Home Na Estante ‘Daisy Jones & The Six’: como me apaixonei por uma banda que não existe
‘Daisy Jones & The Six’: como me apaixonei por uma banda que não existe
Na Estante
31 dez 2020 | Por Ana Carolina Guerra (anacarolinariosguerra@usp.br)

“O álbum como um todo…

é uma jornada e tanto. Do início ao fim”

 

As palavras do personagem Billy Dunne para descrever o álbum fictício Aurora também são perfeitas para representar a sensação de ler Daisy Jones & The Six: Uma História de Amor e Música (2019, Companhia das Letras). Com certeza, a leitura da obra é uma jornada apaixonante e intensa.

A história narra a trajetória dos músicos ficcionais Daisy Jones e da banda de rock’n’roll The Six. Considerados a maior banda de rock de todos os tempos na década de 1970, eles conquistaram milhares de fãs e se tornaram ídolos de uma geração inteira. A obra percorre desde o início da caminhada deles na música, passa pelo momento em que se uniram, se transformaram na maior banda de todos os tempos, até chegar na separação dessas lendas da música.

O livro é recheado de pontos altos. A leitura é fluida, gostosa e intensa. Daisy Jones & The Six é o tipo de livro perfeito para ser devorado. Mesmo quando não se está lendo, é impossível parar de pensar nessa obra, o que faz com que a leitura pareça passar em um piscar de olhos. 

Daisy Jones & The Six nos transporta para os anos 70. [Imagem: Reprodução/Instagram/@tjenkinsreid]

Daisy Jones & The Six nos transporta para os anos 70. [Imagem: Reprodução/Instagram/@tjenkinsreid]


A história é escrita em forma de transcrições de entrevistas realizadas com os membros da banda Daisy Jones & The Six e com pessoas que acompanharam a trajetória deles de perto. Essa forma de contar a história é responsável por tornar a linguagem fácil, leve e acessível, sendo que em muitos momentos a autora recorre à linguagem informal. Assim, aproxima os personagens ainda mais dos leitores. Além disso, a narração é composta pela junção das respostas dos vários entrevistados, o que permite que o leitor conheça a versão de cada personagem sobre o fato. Muitas vezes, as descrições são contrastantes, o que torna tudo muito mais intrigante e interessante.

Daisy Jones & The Six é uma obra repleta de acertos. Com toda certeza, o desenvolvimento dos personagens e das músicas são seus maiores destaques. Outro ponto muito bem acertado é a forma como a autora insere vários temas importantes, que necessitam ser debatidos pela sociedade, de maneira real, sem em nenhum momento romantizá-los ou fugir da proposta do livro. Machismo, vício em drogas e álcool, relacionamentos tóxicos, disputa de ego, aborto, problemas conjugais, maternidade e partenidade são alguns exemplos de temas colocados em pauta pela autora Taylor Jenkins Reid de forma real e responsável.

Taylor Jenkins Reid, autora de Daisy Jones & The Six: Uma História de Amor e Música. [Imagem: Divulgação/Companhia da Letras]

Taylor Jenkins Reid, autora de Daisy Jones & The Six: Uma História de Amor e Música. [Imagem: Divulgação/Companhia da Letras]

Os personagens são extremamente bem desenvolvidos, complexos e possuem várias facetas. Todos são simplesmente humanos, é realmente bem difícil acreditar que aquelas pessoas não existiram de verdade e não são seres humanos de carne e osso. Como todos os seres humanos, esse personagens são indivíduos que acertam e erram. O livro não apresenta mocinhos e vilões, ele mostra pessoas críveis. Cada personagem é capaz de despertar em nós a mesma intensidade de amor e ódio, torcemos por seu sucesso e felicidade, temos vontade de abraçá-los e dizer que tudo vai ficar bem, ao mesmo tempo em que queremos criticá-los e, às vezes, até nocauteá-los, por causa de suas atitudes erradas. E as personagens femininas são um show à parte, construídas com perfeição por Taylor Jenkins Reid. Todas são mulheres fortes, determinadas e donas de si, cada uma à sua própria maneira e jeito de ser. Capazes de gerar uma forte conexão com as leitoras.

A parte musical do livro é excelente. A obra transmite a sensação de ser transportado de verdade para a cena musical do rock’n’roll dos anos 70, a sensação é de conviver com a banda e apreciar todos os shows. As letras das músicas são muito bonitas, intensas e acompanhamos o processo criativo de Daisy e Billy para compor as músicas, o que as torna ainda mais especiais. A criação das músicas é narrada com tantos detalhes que é possível imaginar toda a sua sonoridade. A dinâmica de Billy e Daisy no palco apresentando essas músicas é algo que causa arrepios só de ler. 

Com certeza o livro Daisy Jones and The Six: Uma História de Amor e Música é um prato cheio tanto para os amantes de música e os interessados nos anos 70, como para todos que necessitam de uma leitura extremamente vívida e que não nos deixa tirar os olhos do livro. 

Sala 33
O Sala33 é o site de cultura da Jornalismo Júnior, que trata de diversos aspectos da percepção cultural e engloba música, séries, arte, mídia e tecnologia. Incentivamos abordagens plurais e diferentes maneiras de sentir e compartilhar cultura.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*