Home Arena Literária E o Galo? O Galo lutou, ganhou e É CAMPEÃO!
E o Galo? O Galo lutou, ganhou e É CAMPEÃO!

Carnaval fora de época da massa atleticana marca o biCAMpeonato brasileiro do Atlético Mineiro

ARQUIBANCADA
05 dez 2021 | Por Guilherme Bento (guilhermebento@usp.br)

O Campeonato Brasileiro de Futebol de 2021 finalmente conheceu o seu campeão na noite desta quinta-feira (02). O Atlético Mineiro, em um jogo emocionante fora de casa contra o Bahia, confirmou sua vitória por 3 a 2 na Arena Fonte Nova, em Salvador. O tão sonhado bicampeonato veio após 50 anos desde a sua última conquista do Brasileirão em 1971 e deixou a capital mineira em festa até o amanhecer.

O jogo já era muito esperado por ambos os lados. O Bahia começou a partida na zona de rebaixamento e apenas a vitória poderia tirá-lo do grupo de degola do Brasileirão. Para o Atlético a vitória também era essencial, pois ela garantiria o título matematicamente de acordo com a tabela de classificação com duas rodadas de antecedência para o fim do campeonato. 

O primeiro tempo foi marcado por algumas chances de gol para ambos os lados, mas apenas no segundo tempo que o placar saiu do zero, indicando os dois gols do Bahia. 2 a 0. Nessa altura da partida já se passava pela cabeça do torcedor que o grito poderia ser adiado até o próximo domingo, 05, no jogo contra o Bragantino. 

Entretanto, não estava nos planos de Hulk e Keno que a massa atleticana segurasse o seu grito de campeão por muito mais tempo. Em um espaço de cinco minutos de partida, o torcedor atleticano viu o placar do time abrir, empatar e virar o jogo e, assim, a conquista do tão sonhado campeonato chegou com o placar de 3 a 2. E foi dessa maneira, sempre seguindo  a máxima de “se não tem sofrimento não é galo”.

 

A Festa do Galo

Torcedores se concentraram em frente à sede do Clube no bairro Lourdes [Imagem: Reprodução / Twitter Atlético]

Catarse! Assim foi a noite belorizontina. A cidade já estava movimentada durante a partida, porque vários torcedores optaram por assistir ao jogo nos bares da capital mineira. Após o apito final, mais pessoas foram tomadas pela alegria e o êxtase do título e rumaram para o centro da cidade, se concentrando na Praça Sete e na sede do Clube no bairro Lourdes. Era o verdadeiro carnaval atleticano.

Às 21h00 os principais acessos à região central tinham um fluxo de carros semelhante ao horário de pico. O metrô trazia cada vez mais gente. A falta de ônibus em razão da greve dos motoristas não conseguiu impedir a chegada da multidão de torcedores para as comemorações.

Em meio ao povo, cada “GALO” que era gritado carregava consigo toda a tradição do clube. Muitos ali não eram nascidos na conquista de 1971, mas de geração em geração o amor, respeito e lealdade pelo clube se manteve vivo sempre trazendo a tarefa e desejo de manter a instituição no topo, onde ela merece estar. 

A torcida ficou concentrada até o amanhecer entoando os cânticos do clube, ostentando com orgulho os símbolos daquele time e vibrando a cada oportunidade. Não houve um momento sequer que deixaram de soltar foguetes em comemoração. A festa foi gigante, assim como é a história do Atlético Mineiro e assim como serão os próximos anos com a construção do seu novo sonho na Arena MRV.

 E ao amanhecer, reverenciando o elenco do time que passou ali para ver sua torcida, ainda se ouvia na Praça Sete a música de Beth Carvalho que virou símbolo da massa: “Eu vou festejar, vou festejar, o teu sofrer, o teu penar”.

Arquibancada
O Arquibancada é a editoria de esportes da Jornalismo Júnior desde 2015, quando foi criado. Desde então, muito esporte e curiosidades rolam soltos pelo site, sempre duas vezes na semana. Aqui, o melhor de todas as modalidades, de todos os pontos de vista.
VOLTAR PARA HOME
COMENTÁRIOS
caio
AI CREDO O GALÃO GANHOU MAIS UMA VEZ
07 dez 2021
 
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*