Jornalismo Júnior

logo da Jornalismo Júnior
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Pokemón: Eu Escolho Você – Uma dose certa de nostalgia

Pokemón: Eu Escolho Você (Pokémon the Movie: I Choose You!, 2017) começa com uma pequena biografia do protagonista Ash. Ao atingir 10 anos, o garoto começa a sua caminhada para se tornar um mestre pokémon. Para dar início à aventura, Ash tem que escolher seu primeiro pokémon, porém os melhores já foram escolhidos e lhe …

Pokemón: Eu Escolho Você – Uma dose certa de nostalgia Leia mais »

Pokemón: Eu Escolho Você (Pokémon the Movie: I Choose You!, 2017) começa com uma pequena biografia do protagonista Ash. Ao atingir 10 anos, o garoto começa a sua caminhada para se tornar um mestre pokémon. Para dar início à aventura, Ash tem que escolher seu primeiro pokémon, porém os melhores já foram escolhidos e lhe sobra o pequeno Pikachu. Aparentemente fofo, Ash não espera que a miniatura amarela tenha tanto poder com o seu choque do trovão. O desafio começa já no início quando Pikachu se recusa a entrar na pokebola, dificultando a missão de Ash em protegê-lo.

O filme permanece com a estética dos anos 2000 presente no anime (1997). Mas a nostalgia não para por aí. Após a pequena ambientação da história de Ash e Pikachu, a clássica música de abertura começa, para a felicidade dos fãs da franquia. O longa funciona como um longo episódio.

A trama demora a ser entendida, porque o filme segue por muito tempo sem um objetivo definido. Na sua aventura, Ash busca capturar o pokémon lendário, Ho-oh, mas mesmo essa busca permanece em segundo plano durante o decorrer do filme. Tanto Ash como Pikachu têm temperamentos fortes e isso afasta os dois no começo. Em um momento, depois que Ash diz que preferia outro pokémon, o pequeno amarelo foge. Só então Ash começa a perceber que Pikachu se tornou o seu melhor amigo e só uma união entre dois garantiria a sobrevivência.

O filme mostra que os mestres bem sucedidos são aqueles que desenvolvem uma relação de amizade e proximidade com o seu pokémon. A cena icônica de Ash virando pedra comove os telespectadores. Pikachu começa a chorar, mas o momento é quebrado quando o pokémon faz algo inédito, algo que não se encaixa na sua personagem e essa “quebra de regras” talvez desagrade os fãs que acompanham a franquia, pois uma característica importante da personagem foi desrespeitada.

Além dos momentos sentimentais, o longa é recheado de cenas engraçadas que fazem a plateia cair na risada. A dose de humor é precisa, principalmente nos raros momentos de aparição da icônica Equipe Rocket. Assim como no desenho, eles estão sempre decolando na velocidade da luz e nunca conseguem concretizar os seus planos. O trio atrapalhado, apesar de pouco aparecer na tela, é a responsável por causar a maioria das risos no filme. Outros pokémon famosos aparecem durante a tela.

Fora a quebra causada pela ação inesperada de Pikachu, Pokémon: Eu Escolho Você mostra durante as cenas finais que a verdadeira trama não é a conquista do pokémon lendário e, sim, o desenvolvimento da relação entre o mestre e seu pokémon. O longa tem a dose certa de nostalgia para quem quer matar a saudade do famoso anime e também tem potencial para conquistar um novo público infantil que não teve contato com a animação.

Confira o trailer:

Por Julia Vieira
juliavcamargo@live.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima