Home Escuta Aí O furacão de criatividade: Katy Perry
O furacão de criatividade: Katy Perry
Escuta Aí
30 set 2015 | Por Jornalismo Júnior

Katy Perry chegou pela segunda vez ao Brasil para os shows de São Paulo, que aconteceram nos dias 25 de setembro, em São Paulo, no Rock in Rio 2015 dia 27, e depois em Curitiba, no dia 29, onde terminou sua passagem pelo país.

Imagem: Divulgação.

A primeira vez que veio para cá, Katy realizou duas apresentações, sendo uma delas também no Rock in Rio, para um público de mais de 100 mil pessoas. Dessa vez, a cantora foi a atração principal do último dia do festival e a primeira artista a ser confirmada para a edição comemorativa.

Essa série de shows, no geral, teve uma pegada mais futurística, inclusive com a adaptação de algumas músicas para uma batida eletrônica, e com foco no seu albúm novo, Prism. Por esse motivo, cantou músicas menos conhecidas por quem não conhece seu trabalho por completo, mas não deixou seus hits mais antigos fora do repertório, que foram entoados em coro com muita animação.

Assim como na sua primeira passagem pelo Brasil, o setlist agradou tanto os fãs dos primeiros discos, quanto os admiradores das músicas mais novas. E mais uma vez, Kate surpreendeu pelo figurino, que era trocado a cada duas ou três músicas. Em 2011, ela trocou dez vezes de roupa, seis só na música “Hot N’ Cold” em cima do palco, com técnicas de shows de mágica.

“Hot N’ Cold” no show de 2011, que foi todo inspirado em doces

O ponto alto da noite, do dia 27, foi “Legendary Lovers”, uma canção de temática mística, que foi acompanhada pelo fenômeno do eclipse lunar . Mas não foi o único, a produção em si é um espetáculo a parte, com luzes, dançarinos coreografados, fumaça, chuva de papel picado (em formato de corações e estrelas coloridos), fogos de artifício… tudo que um show pode ter! E completo em todos os sentidos.

Imagem: Divulgação.

A quantidade de detalhes mostra o envolvimento dela em toda a produção. Tudo é elaborado para surpreender e entreter; Katy prende a atenção dos mais resistentes e faz até seguranças dançarem. Esse aspecto faz parte de sua personalidade, que desde o começo de carreira faz questão de ter outros elementos no palco, instigando o público a assistir ao show, curioso para ver o que mais ela pode fazer para impressionar.

Imagem: Divulgação.

O encantamento pela cantora é tanto que os fãs fazem o que podem para ficar um pouco mais próximos dela. Em São Paulo, os admiradores ficaram na fila por quase um mês para conseguirem ficar perto do palco quando os portões se abrissem, outros se fantasiaram para tentar chamar atenção da artista. Katy retribuiu esse carinho dos brasileiros, que ajudaram quando ela passava por um momento pessoal difícil em 2011 (um divórcio). Ela demonstrou seu amor com declarações, interagindo com o público e chamando fã no palco.

Imagem: Divulgação.

Katy é autêntica, divertida, carismática, tem presença de palco: é uma verdadeira diva. Ela nasceu para entreter e inspirar. Sem falar que cumpre a missão do “quem sabe faz ao vivo”, sustentando as notas mais altas ao mesmo tempo que dançava, pulava e falava com a plateia (nada de playback).

Vale ir pelo menos uma vez na vida em um de seus shows porque eles te transportam para um universo paralelo como nenhum outro faz.

Por Isabella Galante
isabellavgalante@gmail.com

Sala 33
O Sala33 é o site de cultura da Jornalismo Júnior, que trata de diversos aspectos da percepção cultural e engloba música, séries, arte, mídia e tecnologia. Incentivamos abordagens plurais e diferentes maneiras de sentir e compartilhar cultura.
VOLTAR PARA HOME
COMENTÁRIOS
Bates Motel: muito mais que incesto e distúrbios mentais | Sala 33
[…] por um xerife. Simultaneamente, Norman tem um smartphone, seus amigos bebem cerveja e ouvem Katy Perry, Arctic Monkeys e Ed […]
26 fev 2016
 
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*