Home Eu Fui Um balanço final dos cinco dias de BGS
Um balanço final dos cinco dias de BGS
Eu Fui
15 out 2018 | Por Jornalismo Júnior

Imagem: Léo Lopes / Jornalismo Júnior

Cinco dias. 40 horas de evento. Finalmente, a Brasil Game Show deu seu último suspiro e chegou ao seu fim. Em clima de despedida, o último dia contava com um fluxo mais tranquilo de pessoas e filas menores, mas ainda com a animação de muitos que podiam estar indo ali pela primeira vez. O Sala33 traz o balanço final, com alguns últimos detalhes da maior feira de jogos da América Latina.

 

Fundador da BGS diz que evento foi ainda melhor que o anterior

Marcelo Tavares é empresário e criador da Brasil Game Show. Em coletiva de imprensa, ele falou de pontos positivo e aspectos a serem melhorados para edições futuras. “Passamos de 250 estandes para 320. Dobramos o número de convidados internacional. Tivemos uma gama de conteúdo maior do que de qualquer outra edição”, comentou.

Marcelo destacou bastante a questão dos convidados internacionais. Disse que sempre são negociações arrastadas, passando de 100 emails trocados com alguns. A dificuldade existe, às vezes, por desconfiança sobre o evento. No entanto, na coletiva, falou que a vinda da lenda da indústria dos games, Hideo Kojima, ajudou a conseguir outras estrelas do cenário japonês.

Houve também um aumento do público feminino. Na 1ª edição, de acordo com dados da BGS, eram uma mulher para cada dez pessoas. Agora, na 11ª, são quatro mulheres para cada dez. O criador ainda colocou a feira como uma das três maiores do mundo.

Sobre o espaço, ele diz ter se inspirado muito em outro evento de games, a E3. Foram 98 mil metros quadrados ocupados na Brasil Game Show. A área de PC gaming foi triplicada em relação à edição passada. E, além disso, trouxeram para a Brasil Game Cup as arquibancadas, além de também uma das melhores equipes do mundo em uma partida festiva.

Sobre novidades, preferiu não dar muitos detalhes, mas pelo menos falou sobre um diferencial que terá a BGS 2019: “Ano que vem teremos uma área totalmente focada para mobile”. Além disso, Marcelo disse que buscam melhorar em todos os aspectos e ultrapassaram os 250 lançamentos que tiveram na feira em todas as área.

 

A valorização dos cosplayers na BGS

[metaslider id=9769]

Em 2018, a Brasil Game Show conseguiu fechar uma grande parceria com a Nintendo, e assim surgiu a Cosplay Zone: uma área inteiramente dedicada aos cosplayers da feira, com concursos diários, desfiles, e programação de apresentações. Durante todos os dias da feira, o local sempre foi muito movimentado com fãs querendo tirar foto com os mais diversos personagens possíveis.

Esse espaço foi uma grande surpresa para todos, e toda a negociação até o anúncio oficial foi feita em sigilo. Por isso, houve certa demora para envio dos formulários e credenciais para os cosplayers, o que já deve ser otimizado na próxima edição, justificou Marcelo.
No fim das contas, o saldo da BGS é muito positivo. A feira já se estabeleceu como um dos maiores eventos de games do planeta e podemos perceber a vontade de continuar essa crescente de qualidade. Cada vez com mais estandes, convidados, cosplayers e outras atrações.

Por 5 dias, o Sala33 pode viver nesse microcosmo gamer que a BGS construiu. Mesmo tentando ao máximo participar das mais diversas propostas que tinham ali, todo dia o público sai de lá com a sensação de que não viu tudo. E, pelo jeito, isso só vai se intensificar nas próximas edições.

 

por César Costa e Léo Lopes
cesar.o.costa98@gmail.com | leo.lopes@usp.br

Sala 33
O Sala33 é o site de cultura da Jornalismo Júnior, que trata de diversos aspectos da percepção cultural e engloba música, séries, arte, mídia e tecnologia. Incentivamos abordagens plurais e diferentes maneiras de sentir e compartilhar cultura.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*