Home Controle Remoto Paulo Gustavo: O eterno 220 volts brasileiro
Paulo Gustavo: O eterno 220 volts brasileiro

Conheça a caminhada do filho da mãe que iluminou o país com sua representatividade, energia e personagens marcantes

Controle Remoto
26 fev 2023 | Por Caio Andrade (caioandrade29@usp.br)

Paulo Gustavo Amaral Monteiro de Barros, filho de Déa Lúcia Vieira Amaral e Júlio Márcio Monteiro de Barros, nasceu no dia 30 de outubro de 1978, em Niterói, município do Rio de Janeiro. Irmão de Juliana Amaral, estudou no Colégio Salesiano durante seu ensino fundamental. O ator e comediante teve seu primeiro contato com o teatro em um curso pago por sua madrasta.

Uma imagem da antiga Família de Paulo Gustavo, com ele, criança, no colo de sua mãe e a irmã, bebê, no colo de seu pai.
A família inspiração para a criação de Carlos Alberto, Juliano, Marcelina e Dona Hermínia. [Reprodução/ Instagram @paulogustavopresente]

Em 2005, Paulo Gustavo formou-se em artes cênicas na Casa de Artes Laranjeiras, CAL, no Rio de Janeiro. Antes mesmo do fim de sua formação, o comediante teve uma participação significativa, para a crítica e para o público, na peça Surto, com a personagem Dona Hermínia, inspirada em sua mãe. O ator havia assistido à peça, antes de integrar o elenco, com sua amiga, a atriz, comediante e cantora, Samantha Schmütz, a qual sugeriu a criação de Hermínia, o grande sucesso de Paulo Gustavo. 

O ator está com quinze anos na foto. Ele está com uma camiseta vermelha, um cabelo castanho liso e segura uma pelúcia de leão
Ainda na adolescência, Paulo Gustavo reconheceu-se e se assumiu membro da comunidade LGBTQIAP+. [Reprodução/ Instagram @bloguenews]

Atuar com Otelo:

Em 2006, o ator , juntamente com seu colega da faculdade, Fábio Porchat, criou e estreou a peça Infraturas, que ocorria às terças e às quartas, no Teatro Cândido Mendes. A obra possibilitou a Paulo Gustavo a experiência de dar vida a cinco personagens femininas. Além disso, nesse mesmo período, o comediante integrou o elenco do espetáculo teatral João Ternura, dirigido por Marcus Alvisi.

Após a peça com Porchat, o ator começou a trabalhar na construção de sua estreia em um monólogo como Dona Hermínia. Com dificuldades financeiras e em tempos complicados para se encontrar trabalho, o monólogo surge como uma epifania a Paulo Gustavo. Com ajuda de sua tia e de seu pai, o comediante comprou o cenário e os produtos  utilizados na peça. As tecnicalidades artísticas foram comandadas por colegas já conhecidos do ator, como João Fonseca, que era o diretor do espetáculo. Por sua atuação em Minha Mãe é Uma Peça, nos teatros, Paulo Gustavo foi indicado ao Prêmio Shell de Melhor Ator, uma das maiores premiações brasileiras da área.

Em 2010, sob direção de seu amigo, o ator e comediante, Fernando Caruso, Paulo Gustavo estreou Hiperativo, sucesso de público e crítica. O comediante viajou o Brasil com a peça, na qual estava despido de maquiagem e figurinos, era somente o ator com roupas simples. Em uma espécie de conversa com a plateia,  o público tinha contato com a face de Paulo Gustavo, categorizada pelo adjetivo que nomeou a obra. Houve, inclusive, um especial no canal Multishow, que transmitiu a peça em rede nacional. A transmissão contou, além de uma plateia ao vivo, com participações de outros artistas, como Anitta e Samantha Schmütz. 

No ano de 2014, Paulo Gustavo trouxe aos teatros sua peça chamada 220 Volts, na qual o ator interpretava diversos personagens, dentre eles Senhora dos Absurdos, Bicha Bichérrima e Bianca. O espetáculo exibiu, com clareza, a personalidade do comediante por trás de seus personagens. O seu jeito elétrico e extrovertido encantou e, até mesmo, eletrizou plateias ao redor do Brasil. A peça teatral foi adaptada à televisão na forma de série, pelo Multishow, e também ao cinema. Esse foi um dos maiores sucessos televisivos na carreira do ator.  

