Home Arena Literária Campeonato paulista: O Palmeiras é o time da virada
Campeonato paulista: O Palmeiras é o time da virada

Quase 80 anos depois, o Palmeiras é novamente Campeão Paulista em cima do São Paulo

ARQUIBANCADA
05 abr 2022 | Por Júlia Castanha (julia.castanha@usp.br)

Quem assistiu o jogo na quarta, provavelmente acreditou que não dava mais para o Palmeiras. Muitos são paulinos, inclusive, já haviam postado que eram campeões. Mas, como diz a música entoada pelos torcedores, “o Palmeiras é o time da virada”.

Virada Histórica do Palmeiras.

Virada Histórica do Palmeiras. [Imagem: Reprodução/Twitter].

O Choque-Rei conta com 335 confrontos, dos quais: 113 com vitórias do São Paulo; 112 do Palmeiras e 110 empates – o que mostra um grande equilíbrio entre as equipes. Além disso, foi o protagonista das últimas duas finais do Campeonato Paulista. Em 2021, a vitória foi são paulina, já em 2022…

O primeiro jogo da final, aconteceu dia 30 de março no Morumbi. Cerca de 60 mil são paulinos compareceram para a partida. Apesar do cenário favorável ao São Paulo, a mídia esportiva dava o Palmeiras como favorito, devido a sua ótima campanha invicta no campeonato. Contudo, a vitória foi do São Paulo que venceu o Palmeiras por 3×1 e apesar do primeiro gol ter saído de um pênalti questionável, o Tricolor fez sua melhor partida do ano. No fim do segundo tempo, Raphael Veiga diminuiu a desvantagem e deixou uma esperança no coração do torcedor alviverde.

O Palmeiras precisava fazer dois gols para levar a disputa para os pênaltis. A torcida única alviverde era uma vantagem, assim como o fato da partida ocorrer no Allianz, que não pode ter sua lotação completa devido a montagem do palco para o show do Maroon 5, que aconteceria dias depois. Apesar da tentativa de uma alteração do jogo para sábado, a partida permaneceu no domingo, “dia nobre do futebol” com essa peculiaridade: um palco montado durante a partida.

E a torcida realmente fez a diferença! No sábado cantou na porta do CT para incentivar o time, no domingo “carregou” o time até o estádio e depois cantou os 90 minutos incentivando os jogadores, realmente foram o 12º jogador.

Após a entrada de Divino, Ademir da Guia, com a taça do Paulistão, comemorando seus 80 anos; a partida começou e já ficou visível a estratégia dos times: o São Paulo iria se defender para manter o resultado; o Palmeiras iria atacar com todo seu poderio ofensivo. E a estratégia do segundo, foi a que deu mais certo.

Aos 22’, Danilo – que tanta falta fez no primeiro jogo -, abriu o placar após um escanteio curto; Zé Rafael, aos 28’ empatou no agregado, em um gol quase anulado, mas visto pelo árbitro Raphael Claus como apenas acidental. A partida foi para o intervalo completamente em aberto, com a sensação de que estava mais perto para o Palmeiras fazer um gol, do que o São Paulo.

Rogério Ceni mexe no time, começa o segundo tempo e com dois minutos da partida reinicializada, Veiga marca o seu após jogada espetacular de Dudu. São Paulo se desespera e o chiqueiro pega fogo. Aos 36’, novamente gol, após um erro da defesa são paulina, o palmeirense Raphael Veiga, marca novamente, e presenteia a torcida com mais um gol em final, sacramentando a épica virada do Palmeiras, sobre o São Paulo. 

A cabeça fria e o coração quente, proporcionaram ao torcedor alviverde um ótimo show, Verdão 4.

Apita o árbitro, Palmeiras campeão paulista pela 24ª vez. O nono título em 8 anos. O quinto, sobre o comando de Abel Ferreira, que deixa seu nome ainda mais marcado na história do Palmeiras e também do futebol brasileiro. O retranqueiro com o segundo melhor ataque da competição. O homem que chora copiosamente ao final da partida, abraça seus jogadores e agradece a torcida, exaltando a linda música que os palmeirenses tinham esquecido “o Palmeiras é o time da virada, o Palmeiras é o time do amor”.

Não Abel, a torcida não se esqueceu. É que desde que você chegou, ela ainda não tinha sido necessária.

O Palmeiras do Abel se consolida ainda mais com essa vitória! Mostra repertório, vontade, foco e principalmente, união. Um time coletivo, em que todos somos um. Um time difícil de ser batido, que ganha de todos os jeitos nos acréscimos, na prorrogação, no tempo regular e também, de virada. 

E enquanto os rivais cantam musiquinha sobre o Mundial, o Palmeiras segue sendo campeão.

Quase 80 anos depois da Arrancada Heróica do Palmeiras, o time que nasceu campeão, permanece campeão, e em cima do mesmo rival. E diferente do que falaram, o Verdão não se apequenou, pelo contrário, se tornou mais imponente.

 

*Imagem de capa: Reprodução/Twitter

Arquibancada
O Arquibancada é a editoria de esportes da Jornalismo Júnior desde 2015, quando foi criado. Desde então, muito esporte e curiosidades rolam soltos pelo site, sempre duas vezes na semana. Aqui, o melhor de todas as modalidades, de todos os pontos de vista.
VOLTAR PARA HOME
COMENTÁRIOS
Alex Felix da Silva
Ótima matéria. Parabéns!
08 abr 2022
 
José Edmilson
Como amante do futebol e palmeirense adorei a matéria. A narrativa me levou novamente ao domingo 3 de Abril ,dia que ficará marcado por uma superação Gigante do meu Verdão.
05 abr 2022
 
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*