Home Escuta Aí De 7 Things a Malibu: a evolução musical de Miley Cyrus
De 7 Things a Malibu: a evolução musical de Miley Cyrus
Escuta Aí
25 ago 2017 | Por Jornalismo Júnior

Uma coisa é inegável: todos os artistas, ao longo de suas carreiras, passam por mudanças. Seu estilo musical, seu modo de se vestir e até seu vocal podem mudar, principalmente se eles tinham uma imagem que não querem ter mais. Esse foi o caso de Miley Cyrus. A cantora (que está voltando com tudo para o mundo da música) tem chamado a atenção, mas dessa vez não mais por suas roupas provocantes – e, às vezes, sem sentido – ou seus clipes ousados, e sim por sua nova postura mais madura e romântica. Pensando nessa volta que era tão esperada pelos fãs, o Sala33 resolveu fazer uma lista para relembrar os principais momentos da carreira da cantora e para mostrar sua evolução musical e vocal ao longo de seus 11 anos de carreira.

1. Tudo começou em 2006 com o lançamento de Hannah Montana no Disney Channel, mas foi em 2007 que Miley lançou o primeiro disco assinado com seu nome, e não com o da personagem. Apesar do intitulado “Meet Miley Cyrus” vir junto com o CD da segunda temporada da série, foi também seu primeiro passo para deixar claro que a Hannah era só uma personagem, e tinha uma outra artista por trás dela. A música mais conhecida dessa época foi Start All Over, que até ganhou um clipe. Com um som bem pop-rock e adolescente, em um único take Miley mostrou seu estilo rockeirinha, mas sem fugir do esperado de uma estrela da Disney.

2. Já em 2008, totalmente independente de Hannah Montana, Miley lançou Breakout, um disco cheio de sucessos como Fly On The Wall e, principalmente, 7 Things. Ainda com um estilo bem pop-rock, o hit foi inspirado no cantor Nick Jonas, com quem tinha acabado de terminar um relacionamento. O clipe foi um dos que mais trouxe sucesso para a cantora.

3. E chegou a hora de falar do eterno hit: Party in the USA. Com certeza essa música foi uma das mais famosas da carreira de Miley e marcou a infância e a adolescência de muitas pessoas. E não dá para deixar de falar que foi o início de uma mudança que seria profunda. Apesar de ter mantido seus longos apliques no cabelo, Miley começou a ousar um pouquinho em seus shows e o ano de 2009 foi marcado por sua apresentação no TCA (Teen Choice Awards) e o suposto “pole dance” (mal sabiam o que estava por vir). Na verdade, tal apresentação não foi nada demais, mas com a cantora no alvo da mídia, qualquer pequeníssimo desvio do comportamento padrão disneyano era totalmente repudiado.

4. The Climb, apesar de muito vinculado a personagem Hannah Montana, já que fazia parte da trilha sonora do longa lançado em 2009, é outra música de muito sucesso de Miley. No entanto, a canção marca o início do fim, já que no filme Miley encena a famosa retirada da peruca, revelando sua identidade a alguns de seus fãs. Um ano após “Hannah Montana, o Filme”, a última temporada da série, intitulada “Hannah Montana Forever”, foi ao ar e Miley começou a fazer questão de mostrar ao mundo que ela não era mais aquela menininha.

5. Já em 2010, Miley fez seu primeiro filme totalmente desvinculado da personagem de Hannah – após o início da exibição da série. When I look at you, pertencente ao seu disco “The Times of Our lives”, de 2009, virou clipe em 2010 e mostrou que Miley poderia ser uma ótima cantora e atriz, mesmo distante da Disney. O filme é um romance bem dramático que conta uma história sobre perdas e primeiros relacionamentos.

6. Can’t be Tamed foi um clipe muito esperado por todos os Smilers (nome dado aos fãs da cantora) de plantão e também foi o primeiro grande choque para quem estava acostumado a ver Miley como uma princesinha da Disney. Suas roupas curtas e suas letras que gritavam por liberdade marcaram o ano de 2010. O single faz parte do disco de mesmo nome e que foi lançado no mesmo ano em que a última temporada de Hannah Montana foi ao ar.  O estilo de Miley ficava cada vez mais pop e a cantora ficava cada vez mais longe da personagem.

