Home Festivais 44ª Mostra Internacional de SP: ‘Impedimento em Cartum’
44ª Mostra Internacional de SP: ‘Impedimento em Cartum’
CINÉFILOS
21 dez 2020 | Por Filipe Albessu Narciso (filipe.narciso@usp.br)

Esse filme faz parte da 44ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo. Para mais resenhas do festival, clique na tag no final do texto.

“Sob o atual regime militar islâmico, as mulheres não podem jogar futebol no Sudão. E também não podemos fazer filmes, mas…”

Assim se inicia Impedimento em Cartum (Khartoum Offside, 2019). O documentário demonstra a luta das mulheres sudanesas pelo direito de serem futebolistas reconhecidas pela sua nação. Nele, o futebol é uma espécie de ferramenta para o empoderamento feminino e também para o questionamento de um regime que nega a mulheres seus direitos básicos.

O longa expõe como a paixão pelo esporte prevalece, independentemente de adversidades. É possível testemunhar a força de vontade, o desejo e a admiração dessas mulheres até mesmo ao assistirem a campeonatos internacionais de futebol. Existe uma juventude feminina apaixonada pelo esporte no país e é a ela que a diretora Marwa Zein quis dar visibilidade internacional em seu primeiro longa-metragem. 

O que é ser sudanesa e amar futebol? As pessoas representadas no longa não são revolucionárias em um sentido de extremo martírio. São mulheres comuns que revolucionam ao contestar, por exemplo, a obrigatoriedade do uso de um véu durante a prática do esporte, uma vez que ele prejudica o bom desempenho nas partidas. Assim, a falta de estrutura é também somada à repressão social e governamental em virtude de dogmas e tradições misóginas. Porém, existe também o companheirismo das colegas de profissão e daqueles próximos a sua causa.

 

Imagem aérea de Cartum, capital do Sudão. [Imagem: Divulgação/ORE Productions]

Na foto acima, Cartum, capital do Sudão. [Imagem: Divulgação/ORE Productions]

 

Uma das personagens mais relevantes do longa é Sarah Jubara. A esportista vive uma espécie de “dupla nacionalidade”, pois nasceu na antiga região sul do país, antes do movimento separatista que levou à guerra responsável pela formação do atual Sudão do Sul. É apontado no longa que a população local não esperava uma separação e que muitos fugiram para Cartum devido ao cenário de guerra na região.

Com uma fotografia impressionante, o longa expõe a realidade de um país assolado por um baixo desenvolvimento humano e pelo cerceamento a liberdades individuais. A batalha por validação realizada pela capitã Jubara e seu time é apenas reflexo da luta de mulheres reais pela redefinição de papéis de gênero excludentes. 

Entre serem chamadas pelo Departamento de Segurança do Estado para depor devido ao futebol e serem julgadas durante o sermão religioso como pecaminosas e vergonhosas, essas jovens combatem o preconceito sozinhas de forma contínua. É exposto como a Federação Internacional de Futebol (FIFA) promete auxílio ao futebol feminino sudanês sem, todavia, promover qualquer forma de mudança.

 

Em cena de Impedimento em Cartum, um retrato representativo da vulnerabilidade social do Sudão. [Imagem: Divulgação/ORE Productions]

[Imagem: Divulgação/ORE Productions]

E é nesse contexto sob a Lei Sharia que elas aprendem, ainda que não intencionalmente, a questionar noções de feminilidade e masculinidade e, mais ainda, que política e esporte são conceitos intrínsecos. “O futebol é para homens e inapropriado para mulheres. Devemos advertir contra tudo o que possa causar a abolição das diferenças entre homens e mulheres”, afirma o governo. 

A resposta das protagonistas?    

“Nosso objetivo é mostrar às pessoas, no Sudão e depois no resto do mundo, que há meninas que jogam futebol.” 

Confira o trailer de Impedimento em Cartum:

 

*Imagem de capa: Divulgação/ORE Productions

Cinéfilos
O Cinéfilos é o núcleo da Jornalismo Júnior voltado à sétima arte. Desde 2008, produzimos críticas, coberturas e reportagens que vão do cinema mainstream ao circuito alternativo.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*