The Lizzie Bennet Diaries – Orgulho, preconceito e internet (Parte II)

24 de março de 2013  |  por Sala 33   |    1 comentário
The Lizzie Bennet Diaries – Orgulho, preconceito e internet (Parte II)

Com a utilização da transmídia, a adaptação moderna de Orgulho e Preconceito, The Lizzie Bennet Diaries, extrapola o universo da narrativa original de Austen. A construção da série faz com que os personagens demandem mais detalhes e se tornem mais vivos e completos, começando pelo fato de que eles literalmente falam sobre si próprios com o público. Além disso, as ações de cada um fora dos vídeos, como likes dados em vídeos do youtube, tweets, retweets e reblogs no tumblr, e a criação dos spinoffs permitem conhecê-los melhor. Recentemente, até mesmo uma entrevista com um dos personagens foi publicado por um site real, o Leaky News.

Tudo isso permite que mais detalhes sejam adicionados à história, que não seriam vistos apenas pela perspectiva de Lizzie. Um desses detalhes foi a profundidade dada às personagens de Lydia Bennet e Gigi Darcy e à extensão que suas participações no enredo tomaram.

Fanart das irmãs Bennet

Fanart com irmãs Bennet. Reprodução do Tumblr All Kinds of Random Things

Em TLBD, parte da narrativa explora as relações das irmãs Bennet, especialmente entre Lizzie e Lydia. Se no texto original, as principais descobertas da protagonista sobre seus pré-julgamentos estavam relacionadas a seu ex-antagonista e futuro marido Mr. Darcy, em TLBD elas também dizem respeito à maneira como ela vê sua própria família e pessoas que a rodeiam em geral.

A transmídia de TLBD é uma das grandes responsáveis pelo sucesso da iniciativa e crescimento de sua fanbase, sem os quais os vídeos teriam parado no episódio 24, até onde a fase experimental do projeto estava prevista. É certo que a série já atrairia atenção em função da escolha por uma adaptação do famoso Orgulho e Preconceito, além de ter como viewers uma considerável parcela do público do VlogBrothers e dos fãs dos irmãos Green. No entanto, como não poderiam de deixar, esses fãs também estavam presentes nas redes sociais e TLBD passou a ser conhecida por certa propaganda tweet-a-tweet ou reblog-a-reblog (o boca a boca da web).

Foto postada no Instagram pela personagem Ashley

Foto postada no Instagram pela Ashley

Há um episódio em que Lizzie diz: “esses vídeos se tornaram maiores que eu”. Trocadilho dos roteiristas ou não, essa é a mais pura verdade. A verossimilhança dos personagens e suas relações, o formato de vlog e as maneiras pelas quais alguns pontos da história eram conhecidos tornaram o público cada vez mais envolvido. A expectativa por novos vídeos era constantemente instigada pelos desdobramentos da trama nas redes sociais e por certas pontas intencionalmente soltas deixadas nas contas de Twitter, Tumblr e até mesmo sites surgidos inesperadamente. O resultado foi que a série passou a gerar algumas comoções na web e a atrair ainda mais viewers, com a curiosidade incentivada por uma postagem qualquer (caso da pessoa que lhes escreve). O total de visualizações dos vídeos do canal principal já passou dos 25 milhões.

The Lizzie Bennet Diaries passou a ser assunto de discussão e freaking outs em fóruns e redes sociais – com destaque para o Tumblr, onde as tags sobre a websérie explodem de gifs e memes – e, como muitas séries e filmes famosos, TLBD também passou a ganhar várias fanarts e fanfics. O fandom também assumiu uma identificação própria: são os lbd seahorses, nome que surgiu a partir de uma conversa entre alguns fãs em um hangout do Google+ (entenda mais aqui).

Isso tudo sem falar da relação próxima que os atores da série criaram com os fãs, com postagens e interações frequentes nas redes sociais. Um exemplo foi a criação do Tumblr Lizzie’s Clothes pela atriz principal, Ashley Clements, e com participação posterior de Mary Kate Wiles, para responder exclusivamente às perguntas sobre as roupas que vestem nos episódios.

Eeação de fãs após a divulgação de um episódio.

Reação de fãs após a divulgação de um episódio

O fandom reage a cada vídeo upado, foto e tweet postado. Um dos dias mais marcantes e em que toda a dimensão do sucesso da série foi notada, foi o lançamento do episódio em que William Darcy aparece pela primeira vez na série (ep. 60). E naquele dia 1º de novembro o frisson foi instaurado, antes e após a liberação do vídeo. Antes mesmo que os showrunners pudessem pensar, alguns fãs iniciaram a hashtag #DarcyDay no Twitter e Tumblr. Em seu Tumblr, o roteirista principal Bernie Su contou que o vídeo teve mais de 100 mil acessos em menos de 24 horas e, até aquele momento, era o segundo episódio da série com mais likes no Youtube. No mesmo dia, o ator Daniel Vincent Gordh, que interpreta Darcy, viu seus seguidores no Twitter pularem de 30 para 2.500.

Comoção similar aconteceu no clímax da história. Durante cerca de duas semanas, o fandom explodiu de ansiedade para saber quais seriam os acontecimentos dos episódios  seguintes e quais os próximos passos dos personagens. A espera pelos capítulos era praticamente insuportável e as reações após a divulgação eram de todos os tipos.

Sem dúvidas, no último vídeo as emoções devem novamente chegar a seu ápice. Mas a impressão que fica, agora que a série chega ao final, é que TLBD talvez seja uma das séries que mais envolveu seu público, mantendo-se o tempo todo nas mentes dos fãs. E como uma vez que algo cai na web, daqui nunca sai, muita gente ainda descobrirá a série. É certo que talvez o envolvimento (e vício) não seja tão grande como o de quem acompanhou tudo em tempo real, mas não haverá como não se divertir com Lizzie, Lydia e companhia , ou deixar reconhecer a qualidade do trabalho feito pela equipe de Hank Green e Bernie Su.

Ficou curioso? Neste link você consegue ver todo o conteúdo da série na ordem correta, sem perder nada. Não leu a Parte I? Corre e clique aqui!

por Bruna Romão
bruna.romao.silva@gmail.com

 

Comentários (1)