7.  A era Bangerz marca a carreira de Miley por ser uma época cheia de polêmicas. Após um tempinho afastada do mundo musical para desvincular a imagem que tinha antes como Hannah, o mundo se assustou com seu estilo bem mais sexy e ousado, somado com seu novo corte de cabelo, seus vídeos fumando maconha, a comparação constante com Britney e o twerk, um tipo de dança considerado bem sensual. We Can’t Stop é o single que está nesse meio e está inserido no disco “Bangerz”, que mescla bastante o pop com o country. Além disso, não poderíamos deixar de mencionar a sua apresentação no VMA de 2013, onde – vestida de ursinho – causou polêmica pela sua dança sensual junto com o cantor Robin Thicke.

8. Wrecking Ball é outra música presente no disco “Bangerz” e que deixou o mundo boquiaberto com o lançamento do clipe, também em 2013. Nele, Miley está sentada em uma bola de demolição totalmente sem roupas e, para os acostumados com Hannah, isso foi um choque. O clipe atualmente está rumo às 900 milhões de visualizações e é o mais assistido de sua carreira. Nessa mesma época, a cantora também lançou o clipe da música Adore You, que tem um tom bem sensual.

9. Chegando ao final da lista encontramos um clipe um tanto quanto desconhecido: Dooo it! Os smilers sabem muito bem do que se trata, mas para o público em geral essa é uma era mais ofuscada. O single está presente no disco “Miley Cyrus and Her Dead Petz”, de 2015, que foi lançado gratuitamente no SoundCloud e produzido pela própria cantora. Apesar de conter várias parcerias, como Big Sean e The Flaming Lips. Dooo it – e também Bb Talk – marca uma época em que a cantora estava um pouco afastada dos palcos. Além disso, não dá para  deixar de falar que essa era é também marcada por seus looks “sem sentido”, cheio de pompons, pingentes e outros elementos considerados um pouco infantis.

10. E ela voltou com tudo! Mais uma vez, após um tempinho sumida, Miley retornou para o mundo da música e dessa vez é para ficar. Malibu, seu novo single, marca uma nova era romântica e bem country, onde tudo pode ser resolvido com amor. Em recentes entrevistas, Miley até disse que parou de fumar maconha e que está se sentindo muito mais disposta. Com certeza podemos esperar muitos outros sucessos dessa nova era vindo por aí, inclusive “Younger Now”, com data de estreia para o dia 29 de setembro, que promete ser mais um disco de sucesso da artista. Lembrando que o clipe da música que dá nome ao álbum já foi lançado e está conquistando o coração de todos com o refrão: “No one stays the same, you know what goes up must come down.Change is a thing you can count on. I feel so much younger now” (Ninguém continua o mesmo, você sabe que o que sobe tem que descer. Mudança é uma coisa com que você pode contar. Eu me sinto muito mais jovem agora).

Seja com um estilo mais pop-rock disneyano ou com um estilo country romântico, Miley continua conquistando corações pelo mundo a fora com sua doçura e sua loucura –  e ela sempre estará rodeada de fãs independentemente do estilo que resolva adotar. Em uma recente entrevista para a Harper’s Bazaar, Miley afirmou ter vários estilos diferentes e que mudar sempre faz parte de quem ela é. “Eu só quero que as pessoas vejam que essa sou eu agora. Não estou dizendo que não vinha sendo eu mesma. É só que eu tenho sido muitas pessoas, porque eu mudo muito. Ouço muitos comentários do tipo ‘queremos a Miley de volta’, mas você não pode me dizer quem é essa. Eu estou bem aqui”, disse.

Quer ver, ou melhor, escutar um pouco mais da evolução de estilo e musical da Miley? Confira também uma playlist do Spotify feita pelo Sala33 com algumas músicas de cada época da cantora – e que deveriam ter virado single.

Por Fernanda Teles
fernanda.teles@usp.br

Sala 33
O Sala33 é o site de cultura da Jornalismo Júnior, que trata de diversos aspectos da percepção cultural e engloba música, séries, arte, mídia e tecnologia. Incentivamos abordagens plurais e diferentes maneiras de sentir e compartilhar cultura.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*