Home Personagem Protagonistas criadores de ranço
Protagonistas criadores de ranço
CINÉFILOS
03 mar 2020 | Por Thaislane Xavier (thaislanexavier@usp.br)

Os protagonistas são, ou deveriam ser, os personagens mais importantes de uma trama. Aqueles com uma história tão boa que merece ser contada com tudo girando, de certa forma, ao redor deles. Eles também deveriam ser os queridinhos do público, ou seja, aquele personagem mais amado pelos espectadores.

No entanto, de acordo com essa definição, há alguns protagonistas que não são exatamente protagonistas. Há atuações ruins que prejudicam o personagem e eles acabam perdendo o posto para algum outro. Em outras situações, o ator pode ser muito bom, mas o personagem é entediante ou irritante e decepciona o público. 

Independente do motivo, alguns protagonistas só não descem para quem assiste a um filme. Essa lista ~que pode conter polêmicas~ vem para listar personagens não suportados e os motivos pelos quais eles são tão detestados, seja por uma pessoa ou várias.

[Imagem: Reprodução]

Bella Swan: A maioria daqueles que assistiram a saga Crepúsculo (Twilight) concordam que a personagem principal não tem graça nenhuma. Ela é inexpressiva e está sempre se curvando às vontades de alguém, em especial do seu grande amor Edward Cullen (Robert Pattinson).

Bella (Kristen Stewart) compara a sua existência comum com a mais que perfeita do vampiro, chegando ao ponto de comparar a caligrafia dos dois durante um trabalho de biologia e dizer que não quer estragá-lo com sua caligrafia feia comparada com a dele. Isso demonstra problemas de autoestima da personagem, problema enfrentado por boa parte dos jovens de hoje em dia, mas a personagem acaba se autodepreciando ao se comparar com seu par romântico.

Essa repetitividade de autodepreciação de Bella, enquanto ela eleva Edward ao padrão inumano de perfeição ~o que é facilmente atingido por ele que não é humano~ torna o enredo cansativo e a personagem entediante. 

[Imagem: Reprodução]

Derek Zoolander: O personagem principal de Zoolander faz jus ao filme e é uma piada que deu errado. A intenção era que o filme fosse de comédia, mas é tão forçado que chega a ser trágico. O longa como um todo não tem a melhor qualidade do mundo e seu enredo não faz nem sentido. 

O protagonista só dá continuidade a uma centena de outros pontos ruins do filmes. O tema principal são modelos masculinos. Derek (Ben Stiller) perde uma competição para um jovem modelo, o que cria uma revolta no personagem que decide sair do mundo da moda e tentar encontrar autoconhecimento.

Ele, no entanto, é forçado, não possui graça nenhuma e é mais exagerado do que o personagem pedia. Sua expressão facial é sempre a mesma e a junção de suas sobrancelhas e boca torta formam uma careta que fica difícil de suportar durante todo o filmes. A junção de um personagem mal construído e uma interpretação que está longe das melhores criou o desastre que se vê em Zoolander.

[Imagem: Reprodução]

Sierra Burgess: No começo de Sierra Burgess é uma Loser (Sierra Burgess is a Loser, 2018), você pode até gostar da personagem que foge do padrão modelo e parece não se importar com o que seus colegas pensam. Mas, ao longo da trama, se percebe que não é bem assim. 

Ela começa uma relação com Verônica (Kristine FrØseth), inicialmente sua rival. Enquanto Sierra (Shannon Purser) dá aulas de reforço para Verônica, essa deve ajudá-la a conquistar Jamey (Noah Centineo). A relação de Jamey e Sierra, no entanto é construída em cima de uma mentira, pois ele acredita que a pessoa com que conversa pelo celular é Verônica.

A personagem principal se mostra mais insegura do que o início leva o telespectador a acreditar. Ela precisa usar sua nova amiga para conquistar o cara que gosta só porque não se considera tão bonita e acredita que ele pode se decepcionar.

Seu caráter também se torna duvidoso, afinal, ela mente para Jamey e o beija enquanto ele, de olhos fechados, acredita beijar Verônica. Além disso, quando sua mentira é descoberta e Sierra desconfia que “seu amor” e aquela que era sua rival estão juntos, sua vingança é pesada e o filme acaba com o telespectador criando ranço de Sierra e preferindo a personagem de Kristine.

[Imagem: Reprodução

Katniss Everdeen: Talvez a mais polêmica da lista. A personagem de Jogos Vorazes (The Hunger Games) é aclamada pela maioria do público, mas nem todos compartilham dessa opinião. 

Katniss (Jennifer Lawrence) pode até ser o rosto da revolução, o que não significa que ela é revolucionária. Sua intenção não é ser revolucionária, ela apenas se preocupa em salvar as pessoas que a cercam. Isso fez com que a revolução se iniciasse? Claramente, mas não era o propósito da personagem, foi quase por acidente. 

Logo, ela não pode ser considerada revolucionária desde o início. Obviamente ela mudou com o tempo. Graças ao seu convívio com outras pessoas que queriam se rebelar, a personagem se tornou mais crítica e suas atitudes passaram a ser mais revolucionárias.

Depois, a personagem às vezes só é chata mesmo. Seu comportamento perante certas situações, sua mania de se colocar em situações de perigo e roubar a cena de forma desnecessária e, principalmente, sua arrogância a tornam desagradável em vários momentos. 

Ao longo da saga, a personagem é endeusada como ícone revolucionário e isso faz com que ela tenha uma certa arrogância e egocentrismo, o que não deveria acontecer com uma personagem que está preocupada em “mudar o mundo”.

Cinéfilos
O Cinéfilos é o núcleo da Jornalismo Júnior voltado à sétima arte. Desde 2008, produzimos críticas, coberturas e reportagens que vão do cinema mainstream ao circuito alternativo.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*