Home Sem categoria 5 anos da maior virada na história da NBA
5 anos da maior virada na história da NBA

Com comando de LeBron James, Cavaliers vira sobre o Warriors e sagra-se campeão da NBA pela primeira vez.

ARQUIBANCADA
19 jun 2021 | Por Damaris Lopes (Damislopes@usp.br) e Fernanda Real (fernandaumezaki@usp.br)

Em 19 de junho de 2016, o Cleveland Cavaliers tornou a conquista do seu primeiro título da National Basketball Association um feito para lá de histórico. Além do fato de a final da temporada ter sido realizada em sete jogos disputadíssimos, o primeiro título do time da cidade de Cleveland contou com bons desempenhos das personagens mais relevantes do basquete mundial, como Lebron James, Kyrie Irving e Kevin Love. 

Taça essa que ficou na memória por uma série de motivos. Primeiramente, pois a equipe não ganhava nenhuma competição no esporte norte-americano desde dezembro de 1964. Em segundo, consagrou-se campeão na casa do adversário, sendo apenas a quarta vez na história que um time da NBA conseguiu tal feito fora de casa. Por fim, foi a primeira equipe a ficar com o título após sair perdendo por 3 a 1 nas finais.

Do outro lado da quadra, pelo Golden State Warriors, Draymond Green, Stephen Curry e Klay Thompson consagram-se como os maiores pontuadores do time, na partida que fomentou uma das maiores rivalidades recentes da liga.

Para quem assistiu à conquista do título da NBA de 2015 e acompanhou o desempenho do Golden State Warriors ao longo da temporada seguinte, o favoritismo e, consequentemente, o bicampeonato do time de São Francisco em 2016, estava mais que certo. Porém, essas apostas deixaram de lado os investimentos do Cavs, que contavam com o retorno de LeBron James para a disputa da conferência leste e do campeonato. 

Na ocasião, os altos investimentos na equipe do Cleveland Cavaliers contaram com algumas trocas e com o fechamento de contratos, o que configurou a segunda maior folha de pagamento da história da franquia. Isso impulsionou o crescente favoritismo do time no decorrer da temporada, de forma que a equipe vice-campeã – o Cavs acabou perdendo para os Warriors a temporada de 2014/2015 – misturasse, nas finais da temporada seguinte, revanchismo sobre o talentoso time de São Francisco, acirrando a disputa pelo título nas finais de 2016.  

Foto do título. [Imagem: Instagram/@cavs]

No entanto, esse revanchismo e os altos investimentos acabaram ficando  em segundo plano, visto que o protagonismo ficou com a equipe de LeBron James, a qual quebrou marcas e terminou o campeonato com o troféu garantido em grande estilo. Assim, para os torcedores do Cavs, bem como para os amantes do esporte, o enredo desse primeiro título do Cavaliers na NBA foi de tirar o fôlego.

 

O jogo

A irreverente série de sete jogos, com destaque para o último jogo, pode ser resumida na reviravolta e nas estatísticas surpreendentes presentes tanto do Cleveland Cavaliers quanto do Golden State Warriors. No dia 19 de junho de 2016, a Oracle Arena, localizada em Oakland na Califórnia, estava lotada com cerca de dezenove mil espectadores. Nesse ambiente monumental, o time de São Francisco possuía 38,6% de aproveitamento dos arremessos, número que seria razoável, se o aproveitamento do Cavs não tivesse sido superior, com 40,2% de arremessos convertidos. 

Foto da Oracle Arena. [Imagem: Flickr/@Guillaume Meunier]

Em contrapartida, no que se refere às cestas de três pontos, o time campeão ficou atrás no sétimo jogo das finais, uma vez o Warriors, possuindo Stephen Curry, que converteu 36,6% dos arremessos da linha dos três pontos, contra os 24% de aproveitamento dos arremessos longos do time de Cleveland. Tais dados explicitam o equilíbrio técnico existente entre ambos os times, de maneira a ilustrar a ausência de um favoritismo a longo prazo e a possibilidade de qualquer um dos times colocar a mão na taça. 

Para tanto, o primeiro período foi o reflexo dessa equidade técnica. Com a vantagem de apenas um ponto, o time comandado por LeBron saiu na frente, mas compreendeu que a busca pelo primeiro título da NBA seria árdua e conquistada nos segundos finais, haja vista que a série estava empatada em 3 jogos para cada lado. Na opinião do jornalista independente Gabriel Escobar: “em confrontos entre times equilibrados, ter o melhor jogador faz uma diferença brutal”, ao fazer menção ao talento distinto de LeBron James. 

Jogadores do Cavaliers se abraçam após o título.  [Imagem: Instagram/@Cavs]

O segundo período, porém, foi vencido pelo Golden State Warriors, que abriu sete pontos de diferença e seguiu liderando o jogo até o início do terceiro período, momento que a vitória tendia para a equipe do Warriors. Foi apenas no quarto período que o Cavs voltou à frente do placar, após quase três minutos empatados em 89 a 89, com uma cesta de três pontos do armador Kyrie Irving. Ao final, o último jogo da temporada 2015/16 foi definido no tempo regular, com a vitória do Cleveland Cavaliers sobre o Golden State Warriors por 93 x 89

Para que esse feito do time da cidade de Cleveland pudesse se concretizar, no que se refere aos desempenhos individuais, vale ressaltar a boa performance do Draymond Green, que foi o maior pontuador pelo Golden State. Pelo lado da Conferência Leste, LeBron James somou 27 pontos e foi o maior pontuador do Cavs naquele dia.

 

 A aposta do Warriors 

Não era apenas o Cavs que contava com um atleta fenomenal na equipe, o Golden State Warriors podia gabar-se de ter entre os titulares o primeiro MVP eleito de forma unânime na NBA: Stephen Curry. O jogador que nasceu, por coincidência, na mesma cidade de LeBron James carregava, tal qual o conterrâneo, grandes expectativas dos torcedores. 

Stephen Curry no jogo 7. [Imagem: Instagram/@stephencurry30]

O MVP da temporada regular encantou a todos durante o campeonato, consagrando-se como um dos maiores pontuadores de cestas de três da história da liga. Mas, a apresentação discreta nas finais, marcada por muitos erros, frustrou os fãs. Para Gustavo Hofman “Os números dele ficaram abaixo do que se espera de um jogador como Stephen Curry em finais de NBA”.  A  temporada podia ser de Curry, mas as finais e o título ficaram com o adversário Lebron.

Além disso, na última e decisiva bola, faltando segundos para encerrar a sétima partida, o camisa 30 acertou o aro. Ele teve o prêmio adquirido de forma inédita ofuscado pela má apresentação nas partidas que decidiram o troféu Larry O’Brien.

 

Outros nomes do jogo

A relevância de LeBron James é indiscutível. No entanto, a performance de Kyrie Irving também merece destaque, já que o jogador teve uma das suas melhores temporadas à época da conquista do título em 2016. O jogador formado em Duke foi peça fundamental para o ótimo desempenho do Cavaliers, ficando atrás apenas dos feitos de LeBron nas pontuações e assistências, obtendo 26 pontos ao final do sétimo jogo da série das finais. 

Kyrie Irving arremessando. [imagem: Facebook/@NBA]

Além disso, Kyrie Irving foi decisivo para a conclusão da série, pois converteu a última cesta de três pontos do jogo, a qual resultou na conquista da temporada. Para tanto, Gustavo Hofman diz que o ótimo desempenho da equipe é fruto “acima de tudo da liderança do LeBron e das bolas decisivas do Kyrie Irving”. Assim, é notável que o atleta tenha se configurado como o armador indispensável para o Cleveland Cavaliers, desde a temporada regular até os últimos segundos do jogo sete. 

Pelo lado do Golden State Warriors, como o craque Stephen Curry deixou a desejar, o protagonismo ficou com Draymond Green, que converteu 32 pontos e terminou como o maior pontuador da partida, o que marcou um desempenho histórico e inesperado na carreira do jogador. 

Cita-se ainda a participação dos jogadores brasileiros Leandrinho, que poderia ter se tornado o primeiro jogador brasileiro bicampeão da NBA, e Anderson Varejão, jogador que iniciou a temporada 2015/16 defendendo o Cleveland Cavaliers e que, ao final, acabou disputando o título pelo lado do time de São Francisco. Esses atletas tiveram pouco tempo em quadra e, ainda sim, o destaque vai para o The Brazilian Blur que, nas palavras do jornalista Gabriel Escobar, “fazia o certo sempre e teve excelente aproveitamento nos arremessos”.

Leandrinho e Kyrie no jogo 7. [Imagem: Instagram/@theblurbarbosa]

Lebron James, o maior

Essa virada histórica do Cavaliers, sem dúvida, teria sido mais improvável se o time não contasse com LeBron James na escalação. O jogador de Akron, em Ohio, que iniciou o contato com o esporte após receber da mãe, Glória James, uma bola de basquete como incentivo para distanciá-lo da criminalidade, foi decisivo para a consagração do Cavs em 2016. 

LeBron James no Draft 2003. [Imagem: Facebook/@NBA]

Contudo, o craque não estava na cidade de Cleveland por acaso, uma vez que foi lá, em 2003, que iniciou a carreira como atleta. Na ocasião, LeBron não ganhou título, mas, graças à sua brilhante performance, foi consagrado, em 2009 e 2010, como MVP. Nos anos seguintes, mudou de equipe, foi eleito mais duas vezes como MVP e alcançou o título da NBA em duas temporadas. No entanto, ainda faltava algo: ganhar o troféu Larry O’Brien pelo clube que o revelou ao mundo esportivo.

Em 2014, LeBron retornou ao seu primeiro time, com o desejo de mais uma vitória na NBA, dessa vez, inédita para o Cavaliers. Entretanto, assim como a trajetória de vida do craque não foi fácil, o tão sonhado título pelo Cavs também não o seria. Nesse sentido, já na primeira temporada o jogador teve que lidar com a frustração da derrota nas finais para o Golden State Warriors. 

LeBron James beijando a taça da NBA.  [Imagem: Instagram/@cavs]

No ano seguinte, em 2016, LeBron novamente encontrou o mesmo adversário nas finais. Dessa vez, com o empate por 3 a 3, o campeonato estava em xeque no jogo final. Foi nesse momento que tê-lo na equipe fez toda diferença: o craque marcou 27 pontos, além de fazer 11 assistências e realizar 11 rebotes. Nesse sentido, Gustavo Hofman, jornalista esportivo dos canais ESPN, afirma: “esse título de 2016, para mim, colocou o LeBron James como o segundo maior jogador da história do basquete, atrás apenas do Michael Jordan.

LeBron James eleito MVP das finais  [Imagem: Instagram/@cavs]

 A presença de LeBron foi tão decisiva nos 7 últimos jogos que ele foi consagrado como MVP das finais – título dado ao jogador mais valioso da decisão do campeonato. Diante disso, o incentivo feito por Glória James, quando ela lhe presenteou com a primeira bola laranja, havia dado certo. O Cavaliers sagrou-se campeão da NBA com a ajuda do craque Lebron, o qual transformou-se em “King James”, um dos maiores da história.

Arquibancada
O Arquibancada é a editoria de esportes da Jornalismo Júnior desde 2015, quando foi criado. Desde então, muito esporte e curiosidades rolam soltos pelo site, sempre duas vezes na semana. Aqui, o melhor de todas as modalidades, de todos os pontos de vista.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*