Home Especiais Tóquio 2020 | Apesar de derrota, Abner Teixeira conquista o bronze no Boxe
Tóquio 2020 | Apesar de derrota, Abner Teixeira conquista o bronze no Boxe

Mesmo perdendo para o cubano Julio La Cruz, o brasileiro já havia garantido o terceiro lugar da categoria

ARQUIBANCADA
03 ago 2021 | Por Lucas Zacari (lucas.zacari@usp.br)

E veio mais uma medalha para o Brasil no 11º dia das Olimpíadas! Depois das conquistas na Vela, nos 400m com barreiras e no Salto com Vara, foi a vez de Abner Teixeira levar o bronze na categoria Peso Pesado (até 91 kg) do Boxe. Apesar de perder a semifinal para o cubano Julio La Cruz por 4 a 1, alcançar essa fase já o tornou medalhista olímpico.

A caminhada do brasileiro na Olimpíada de Tóquio começou na manhã de terça-feira (29), enfrentando o britânico Cheavon Clarke e vencendo por decisão dividida dos árbitros. Já nas quartas de final, Abner lutou contra Hussein Iashaish, da Jordânia. Apesar da intensidade no primeiro round do jordanano, Abner conseguiu virar a decisão dos árbitros nos dois seguintes e vencer a luta. 

Ao entrar no ringue, Abner já havia garantido ao menos uma medalha. Isso porque, pelo regulamento da modalidade, não há disputa de terceiro lugar e, portanto, concedendo o bronze aos dois derrotados nas semifinais . Para mudar a cor da premiação, o brasileiro precisava vencer La Cruz, tetracampeão mundial e ouro nos Jogos do Rio.

No primeiro round, apesar do favoritismo cubano, Abner mostrou a que veio, tentando aplicar golpes na cabeça e no corpo do adversário. No entanto, no minuto final, a intensidade do cubano aumentou, acertando socos no brasileiro, o que o fez vencer o round por 4 a 1.

Apesar de Abner ter conseguido equilibrar o segundo, os juízes também deram a vantagem para o último campeão olímpico, por decisão dividida de 3 a 2. Neste momento, somente um nocaute daria a vitória para o brasileiro. 

Mas não foi o que aconteceu. Assim como no round anterior, a intensidade que o brasileiro procurou em seus golpes acabou gerando desequilíbrios, o que favoreceu a entrada dos golpes de La Cruz. O cubano conseguiu aplicar sua estratégia e controlar a disputa. Com isso,teve vitória decretada por pontos, com quatro juízes dando a vitória para o tetracampeão mundial, contra somente um para Abner. 

Abner, de vermelho, acertando um golpe em La Cruz, de azul. [Imagem: Wander Roberto/COB]

Natural de Osasco e morador de Sorocaba, Abner Teixeira é uma das principais esperanças do Boxe masculino no país. Além de ser bicampeão juvenil, conquistou também o bronze no Pan-Americano de Lima. Em entrevista ao SporTV, o brasileiro se mostrou incomodado com a derrota, mas já mirando as próximas competições: “Em outubro, eu tenho o Campeonato Mundial de Boxe, em Belgrado, que é minha outra meta, ser campeão mundial de boxe. (…) [A Olimpíada de] Paris vai ser melhor, tenho certeza”.

A medalha de Abner foi a sexta do Brasil no histórico da modalidade, juntando-se a Servílio de Oliveira, Adriana Araújo, Esquiva e Yamaguchi Falcão, além do ouro de Robson Conceição na Rio 2016. Além dessas, o Brasil já possui mais dois pódios garantidos nesta edição dos Jogos, com Beatriz Ferreira e Herbert Conceição, que vão lutar nas semis no dia 05, respectivamente às 02:15 e 03:18, horário de Brasília.

*Imagem de Capa: Gaspar Nobrega/COB

Tóquio 2020 trave

Arquibancada
O Arquibancada é a editoria de esportes da Jornalismo Júnior desde 2015, quando foi criado. Desde então, muito esporte e curiosidades rolam soltos pelo site, sempre duas vezes na semana. Aqui, o melhor de todas as modalidades, de todos os pontos de vista.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*