Home Lançamentos Annabelle 3: De Volta para Casa. Seria esse o terceiro filme da saga ou um novo Invocação do Mal?
Annabelle 3: De Volta para Casa. Seria esse o terceiro filme da saga ou um novo Invocação do Mal?
CINÉFILOS
27 jun 2019 | Por Anderson M. Lima (anderson.marques.lima@usp.br)

Quando a continuação de um longa é anunciada, a primeira coisa que podemos esperar é que ele terá uma escala maior em comparação ao seu antecessor. Mas como fazer isso no caso de uma boneca amaldiçoada? Annabelle 3: De Volta para Casa (Annabelle Comes Home, 2019) tenta trazer o conceito de que “tudo pode ser possuído”, e a partir disso, vemos um show de diversos sustos derivados de tipos diferentes de assombrações, tudo arquitetado pelo demônio que habita a boneca. 

Como bem sabemos, a saga Annabelle pertence ao universo de Invocação do Mal, e apesar da conexão, o casal Warren (interpretados novamente por Patrick Wilson e Vera Farmiga) nunca havia tido muita importância para o desenvolvimento da narrativa. Esse conceito muda a partir desse filme, pois ele se passa especialmente na famosa casa dos Warren, o que acaba envolvendo toda a mística e fama que o lugar conquistou durante anos.

Se pensarmos pelo lado da continuidade, o filme começa justamente na cena inicial de Invocação do Mal (The Conjuring, 2013), quando os Warren percebem que a melhor solução para o caso, seria manter a boneca protegida junto ao restante da coleção de objetos amaldiçoados. E para quem já viu o longa de 2013, lembremos que já existe uma bela sequência envolvendo a filha do casal, Judy Warren (McKenna Grace), e a boneca aterrorizante. Nada mais natural do que continuar esse enredo no terceiro filme da saga. 

No entanto, o filme consegue funcionar de forma independente? De acordo com o produtor Peter Safran, em entrevista concedida ao Collider, sim: “Na verdade, ele terá muitas conexões com os outros filmes no universo de Invocação do Mal. Mas ao mesmo tempo, ele é um filme que funciona muito bem de maneira independente, pois temos uma história linear. Teremos Ed e Lorraine trazendo a boneca para casa, e então a história segue a partir disso. É um filme que se sustenta sozinho, mas se você viu os outros, poderá entender quem era a Judy”. Essa aproximação com o restante do universo nos traz algo mais familiar, pois o espectador já conhece o local onde tudo está acontecendo, viu o que ocorreu entre a filha do casal e a boneca, já conhece o mito envolvendo as façanhas dos Warren. 

Infelizmente, a cada filme que esse universo vai criando, os sustos se tornam cada vez mais simples e sem surpresas como na sequência envolvendo a personagem Daniela (Katie Sarife), amiga da babysitter que cuida de Judy, em que ela se encontra presa na Sala de Artefatos dos Warren. Apesar da tentativa de incluir algumas novidades envolvendo sustos, tudo se torna bem previsível e a oportunidade de fazer algo realmente assustador, se perde. Algo que ajuda nesse sentido é o distanciamento com algum fato verídico, já que Annabelle 3 se aventura por uma história totalmente nova e sem um background

A tensão está lá, a construção do terror, influenciada pelos feitos do diretor James Wan, também estão lá, mas o espectador já consegue prever o exato momento que o susto irá acontecer. Há até um esforço nessa questão de quebra de expectativa, como no início do longa, quando o carro dos Warren quebra justamente na frente de um cemitério. Ocorre um vai e volta para o susto se desenrolar, e ele acontece em um momento inesperado. 

O trio feminino passa por bons bocados durante o filme, mas a mais jovem (Mckenna Grace) leva o filme de forma mais natural  [Imagem: Copyright 2019 WARNER BROS. ENTERTAINMENT INC.]

O clima do longa está mais leve, há um quê de It: A Coisa (It: Chapter One, 2017) na ambientação do longa, pois vemos alguns acontecimentos envolvendo os personagens e problemas da adolescência, tais como insegurança, bullying, a descoberta do amor e etc, mas de forma bem rasa. O próprio diretor James Wan, criador desse universo, demonstra a intenção de fazer com que cada longa tenha um ar diferente, como explicou em entrevista concedida ao ComicBook: “Eu acho que é importante que você tenha cada filme, cada capítulo, com uma visão diferente sobre as coisas. E pela própria natureza de Annabelle 3: De Volta para Casa lidar com um elenco mais jovem, significa que você quer um filme mais divertido. Um filme mais de casa mal assombrada e montanha russa, e eu acho isso bom”. 

Amado por uns, odiado por outros, Annabelle chega ao seu terceiro capítulo e abre muitas portas para o futuro desse universo do terror. Infelizmente, intensificar o longa, ao mostrar muitos monstros, pode fazer com que se percam futuros derivados, já que há conceitos excelentes envolvendo novas assombrações, tais como O Barqueiro, O Lobisomem, entre outros.   

O longa tem estreia prevista para o dia 27 de junho no Brasil. Confira o trailer:

TAGS
Cinéfilos
O Cinéfilos é o núcleo da Jornalismo Júnior voltado à sétima arte. Desde 2008, produzimos críticas, coberturas e reportagens que vão do cinema mainstream ao circuito alternativo.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*