Jornalismo Júnior

logo da Jornalismo Júnior
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Suíça vence Hungria em estreia da Eurocopa

Com a vitória, time vai à segunda colocação do grupo A

Por Rafael Dourador (rafa.dourador@usp.br)

A seleção suíça levou a melhor sobre a Hungria na manhã deste sábado (15), na cidade de Colônia, na Alemanha. Com o placar de 3 a 1, eles chegam ao segundo lugar do grupo A, atrás apenas dos anfitriões pelo critério de saldo de gols. A partida foi marcada pelo domínio da Suíça na maior parte do jogo, com uma forte pressão da Hungria no final da segunda etapa. Os gols foram marcados por Duah, Aebischer, Varga e Embolo.

Domínio da Suíça no primeiro tempo

As duas equipes começaram com a mesma formação (3-4-2-1). A Hungria de Marco Rossi entrou em campo com Peter Gulacsi; Attila Szalai, Adam Lang, Willi Orban; Attila Fiola, Milos Kerkez, Adam Nagy, András Schafer; Dominik Szoboszlai, Roland Sallai e Barnabás Varga.

Os titulares da equipe de Murat Yakin foram Yann Sommer; Ricardo Rodríguez, Manuel Akanji, Fabian Schär; Dan N’Doye, Remo Freuler, Granit Xhaka, Silvan Widmer; Rubén Vargas, Kwadwo Duah e Michel Aebischer.

A primeira etapa começou muito movimentada e brigada. O árbitro esloveno Slavko Vincic marcou uma falta com menos de um minuto de jogo e aplicou o primeiro cartão amarelo aos 4’ para Widmer após cometer infração em cima de Kerkez.

As duas equipes procuravam pressionar a defesa adversária na saída de bola e utilizavam de sua velocidade pelas laterais para abusar de bolas longas e enfiadas.

Aos 12’, Aebischer recebeu de Akanji no meio de campo e fez ótimo passe enfiado para deixar Duah cara a cara com o goleiro húngaro. O atacante chutou tirando a bola de Gulacsi e marcou o primeiro gol do jogo.

Com alguns ataques pontuais e inefetivos da Hungria, a Suíça dominou até chegar ao segundo gol no final do primeiro tempo. Ao receber de Freuler na entrada da área, Aebischer puxou a bola para o pé direito e chutou forte no canto inferior esquerdo do gol para ampliar o placar.

Aebischer foi a arma secreta da Suíça, partindo da lateral e flutuando no meio campo como uma espécie de camisa 10 para armar o time. [Reprodução/Instagram:@euro2024]

Hungria assusta suíços na segunda etapa

O técnico Marco Rossi decidiu iniciar o segundo tempo com Bendegúz Bolla no lugar de Lang na lateral direita. Apesar da mudança, a Hungria continuou sofrendo pressão dos suíços, forçando Gulacsi a trabalhar logo no início.

A Hungria melhorou seu futebol e recebeu uma dose de ânimo com o gol de Barnabás Varga aos 66‘. Após bom cruzamento de Szoboszlai pela esquerda, o atacante húngaro surpreendeu Aebischer pelas costas e cabeceou sem chances para Sommer.

Ao final do jogo, a Hungria se lançou para o ataque e acabou cedendo espaço para os contra-ataques da Suíça. Embolo entrou em campo no lugar de Vargas para puxar as ofensivas. A estratégia de Yakin funcionou: já nos acréscimos, o atacante do Monaco aproveitou erro da defesa húngara e chutou por cobertura para matar o jogo.

O capitão da Suíça, Granit Xhaka, foi eleito o melhor da partida pelo painel de observadores da UEFA (União das Associações Europeias de Futebol). Xhaka foi o jogador que mais desarmou (3), que teve mais toques na bola (99), passes completos (79/88), passes no último terço e chances criadas.

O próximo compromisso das duas equipes é na semana que vem. A Hungria viaja à Stuttgart para enfrentar a Alemanha, que venceu na estreia por 5 a 1. Já a Suíça enfrentará a Escócia, também em Colônia.

Xhaka é meio campista e foi campeão alemão pelo Bayer Leverkusen na temporada 2023/24. [Reprodução/Instagram: @euro2024]

A tecnologia em ação

Nesta edição da Eurocopa, uma nova tecnologia está sendo utilizada. A bola oficial do torneio, batizada como Fussball Liebe, que significa “amor ao futebol”, está equipada com um sensor que auxilia o VAR em lances de impedimento, pois sinaliza o momento exato em que o jogador fez o passe. Ela vai atuar em conjunto com o impedimento semiautomático. O primeiro gol da Suíça foi anulado pelo bandeirinha e validado pelo árbitro de vídeo. A decisão levou menos de 1 minuto para ser tomada.

Suíça nunca foi campeã em 64 anos da competição. [Reprodução/Instagram: @michel.aebischer]

Imagem de capa: [Reprodução/Instagram:@swissnatimen]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima