, Guerra Infinita, em 2018. No filme, o personagem Thanos reúne as Joias do Infinito para exterminar metade dos habitantes do universo. Passados 10 dias do lançamento do último filme, Ultimato, no qual os vingadores conseguem trazer de volta as pessoas afetadas pela ação do personagem, é divulgado o álbum Reconstrução. Assim, o retorno de Tiago estaria relacionado a Thanos e suas Joias do Infinito. Coincidência ou não, sabemos que, pelo menos, a voz de Tiago Iorc reapareceu depois de 16 meses longe dos holofotes.

Sala 33
O Sala33 é o site de cultura da Jornalismo Júnior, que trata de diversos aspectos da percepção cultural e engloba música, séries, arte, mídia e tecnologia. Incentivamos abordagens plurais e diferentes maneiras de sentir e compartilhar cultura.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*