Jornalismo Júnior

logo da Jornalismo Júnior
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Prato Grego: quebra de pratos chama atenção no “maior-menor Restaurante Grego do Brasil”

Escondido no centro de São Paulo, há um pequeno portal para o Mediterrâneo que mantém as tradições helenísticas vivas e bem temperadas

Viral na rede social TikTok, o restaurante Prato Grego une tradição, familiaridade e muito iogurte dentro de um pão pita. A comunidade concentrada no Bom Retiro aproveita a pequena taberna se deliciando com os seis pratos típicos que compõem o cardápio, escutando músicas gregas na fita cassete e ouvindo as histórias pessoais e profissionais do chefe, que os recebe como velhos amigos e colabora para preservar aquela cultura. Para fechar a experiência, acontece a famosa quebra de pratos, quando os novos clientes são convidados a mentalizar energias boas e a atirar as peças de gesso no chão. Após a primeira vez, a prática passa a custar R$9,00.

O chefe Stelios Moyssiadis, mais conhecido como “Seu Grego”, se dispõe a conversar com cada mesa e conta sobre sua família desde a imigração de seu pai, do interior da Grécia para o sul do Brasil, até o momento atual do sucesso crescente do restaurante, que foi impulsionado pelos visitantes que registraram o quebrar de pratos em suas páginas na internet. É uma culinária evidentemente caseira, feita com carinho e capaz de criar uma atmosfera familiar: “O pessoal que vem aqui sempre me fala isso: ‘ah, eu estou na minha varanda!’”, conta satisfeita Andrea, a esposa sergipana de Stélios, que participa da cozinha do restaurante e ganhou o apelido de “Dona Grega”. Orgulhoso da trajetória humilde do Prato Grego, Seu Grego complementa que o investimento inicial do restaurante “Foi três quilos de frango, três quilos de porco, 15 ‘cocas’, 15 guaranás, 15 cervejas; o pão e o iogurte, eu trouxe de casa mesmo”. Por isso, chamam carinhosamente o restaurante de o “maior-menor grego”: “Dentre os menores, nós somos o maior; dos menores, é o que tem mais história, com certeza”.

Coluna grega em meio ao salão do restaurante. [Imagem: Arquivo Pessoal/Alícia Matsuda]

Os pratos

O banquete começa com entradas simples: Mezé (R$29,00), um prato de pão pita caseiro servido com quatro pastas que variam seus sabores a depender do dia:  iogurte, berinjela ou azeitonas kalamatas regadas a azeite e orégano. A outra opção de entrada é a fresca salada Horiatíki (R$29,00), ótima opção para experimentar o queijo coalhado Feta, acompanhado de tomates, azeitonas pretas, pepino e cebola roxa.

Queijo feta é a estrela da Horiatíki , salada grega sugerida como entrada. Mais ao fundo, Mezé , pastinhas de berinjela, azeitona e iogurte servidas com pães frescos.  [Imagem: Arquivo Pessoal/Alícia Matsuda]

Os donos se orgulham dos únicos seis pratos que compõem o menu: “É isso que a gente quer, sem frescura, a gente quer um cardápio enxuto que é fácil de escolher;  a gente não tem releitura de nada”. Destes, os carros-chefes são a Paputsákia (R$39,00),  uma berinjela recheada com carne moída e queijo gratinado e o Mussaká (R$49,00), farta fatia de um assado de batata com berinjela e carne moída. Ambos tem um sabor adocicado e muito típico da cozinha mediterrânea e são acompanhados por uma pequena porção de tomates-cereja, cebola roxa e pepino. Há ainda o Souvláki (R$33,00), um lanche tradicional que consiste em faláfel, carne de frango ou de porco envoltos em pão pita fresco, com batatas fritas, vegetais e molho de iogurte. Stelios conta que, na Grécia, o lanche é servido “a cada esquina”, e a iguaria conquistou o Bom Retiro em 2020, durante a pandemia, quando o restaurante surgiu como um serviço de retiradas que produzia unicamente o lanche. Os clientes de ascendência grega afirmam que os sabores são autênticos, capazes de transportá-los de volta ao país; isso porque os principais temperos e especiarias, como orégano, a paprika, e o bahari, são importados diretamente de lá por um amigo do casal de chefes.

Paputsákia: uma berinjela adocicada gratinada com queijo, um dos destaques do cardápio.  [Imagem: Arquivo Pessoal/Alícia Matsuda]
Souvláki, Mussaká, Paputsákia e Horiatíki. [Imagem: Arquivo Pessoal/Sarah Kelly]

Informações úteis

Com uma ambientação inspirada nas tabernas das ilhas mediterrâneas, com pratos de gesso espalhados por todo o salão e uma grande bandeira hasteada no terraço, o restaurante é ideal para aproveitar em grupos pequenos, que devem reservar as mesas pelas redes sociais ou diretamente pelo Whatsapp do restaurante. O Prato Grego fica localizado dentro do bloco C do Shopping Bom Retiro (Rua Ribeiro de Lima, 453 –  loja 135/136), a cinco minutos de caminhada da estação Luz do metrô e recebe pessoas de terça-feira a domingo, a partir das 11 horas.

Entusiastas se reúnem no restaurante para jogar Gamão, jogo de tabuleiro comum na Grécia. [Imagem: Arquivo Pessoal/Alícia Matsuda]

[Foto de capa: Arquivo Pessoal/Alícia Matsuda]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima