Home Eu Fui O mundo de Van Gogh visto de casa
O mundo de Van Gogh visto de casa
Eu Fui
03 jun 2020 | Por Luanne Caires (lcaires@usp.br)

“Encontre beleza nas coisas o máximo que você puder, a maioria das pessoas acha poucas coisas bonitas”. Em tradução livre, esse é o conselho dado pelo pintor Vincent Van Gogh a seu irmão mais novo, Theo, em uma carta escrita em 1874. O conselho continua válido mais de um século depois e ganha especial importância durante uma pandemia como a atual, na qual é fácil se perder em meio aos inúmeros problemas que assolam a vida pública e privada no mundo todo. 

Para trazer mais beleza aos dias e ajudar as pessoas a respeitarem as medidas de distanciamento social, o Museu Van Gogh é uma das instituições artísticas a disponibilizar uma visita virtual à sua coleção. A iniciativa faz parte de um projeto de democratização do acesso à arte durante a pandemia.

O Museu Van Gogh se localiza em Amsterdã, na Holanda, e esteve fechado de 12 de março a 1º de junho por causa das medidas de segurança adotadas durante a pandemia de Covid-19. Mas a interrupção temporária das atividades presenciais do museu não impediu que o mundo conhecesse Vincent. “Meet Vincent” (Conheça Vincent) é, inclusive, o nome da seção na página do museu onde é possível explorar detalhes da vida e da obra do pintor, em uma exposição em inglês com belíssimo design e elementos interativos. 

Auto-retrato com chapéu de feltro cinza/Self-Portrait with Grey Felt Hat (Vincent van Gogh, Setembro-Outubro 1887). [Imagem: Van Gogh Museum, Amsterdam (Vincent van Gogh Foundation)]

Auto-retrato com chapéu de feltro cinza / Self-Portrait with Grey Felt Hat – Vincent van Gogh, Setembro-Outubro 1887. [Imagem: Van Gogh Museum, Amsterdam (Vincent van Gogh Foundation)]

A exposição atende a todos os gostos. Para quem busca apenas apreciar algumas das produções mais conhecidas do artista, a seção “Collection Highlights” (Destaques da coleção) apresenta as principais pinturas disponíveis no museu, com uma breve explicação sobre detalhes técnicos, o contexto em que foram produzidas e as impressões que Van Gogh queria transmitir com cada imagem. É uma oportunidade para descobrir como as cores no quadro The bedroom (O quarto, 1898) mudaram ao longo do tempo ou o carinho por trás de Almond Blossom (Flor de amendoeira, 1890), pintado como um presente para o sobrinho recém-nascido de Vincent.  

O quarto / The bedroom - Vincent van Gogh, Outubro 1888. Estudos indicam que a cor das paredes e das portas originalmente era roxa, e não azul. [Imagem: Van Gogh Museum, Amsterdam (Vincent van Gogh Foundation)]

O quarto / The bedroom – Vincent van Gogh, Outubro 1888. Estudos indicam que a cor das paredes e das portas originalmente era roxa, e não azul. [Imagem: Van Gogh Museum, Amsterdam (Vincent van Gogh Foundation)]

Já para quem quer entender como a obra reflete a própria história de Van Gogh, é indispensável navegar pelas fases da vida do pintor, da juventude na pequena cidade holandesa de Zundert até seus conturbados momentos finais no vilarejo francês Auvers-sur-Oise. A difícil relação com os pais, a cumplicidade inabalável com o irmão Theo, as dúvidas para encontrar um caminho que fizesse sentido para suas aspirações, as desilusões amorosas, as frustrações profissionais e o sofrimento causado pela doença: são aspectos que tornam a história de Vincent uma fonte de aprendizado e reflexão sobre amor, esperança, sonhos e angústias que perpassam a vida humana. A coleção com centenas de cartas escritas por Van Gogh, muitas delas com surpreendentes desenhos, é um adicional à parte neste mergulho sobre como o pintor enxergava o mundo. 

A exposição nos permite descobrir influências importantes sobre a obra do artista. É o caso da arte japonesa, com seus efeitos espaciais inusitados, a ausência de horizonte nas pinturas, os contornos destacados, as cores fortes e o foco em detalhes da natureza. Todas essas influências são representadas na seção “Stories” (Histórias), construída como uma sequência de quadros deslumbrantes e frases inspiradoras selecionadas de cartas escritas por Vincent. 

Print da página com o story “Inspiration from Japan”, que descreve a influência da arte japonesa sobre a obra de Van Gogh. [Imagem: Van Gogh Museum, Amsterdam (Vincent van Gogh Foundation)]

Print da página com o story “Inspiration from Japan”, que descreve a influência da arte japonesa sobre a obra de Van Gogh. [Imagem: Van Gogh Museum, Amsterdam (Vincent van Gogh Foundation)]

A exposição virtual deixa a vontade de conhecer de perto a vasta obra de Van Gogh. Para amenizar a curiosidade de saber como é o museu por dentro, uma das seções disponibiliza um vídeo mostrando como é a galeria com a coleção permanente e como ela foi pensada para expressar as diferentes fases, ambições e emoções da vida e da obra de Vincent ao longo do tempo. 

A página oferece ainda uma série de atividades voltadas para crianças, estudantes e professores, além de amantes da arte que querem se aprofundar mais em detalhes e referências do lindo universo do artista. 

Depois de tanta beleza vista pela tela do computador, fica o desejo de seguir os passos de Vincent e, em meio a tantas adversidades, buscar a beleza nos objetos do dia a dia e nos detalhes da natureza, mesmo que por enquanto isso só possa ser feito da janela das nossas casas. 

Imagem de capa: Wheatfield under Thunderclouds / Vincent van Gogh, 1890 (Van Gogh Museum, Amsterdam – Vincent van Gogh Foundation)

Sala 33
O Sala33 é o site de cultura da Jornalismo Júnior, que trata de diversos aspectos da percepção cultural e engloba música, séries, arte, mídia e tecnologia. Incentivamos abordagens plurais e diferentes maneiras de sentir e compartilhar cultura.
VOLTAR PARA HOME
DEIXE SEU COMENTÁRIO
Nome*
E-mail*
Facebook
Comentário*