Sua mãe e musa inspiradora foi companheira de cena de Paulo Gustavo no espetáculo Filho da Mãe. Esse título também é o nome do documentário produzido pela Amazon Prime, que conta a maneira como Dea Lúcia impactou a vida e carreira de seu filho.

Atuar com Dercy:

Paulo Gustavo faz sua primeira aparição na televisão na novela produzida pela Record, chamada Prova de Amor (2005-2006). Nesse mesmo ano, 2006, o ator fez seu primeiro trabalho na Rede Globo, na série Minha Nada Mole Vida (2006-2007). Outras participações também merecem destaque como na série A Diarista (2004-2007) e no Sítio do Pica Pau Amarelo (2001-2007).

Interpolando o teatro, a TV e o cinema, em 2008 o comediante estreou nas grandes telas brasileiras, no filme A Guerra dos Rocha (2008). No ano seguinte, Paulo Gustavo interpretou, juntamente a Lilia Cabral, o filme Divã (2009), o qual foi adaptado à série, com mesmo nome, e transmitido pela Rede Globo, com o ator interpretando o cabeleireiro René. Ainda em 2009, ele também participou da montagem cinematográfica Xuxa em o mistério da feiurinha (2009).

Paulo Gustavo também fez a transição da televisão para o cinema com o sitcom Vai que Cola (2013 -), exibido pelo Multishow. Nele, o comediante interpretou o protagonista Valdomiro Lacerda, malandro carioca, que, ao ser procurado pela polícia após ter cometido um crime na Beta Engenharia e desabrigado dezenas de idosos, fugiu do Leblon em direção à Zona Norte carioca, no bairro do Méier. Lá, Valdomiro encontra a pensão da Dona Jô, cheia de personagens marcantes que, assim como ele, adoram uma malandragem. O sucesso do sitcom foi grande,era o programa de maior audiência na televisão fechada brasileira e foi adaptado para o cinema em 2015. Paulo Gustavo teve sua última aparição na obra no início de sua sétima temporada, gravada durante o ano de 2020. Além de Valdomiro, o sitcom recebeu outros personagens do ator, que migraram do 220 Volts para a pensão da Dona Jô. A série permitiu ao público observar o comediante  fora do personagem, por ele  errar falas e por se divertir com seus colegas de cena, como em uma das encenações mais famosas da série, o momento no qual ele e Marcus Majella, Ferdinando na ficção, simplesmente não conseguem parar de rir e dar continuidade à trama.

Em 2014, Paulo Gustavo estrelou, ao lado de Mônica Martelli, o filme Os homens são de Marte… e é pra lá que eu vou (2014). O ator trouxe às telonas o personagem Aníbal, que ao lado de sua amiga, vive aventuras marcantes e cômicas. O sucesso do filme foi relembrado em sua continuação, lançada quatro anos depois, chamada Minha vida em Marte (2018). 

A Vila (2017-2020) foi uma das últimas produções  televisivas do ator. A série, produzida pelo Multishow e estrelada por Katiuscia Canoro e Heloísa Perissé, apresenta  uma trama leve e divertida. O Brasil pôde mais uma vez experienciar o humor eletrificante e, por isso, epifânico, de Paulo Gustavo. 

Anunciando a Mãe de Todo Brasileiro:

A obra-prima de Paulo Gustavo é a trilogia de filmes de Minha Mãe é Uma Peça (2013). A peça de sucesso de Paulo Gustavo, com o roteiro por ele assinado, foi adaptada para o cinema. O primeiro filme, que inicia a trajetória de Dona Hermínia e de seus filhos, Marcelina e Juliano, além de outros familiares, aumentou a visibilidade do ator a um elevado número de telespectadores. A obra foi escrita em parceria com Fil Braz e dirigida por André Pellenz. O elenco foi integrado por Herson Capri, Rodrigo Pandolfo, Marcus Majella, Samantha Schmütz, Ingrid Guimarães e outros nomes de destaque. O filme  baseado na mãe de Paulo, Déa, foi o longa mais assistido nos cinemas brasileiros em 2013, com aproximadamente 4,6 milhões de espectadores. 

O segundo filme da trilogia foi lançado três anos depois, em 2016, agora com direção de César Rodrigues. O roteiro foi assinado por Paulo Gustavo e por Fil Braz, assim como o primeiro. Nessa nova história, Dona Hermínia vivencia sua experiência como avó e as dificuldades em lidar com seus filhos. Marcelina vai para São Paulo, tornar-se atriz, enquanto Juliano está questionando sua homossexualidade.  A produção também retrata o falecimento da tia de Hermínia, Zélia, o que trouxe um toque dramático ao filme. A história, em seu primeiro final de semana de estreia, arrebatou uma audiência de um milhão de pessoas nos cinemas brasileiros. 

A obra se encerra em 2019, com o terceiro filme,  com Marcelina tendo uma filha, Juliano se casando e Hermínia mais encrenqueira e animada do que nunca. Os números conquistados pela sequência  impressionaram. Na mesma época em que foi lançado, dois filmes de nome internacional estavam em cartaz no cinema brasileiro:  Star Wars: A Ascensão Skywalker (2019) e Frozen 2 (2019), o que não impediu o destaque da longa-metragem do ator. A obra de Paulo Gustavo os superou e arrecadou 137 milhões de reais com sua bilheteria, tornando-se um dos filmes brasileiros de maior arrecadação, ficando atrás apenas de Tropa de Elite 2: O Inimigo Agora é Outro (2010). Além disso, a produção é um dos filmes brasileiros mais assistidos da história. 

A obra Minha Mãe é Uma Peça (Editora Objetiva, 2015), de Paulo Gustavo, está disponível também na forma de livro. 

Mulher com mulher, tudo bem. Homem com homem, também:

Paulo Gustavo, além de um ator de comédia consagrado em solo brasileiro, tornou-se também um símbolo da resistência LGBTQIAP+ no Brasil. O comediante, nas grandes telas de cinema, nos palcos de teatros e na televisão das casas brasileiras, trouxe debates importantes a respeito da sexualidade e da valorização do amor e da diversidade.

Paulo Gustavo vestido de Drag Queen loira, com um vestido brilhante e preto e luvas de renda pretas também Ele levanta os braços em sinal de força. A imagem está preta e branca
“Vamos ser viado pra sempre!”, Paulo Gustavo enunciava isso nos episódios do Vai que Cola dos quais encarnava a personagem Bicha Bichérrima. [Reprodução/ Instagram/ @paulogustavofez]

A relevância de Paulo Gustavo para essa comunidade foi sobressaltada com um prêmio póstumo concedido ao humorista, intitulado Transforma MIAW LGBTQIAP+. O prêmio, realizado pelo canal MTV, eternizou o ator Paulo Gustavo como um ícone da diversidade. A estatueta foi entregue ao viúvo dele, o dermatologista Thales Bretas. No ato do recebimento, Thales fez um discurso emocionante, celebrando Paulo Gustavo e sua representatividade. 

O Importante é Amar Alguém: 

O comediante mantinha um relacionamento com Thales , desde 2015. Ainda no ano de 2014, o ator e o dermatologista já apareciam juntos, em momentos românticos nas redes sociais e até mesmo em eventos mais midiáticos. Em agosto de 2015, o namoro foi confirmado pelo humorista. Nesse mesmo ano, no dia 20 de dezembro, Paulo Gustavo e Thales oficializaram seu amor perante os amigos e familiares, em uma cerimônia matrimonial no Parque Lage, localizado na Zona Sul do Rio de Janeiro. 

Paulo Gustavo faz carinho em Thales, enquanto este o olha com um olhar apaixonado. A foto apresenta uma legenda que diz: "O amor tá aí, mas é tão, tão raro encontrar alguém que saiba e queira amar"
O amor e companheirismo de Paulo e Thales registrado e poetizado. [Reprodução/ Instagram/ @universo_de_amor]

O desejo pela paternidade foi algo tão vivenciado pelos dois, que eles começaram a se organizar para realizá-lo. A primeira tentativa do casal foi em 2017. Paulo Gustavo anunciou nas redes sociais a espera de um casal de gêmeos, porém,a barriga de aluguel sofreu um aborto espontâneo. Posteriormente, o casal tentou mais uma vez e assim, realizaram o sonho da paternidade. Em agosto de 2019, Romeu, no dia 3, e Gael, no dia 17, nasceram nos Estados Unidos, frutos de uma inseminação artificial. Para Gael, foi utilizado o sêmen de Paulo Gustavo, enquanto para Romeu, foi utilizado o de Thales.

Paulo Gustavo está em uma piscina com o um chapéu de onça pintada enquanto segura seus dois filhos, ainda bebês, no colo
Paulo com Romeu e Gael no colo. [Reprodução/ Instagram/ @paulogustavo]

A família do ator — seu marido e seus dois filhos — apareceu no terceiro filme de Minha Mãe É Uma Peça. A cena é finalizada com Dona Hermínia, emocionada com os bebês no carrinho guiado pelo pai, o qual assume a paternidade com um outro homem. A mãe de Juliano pede para que um dia seu filho, prestes a casar, lhe dê uma família bonita como aquela. 

