Home Lançamentos X-Men Apocalipse: O ressurgimento de uma saga
X-Men Apocalipse: O ressurgimento de uma saga
CINÉFILOS
21 maio 2016 | Por Jornalismo Júnior

por Luís Henrique Franco
luligot17@gmail.com

1983. Enquanto o mundo tenta se adaptar à recente descoberta dos mutantes, uma ameaça antiga ressurge para destruir o mundo dos humanos. Esse é o contexto básico de X-Men: Apocalipse (X-Men Apocalypse, 2016), já comum em filmes de ação principalmente em longas de super-heróis. A maneira como tal contexto é trabalhado, porém, é o que torna esse filme um dos melhores da última geração.

O filme conta o despertar de En Sabah Nur, dito como o primeiro mutante da história, em uma época que os humanos tomaram o poder e usam armas avançadas e de destruição em massa para manter suas superpotências. Enfurecido, En Sabah Nur começa a reunir seguidores com o objetivo de dominar o mundo e estabelecer uma supremacia mutante. Em seu caminho ficam apenas o professor Charles Xavier e seus estudantes superdotados, muitos ainda incapazes de controlar seus poderes.

Apocalipse1

O filme mantém a linha dos anteriores da saga, narrando a história tanto do professor quanto de Magneto, mas também como foco em Apocalipse Seu desenvolvimento dentro do novo mundo, contato com os mutantes, tudo é explicado e bem entrelaçado ao plano do vilão, compondo um eixo arrepiante onde é difícil saber quem conseguirá resistir a seu poder.

O longa também se sobressai aos seus predecessores por conceder maior importância a personagens secundários. Todos possuem papel decisivo na trama e têm suas personalidades e características bem definidas, o que ajuda a entender os laços entre todos e a acompanhar a evolução conjunta do elenco.

Mesmo com foco em Apocalipse, Xavier e Magneto, são os mutantes mais jovens, como Ciclope e Jean Grey, que roubam a cena e mudam o rumo de toda a trama, sobressaindo-se a outros como Mística, sempre uma presença duvidosa na nova saga por ser “do bem” (completamente contrário ao conhecido pelos fãs dos quadrinhos) e o próprio Apocalipse, aparentemente um pouco calmo demais para um conquistador.

Apocalipse2

O ponto mais forte do filme é, sem dúvida, o uso de efeitos especiais. A criação de cenas arrepiantes se deve principalmente ao uso extraordinário dos efeitos, que revelam a total dimensão dos poderes dos mutantes e fornece a sensação de expectativa durante todas as cenas de conflitos, nas quais o público espera ansioso até o final para que o vencedor se revele.

Com estreia no dia 19/05, X-Men: Apocalipse é bom como filme de super-heróis, capaz de manter o olhar do espectador preso mesmo com um roteiro já conhecido, fazendo bom uso de efeitos especiais para isso.

Confira o trailer!

https://youtu.be/uUFNbfVWBvo

TAGS
Cinéfilos
O Cinéfilos é o núcleo da Jornalismo Júnior voltado à sétima arte. Desde 2008, produzimos críticas, coberturas e reportagens que vão do cinema mainstream ao circuito alternativo.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*