Home Controle Remoto Whindersson: engraçado, porém nem tão ‘Adulto’
Whindersson: engraçado, porém nem tão ‘Adulto’
Controle Remoto
10 jun 2020 | Por Juliana Alves (juliana_mendonca@usp.br)

Lanternas de celulares balançando. Música eletrônica. Vinte mil pessoas na plateia. Enorme estrutura. Muitas gargalhadas. Assim inicia-se o especial de comédia Adulto (2019) da Netflix, redigido e apresentado pelo comediante Whindersson Nunes.

Um dos maiores nomes da comédia brasileira atual, o piauiense Whindersson iniciou sua carreira por meio de vídeos de humor no YouTube. Hoje, seu canal é considerado um dos maiores do país, com quase 40 milhões de inscritos. A partir da internet, ganhou fama, participou de filmes e programas, fez shows em vários países e, no final de 2019, foi convidado pela Netflix para a parceria que resultou em Adulto.

Lançado em 190 países, a apresentação foi realizada em uma arena de Fortaleza com um palco de 360 graus, onde Whindersson, como de costume em vários shows, mantém sua aparência humilde, trajado de chinelos e uma camisa com o hino do Piauí. Ele utiliza linguagem simples e regional, carregada com sotaque e expressões nordestinas.

Whindersson Nunes gravou 'Adulto' no Centro de Formação Olímpica, em Fortaleza [Imagem: Divulgação]

Whindersson Nunes gravou ‘Adulto’ no Centro de Formação Olímpica, em Fortaleza [Imagem: Divulgação]

Como um clássico stand-up, o comediante relata acontecimentos de vida: momentos da infância, visita ao Luciano Huck, jantar com Neymar, casamento e lua de mel com Luísa Sonza, hoje sua ex-esposa. O show torna-se mais divertido com a criatividade do humorista na descrição dos relatos. Muitos gestos, imitações, interação com a plateia e efeitos sonoros com o microfone são ingredientes perfeitos para satisfazer o público com muitas gargalhadas. Os risos não escapam nem do próprio Whindersson que, em algumas situações, ri das próprias piadas.

Por um lado, ele faz críticas, de maneira sutil, sobre temas relevantes, como a preservação do meio ambiente. Também aponta a fragilidade da masculinidade, quando menciona a diferença de criação entre meninos e meninas. E, principalmente, há críticas sociais quando o comediante diferencia o rico do pobre.

Whindersson Nunes em 'Adultos', da Netflix [Imagem: Divulgação]

[Imagem: Divulgação]

Já por outro lado, há alguns desapontamentos ao longo do show, que seguem alguns padrões do stand-up brasileiro; por exemplo, os excessos de palavrões e de termos que se referem à genitália masculina. Há piadas que utilizam termos invasivos como “estuprador de capacete”, quando o humorista refere-se ao apelido que tinha na infância, e outras que estereotipam de maneira um tanto desagradável, como ao relacionar a figura do nordestino diretamente à feiura. Esses detalhes, talvez imperceptíveis para certa parcela do público, reforçam preconceitos e comportamentos inadequados. O título Adulto não está de acordo com as piadas retrógradas e intrínsecas ao humor brasileiro de baixo calão. Seria mais inovador se não houvesse esses deslizes desnecessários, recorrentes no humor do estilo besteirol.

Apesar das exceções, o especial de comédia da Netflix é uma boa pedida para sair da rotina e dar muitas risadas. Prova disso é que o especial chegou a ser o oitavo dentre os dez maiores conteúdos assistidos em 2019 na plataforma de streaming. Os assinantes da Netflix conseguem viver a experiência especial de assistir a um stand-up do conforto do sofá de casa, mas com a sensação de estar na cadeira da arena: respondendo, cantando e rindo com Whindersson Nunes.

Confira o trailer do especial de comédia Adulto:

 

 

Sala 33
O Sala33 é o site de cultura da Jornalismo Júnior, que trata de diversos aspectos da percepção cultural e engloba música, séries, arte, mídia e tecnologia. Incentivamos abordagens plurais e diferentes maneiras de sentir e compartilhar cultura.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*