Home Na Estante ‘De olho nela’: a releitura moderna de um conto de fadas não tão familiar assim
‘De olho nela’: a releitura moderna de um conto de fadas não tão familiar assim

Uma blogueira nada convencional fica sob os holofotes do reality show que tanto criticou

Na Estante
24 maio 2021 | Por Lívia Magalhães (liviabmagalhaes@usp.br)

Em De olho nela (Editora Paralela, 2021), a autora estreante Kate Stayman-London traz uma história romântica e de fácil consumo que acompanha a blogueira de moda Bea Schumacher em busca de um grande amor. Essa sinopse, porém, que poderia facilmente caracterizar uma comédia romântica hollywoodiana dos anos 2000, nem começa a descrever o livro de estreia de Stayman-London.

A protagonista, Bea, gosta de falar sobre moda e compartilhar um pouco de sua vida com seus milhares de seguidores na internet. Mas, ao contrário da maioria das influenciadoras, especialmente as do meio fashion, Bea não tem o corpo das modelos de passarela: ela é plus-size, fora de um padrão estético imposto.

Apesar de termos uma protagonista “fora do padrão”, De olho nela retoma uma estrutura que já conhecemos muito bem: os contos de fadas. O leitor vê isso desde o primeiro capítulo: um flashback do intercâmbio que Bea fez para Paris, em que vai para um mercado de pulgas e, em um passe de mágica, encontra a capa mais maravilhosa que já havia visto — e justamente do seu tamanho. A magia não acaba aí, e a dona do pequeno estande, Jeanne, ao ver que Bea não tem como pagar, lhe dá o item. Jeanne é uma das muitas fadas madrinhas que podemos identificar na história, e seu presente para Bea é o pontapé inicial que lançou a protagonista no mundo da moda e da influência. 

Anos passam e, em uma noite regada à álcool acompanhando a estreia do reality show É pra casar?, Bea escreve uma crítica (por sinal, surpreendentemente bem escrita, levando em consideração a bebedeira) ao programa. No dia seguinte, a blogueira vê que suas cutucadas contundentes ao reality show, que reforçava padrões estéticos nada diversos, haviam viralizado. Pouco tempo depois, em uma jogada de marketing muito bem estruturada pela nova produtora do programa, ela é convidada para ser a protagonista da nova edição do É pra casar?. Isso significa que, ao longo de uma temporada, espera-se que Bea escolha um dos 25 outros participantes para — é claro — casar. 

Enquanto participa do reality show, Bea se coloca numa posição de vulnerabilidade que não estava acostumada. Apesar de habituada aos holofotes inerentes da vida de blogueira, quem colocava as luzes e ajeitava o cenário era sempre ela mesma. Em É pra casar?, Bea não controla como vai ser retratada na televisão, nem como os homens que, em teoria, competem para ser seu marido, irão tratá-la.

Retrato forográfico da autora Kate Stayman-London, de cabelo ondulado preto, batom vermelho, camiseta preta decotada e jaqueta felpuda cor-de-rosa

Kate Stayman-London, a autora de De Olho Nela [Imagem: Reprodução/Twitter/@_ksl]

Como em todo programa que se propõe a retratar a realidade, o tempo que Bea passa no É pra casar? é intenso e cheio de emoções e reviravoltas. Além de tudo isso, a protagonista tem que lidar com suas próprias inseguranças, agora expostas para toda audiência televisiva assistir. Talvez justamente por causa disso, Bea cativa a audiência, tanto a televisiva quanto os leitores do livro, e torcemos para que ela encontre o amor que tanto quer. Seus pretendentes, por outro lado, parecem que saíram mesmo de um conto de fadas. Os príncipes, infelizmente, são a minoria. Trolls, monstros, gnomos ardilosos e vilões cruéis são o que mais encontramos para infernizar a vida de Bea. É, afinal, um reality show.   

De olho nela utiliza de diferentes métodos para contar a história, que variam da narração onisciente até transcrição de matérias de revistas, mensagens de texto, e posts em redes sociais. Tudo isso, além da temática relativamente leve, confere uma dinamicidade ao livro que faz o leitor nem perceber a passagem das páginas. Mais do que isso, porém, De olho nela é uma história de amor: amor próprio e amor romântico. E amor é, afinal, tudo que você precisa.

*Imagem de capa: Lívia Magalhães/Jornalismo Júnior.

Sala 33
O Sala33 é o site de cultura da Jornalismo Júnior, que trata de diversos aspectos da percepção cultural e engloba música, séries, arte, mídia e tecnologia. Incentivamos abordagens plurais e diferentes maneiras de sentir e compartilhar cultura.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*