O Céu Me Sorriu:

Paulo Gustavo foi uma das mais de 600.000 mortes provenientes da COVID-19 no Brasil. No dia 13 de março de 2021, o humorista foi internado no Hospital Copa Star no Rio de Janeiro, em decorrência de complicações da COVID-19. Com um quadro de melhoras e recaídas, no dia 02 de maio,  ele teve uma embolia pulmonar, após redução de sedativos e contato com seu marido. Dois dias depois, os médicos atestaram que o quadro de Paulo era irreversível. No dia 04 de maio, às 21 horas e 12 minutos, Paulo Gustavo faleceu e uma luz de 220 volts apagou-se nos corações dos brasileiros. 

As homenagens foram muitas e a comoção intensa. O carisma e momentos divertidos com fãs e com seus incontáveis amigos do meio artístico foram relembrados por vídeos na internet. O site oficial de Beyoncé, ídola do comediante, o qual viajava para assistir aos shows da cantora, homenageou Paulo Gustavo em seu dia de falecimento.

O legado de Paulo Gustavo mantém-se aceso através de suas obras. Em sua última produção, em um especial de fim de ano da Rede Globo, com 220 Volts, o comediante deixou uma mensagem, que emocionou a todos os brasileiros: “As máscaras, que tampam os sorrisos, não podem impedir as pessoas de rirem, de expressarem a felicidade que transpassa a vida. Rir é um ato de resistência”, o ator  afirmou essa ideia no final de sua última aparição na televisão brasileira. Paulo Gustavo resistiu com a comédia e ensinou o povo a resistir também.

Um foto do comediante no fim de ano na Globo. Ele está com um chapéu e camiseta pretos, além de estar com um terno com estampa de escamas também preto. O fundo é brilhante
O Especial de Fim de Ano com 220 Volts foi transmitido pela Rede Globo no dia 30 de janeiro de 2020. Paulo deu uma lição sobre a importância da arte na vida de todos, o que se comprovou com a pandemia. [Reprodução/ Globoplay]

Uma forma de resistência, com seu nome como registro, surgiu no final de 2021. O projeto de lei complementar Paulo Gustavo, proposto pelo Senador Paulo Rocha, do PT, foi aprovado pelo Senado.  Esse projeto visa ajudar a cultura, devastado pela pandemia da COVID-19. Um valor de aproximadamente 3,8 bilhões de reais será distribuído ao setor cultural brasileiro. Os boicotes advindos de Brasília quase derrubaram a lei, através de vetos, que foram derrotados no dia 05 de julho de 2022 em uma nova reunião do Congresso. 

O ator foi registrado para sempre no município de Niterói, onde cresceu. Uma avenida nomeada Coronel Moreira César passou a ser chamada de Rua Ator Paulo Gustavo. 

Foto da placa da Rua Ator Paulo Gustavo que apresenta uma fotografia dele em preto e branco, além da sua famosa frase: "O humor salva, transforma, alivia, cura, traz esperança para a vida da gente"
A Rua Ator Paulo Gustavo, localizada em Niterói, no bairro de Icaraí. As placas foram instaladas no dia 19 de maio de 2021. [Reprodução/ Instagram @gazetadorio]

A importância do ator chegou, até mesmo, à Sapucaí. A escola de samba carioca, São Clemente, fez um samba-enredo baseado no eterno comediante, nomeado Minha Vida É Uma Peça. Trechos da obra relembram a luta de Paulo Gustavo, a aceitação da diversidade e sua célebre frase: “Rir é um ato de resistência”. Mas, um verso em específico, representa muito o que verdadeiramente ficou nos corações brasileiros: “Paulo Gustavo pra sempre”. 

No meio das luzes dos palcos, das televisões, do cinema e dos carros alegóricos, a energia de Paulo Gustavo, canalizada em 220 Volts, ilumina os caminhos da cultura e da sociedade brasileira. 

Foto de capa: Comunicação Visual/ Maria Fernanda Barros

Sala 33
O Sala33 é o site de cultura da Jornalismo Júnior, que trata de diversos aspectos da percepção cultural e engloba música, séries, arte, mídia e tecnologia. Incentivamos abordagens plurais e diferentes maneiras de sentir e compartilhar cultura.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*